Coritiba 1x2 Santos

Jorginho reclama de pênalti não marcado e explica situação de Natanael

Jorginho durante o jogo com o Santos
Jorginho durante o jogo com o Santos (Foto: Valquir Aureliano)

O técnico do Coritiba, Jorginho, criticou a arbitragem de Bruno Arleu de Araújo, do Rio de Janeiro, neste sábado (dia 17), na derrota de 2 a 1 para o Santos. “Respeito muito o Bruno, que é um grande árbitro. Mas foi pênalti em cima do William Matheus”, declarou, em entrevista coletiva. Ele também lamentou o lance aos 48 do 2º tempo, quando o bandeira marcou impedimento após cobrança de escanteio. O auxiliar percebeu o erro que havia cometido e mudou a marcação, dizendo que a bola havia saído. “Quero lamentar esse lance. Esse trio é sério e tem sido de alto nível, mas hoje foram infelizes”, comentou.

Contra o Santos, Jorginho tirou o lateral-direito Natanael aos 31 minutos de jogo, para a entrada de Galdezani no meio-campo, improvisando assim o volante Matheus Sales na lateral-direita. “Tiramos o Natanael porque foi uma necessidade. Acabei sofrendo o gol ali. Eu sou o responsável, porque eu que escalei. Ele (Natanael) sofreu o dois para um ali e acabamos sofrendo o gol”, disse. “Ele sofreu dois contra um porque ficou em dúvida se marcava o Felipe Jonathan ou acompanhava o Soteldo”, analisou. “(A substituição) foi um situação de emergência dentro do jogo. Já passei por isso. Era uma necessidade. Mas estamos acreditando no potencial dele (Natanael). Já fez grandes jogos. Tanto que ele tomou a vaga do Jonathan”, explicou.

Jorginho também explicou por que começou com Matheus Sales e não Galdezani, um dos melhores em campo contra o Palmeiras. “O Matheus Sales hoje basicamente anulou o Soteldo, que não fez absolutamente mais nada”, disse. “O Galdezani foi bem no outro jogo, mas seria injusto com um jogador (Matheus Sales) que vem sendo um dos pilares da equipe. Discordo de você (repórter) ou qualquer outra pessoa que o Galdezani deveria começar jogando”, afirmou.

Outra opção para a lateral-direita, Patrick Vieira, não atua desde 30 de agosto, quando sofreu kesão, e não tem previsão para retornar, segundo Jorginho. “Não temos previsão do Patrick Vieira. Está numa transição há um bom tempo”, declarou. “Quanto ao Natanael, a gente tem conversado sobre posicionamento corporal. Ele potencial enorme, marca forte. Precisa corrigir erros que acontecem. E não acontecem só com ele”, comentou.

Sobre o jogo, Jorginho destacou a reação da equipe após sofrer dois gols. “Joguei contra um clube de maior poder financeiro e fomos melhores do que eles. No segundo tempo, a gente poderia ter empatado e virado”, disse. Em relação ao início de jogo, o técnico explicou. “Foi um detalhe. Falei com os jogadores antes do jogo que a gente precisava dificultar a transição deles. Eles fazem essa ligação direta em profundidade. A gente precisava picotar o jogo. Eles fizeram isso, picotaram nosso jogo”, comentou.