Assine e navegue sem anúncios [+]
Pandemia

Prefeituras do PR recuam em decisão de abrir comércio diante de novos casos do Covid-19

Reunião da Amop, que reúne 54 prefeituras
Reunião da Amop, que reúne 54 prefeituras (Foto: Divulgação)

Prefeituras do Paraná que tinham decidido abrir o comércio a partir dessa semana recuaram diante da confirmação de novos casos do Covid-19. No boletim divulgado pela Secretaria de Estado de Saúde (Sesa) nesta segunda (30), apenas quatro das 22 regionais de saúde ainda não tinham casos de coronavírus confirmados. Dados do boletim registram atualmente 160 casos confirmados – cinco não residem no Paraná –, destes, três óbitos, 2.877 casos descartados e 484 em investigação. A Associação dos Municípios do Oeste do Paraná (AMOP), que reúne 54 municípios, por exemplo, voltou atrás na recomendação de abertura gradual no comércio a partir da próxima quarta (1). A associação tinha anunciado no sábado (28) que as cidades da associação não iriam mais seguir as recomendações de isolamento por causa do coronavírus. Segundo nota da entidade, a decisão foi tomada após reunião como Ministério Público do Estado do Paraná (MPPR). Entre os motivos do recuo está a confirmação da primeira morte por Covid-1 na região, em Cascavel. 

"Diante de novos fatos, a entidade sugere o acolhimento das recomendações oficiais produzidas pelo Ministério Público, da Saúde e Secretaria Estadual de Saúde, na direção de preservar as medidas de isolamento, diante do pico de enfermidade e contaminação em curso, ocorrer nos próximos dias, exigindo mudança de atitude e a ampliação de medidas preventivas. O motivo é o agravamento do quadro da covid 19, doença provocada pelo novo coronavírus, e pela constatação de dificuldades em adequar e promover medidas de contenção do risco de contágio neste período", diz a nota. A associação alegou que há necessidade de as equipes municipais de saúde receberem todos os equipamentos de proteção necessários, a instalação de equipamentos de suporte, como um tomógrafo, que só ocorrerá neste fim de semana, e ainda a chegada de respiradores, insumos e a finalização da instalação de obras nas cidades-pólo que garantem suporte médico a eventuais pacientes que contraírem a enfermidade.

"Diante do aumento do número de casos confirmados e do aparecimento do primeiro óbito regional decorrente do coronavírus, a atitude responsável e motivada pela preservação da vida, é primar pela integração de todos em torno de diretrizes técnicas, até que se alcance a estabilização do cenário, para que, então, nova medida seja sugerida. Outro fator que pesou na nova recomendação da Amop foram posicionamentos do secretário estadual de Saúde, Beto Preto, contrário à medida adotada pela Amop e em defesa da manutenção do isolamento social, em consonância com linha de pensamento defendida com o ministro da Saúde, Henrique Mandetta, que justificaram publicamente que o SUS precisa de mais tempo para estruturar a rede pública para atendimento adequado e evitar o colapso do sistema, o que impediria o atendimento dos pacientes, no período crítico que se avizinha", afirma a associação na nota, publicada na páginada a entidade.  A Amop reforça ainda que um esforço regional inédito está sendo feito para minimizar os impactos e as regionais de saúde, juntamente com as prefeituras e os respectivos COEs, estão preparando as cidades maiores para receber pacientes de cidades menores, o que significa que o entendimento deve ser indistinto. 

Outras prefeituras do Paraná que tinham decidido reabrir o comércio, em nome da economia também recuaram da decisão a medida que os casos de Covid-19 foram confirmados. A Prefeitura de Goioerê, no Centro Oeste do Estado, havia decidido abrir o comércio nesta segunda (30), mas a confirmação de um caso no domingo (29) fez o prefeito Pedro Coelho revogar o decreto que autorizava a abertura do comercio em geral. O novo decreto determina que apenas hospitais, farmácias e hotéis podem funcionar normalmente. Mercados e panificadoras só poderão funcionar com contingenciamento, em horários pré-determinados e medidas de proteção ao consumidor. O prefeito aproveitou para pedir que a população respeite o decreto e não saiam de casa, respeitando também recomendações das autoridades de saúde. 

Assine e navegue sem anúncios [+]

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições. OK