Pinguins invadem restaurante japonês na Nova Zelândia

Dois pinguins azuis foram capturados pela polícia após terem invadido um restaurante japonês na Nova Zelândia, na última segunda-feira, 15. Eles foram devolvidos ao oceano na sequência.

Segundo Jack Mace, gerente de operações do Departamento de Conservação, os pássaros teriam simplesmente acreditado ter encontrado uma toca confortável no restaurante, sem se darem conta do que era vendido no local.

Na noite do último sábado, 13, a polícia local já havia recebido uma chamada alertando sobre um pinguim solto na cidade, após alguém ter reportado avistar um pássaro embaixo de um carro estacionado. A polícia também o levou de volta ao oceano.

Na segunda-feira, 15, a polícia passou a receber mais ligações e encontrou os dois pinguins no restaurante Sushi Bi, perto de uma estação de trem da capital do país. Após terem sido retirados, os dois pinguins retornaram ao local algumas horas depois.

Dono do restaurante, Long Lin afirmou que estava limpando o salão quando ouviu um som vindo próximo do tanque de água. Ele andou até o lado de fora e espiou por baixo do local, acreditando ter se deparado com uma pomba.

Ele chamou as autoridades, mas, enquanto isso, os pinguins tentaram fugir. Lin os agarrou um por um e os prendeu dentro do restaurante. De acordo com ele, o segundo pinguim o bicou várias vezes, deixando algumas marcas em seu peito. "Ele estava um pouco nervoso", disse.

A funcionária Shawnee Kim tentou oferecer salmão fresco, mas eles não pareceram interessados na iguaria.

O gerente de operações do Departamento de Conservação afirmou que os guardas retiraram as aves da loja e colocaram em uma caixa especial, a cerca de 200 metros do restaurante, próximo ao mar. Desde então, eles não foram mais vistos.

De acordo com ele, a população dos pinguins azuis cresceu novamente em Wellington graças aos esforços de pessoas em remover os predadores das três ilhas na costa e a ajuda com esforços de conservação, como a construção de ninhos artificiais.

Os pinguins azuis tipicamente começam a procurar pelos ninhos em julho e a botar seus ovos em agosto.