Publicidade
Confusão

Jornalistas são detidos pela Polícia Militar durante jogo do Paraná, relata rádio

O repórter da rádio Transamérica, Jairo Silva Junior, e o assessor de imprensa do Paraná Clube, Irapitan Costa, foram detidos pela Polícia Militar de Santa Catarina, segundo relato da própria emissora. O caso ocorreu nos minutos finais do empate entre Criciúma e Paraná Clube, no estádio Heriberto Hulse, em Criciúma, nessa terça-feira (dia 19) à noite.

Jairo Silva Junior, o Jairinho, narrou a própria 'prisão', ao vivo. Clique aqui para ouvir o momento de prisão. Ele comentou na transmissão que um abuso de poder estava sendo cometido pela PM de Santa Catarina contra o jornalista Irapitan Costa. Jairinho contou que tentou filmar essa situação e teve seu telefone celular apreendido pela PM. Ele 'abriu' o microfone e tentou conseguir explicações dos policiais, que preferiram levar o profissional de imprensa para uma sala separada no estádio.

Minutos depois, o apresentador Marcelo Fachinello, da rádio Transamérica, explicou que a confusão começou com o diretor de futebol do Paraná Clube, Alex Brasil, que acabou repreendido pela PM. Irapitan tentou intervir e também acabou detido. 

A PM explicou o motivo para as ações em nota - clique aqui para ver.

Depois do ocorrido, Alex Brasil concedeu entrevista à rádio Banda B, contou que foi agredido e lamentou o ocorrido. “Todas às vezes que a gente vem jogar aqui é sempre assim, esse despreparo total. Fui fui agredido. Tem um hematoma aqui”, disse. “Infelizmente aqui se fez e aqui se paga. A PM do Paraná recebe muito bem todos nossos adversários”, declarou. “A PM estava me tirando com agressividade e infelizmente não puderam filmar. O companheiro da rádio Transamérica não pôde fazer seu trabalho. Fico indignado com isso. Agora ele vai passar por esse transtorno. Sabe até que horas vai ficar ali”, explicou.

Por volta das 22 horas dessa terça-feira, Marcelo Fachinello atualizou a situação do caso, informando que Jairo e Irapitan foram liberados pela PM pouco antes das 22 horas. No entanto, ele explicou que a PM continuou com os telefones celulares dos dois profissionais, aparelhos que possuem imagens dos abusos cometidos pelos policiais.

No fim da noite, Jairo Silva Junior publicou vídeo explicando a confusão - clique aqui para assistir.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES