Política em Debate

Proprietário

(Foto: Jefferson Rudy Agência Senado)

O líder do Podemos no Senado, Alvaro Dias, criticou ontem o presidente da Câmara Federal, deputado Rodrigo Maia (DEM/RJ), por não pautar a Proposta de Emenda Constitucional do fim do foro privilegiado. Em seminário da Frente Parlamentar pela Ética Contra a Corrupção da Câmara, Alvaro reclamou da atitude de Maia. “Rodrigo Maia não é o imperador do Brasil, não é proprietário da Câmara. Ao não votar o projeto, ele desrespeita o Senado Federal, desrespeita os parlamentares que querem a votação do projeto, e a esmagadora maioria deseja a aprovação do projeto”, disse. “Maia desrespeita o povo brasileiro, porque não há nenhuma dúvida de que mais de 90% da população deseja o fim do foro privilegiado. O país não gosta de engavetadores”, afirmou.

Outdoor
O Tribunal Regional Eleitoral do Paraná (TRE-PR) reverteu, ontem, decisão da 178ª Zona Eleitoral, que havia considerada propaganda eleitoral antecipada a instalação de outdoors em Curitiba pelo Partido Novo. Nos painéis, a legenda reforçava uma de suas bandeiras, que é ser contrária ao uso dos R$ 3 bilhões do fundo eleitoral e partidário para campanhas eleitorais. O relator do processo entendeu que os outdoors não feriram a Lei Eleitoral, já que possuíam caráter de propaganda partidária. A posição do relator foi acompanhada pelos demais integrantes da corte. As multas aplicadas na ação foram extintas.

Fundo
“Somos o único partido que não usa fundo eleitoral para campanha e é direito do Partido poder divulgar esse diferencial. A decisão do TRE foi no caminho da justiça e igualdade de condições”, afirma João Guilherme, candidato do Novo à prefeitura de Curitiba. O partido não recebe fundo eleitoral, sendo sustentado pelas doações de filiados. As ações haviam sido promovidas pelo DEM, de Rafael Greca, e pelo PSL, de Fernando Francischini. O PSOL também havia entrado com uma ação semelhante, mas foi arquivada. Vale lembrar que o nome de João Guilherme não aparecia nos outdoors.

Caixa preta
O candidato do MDB à prefeitura de Curitiba, ex-deputado federal João Arruda, criticou o prefeito e candidato à reeleição, Rafael Greca (DEM), pelo que chamou de falta de planejamento e capacidade de decisão no enfrentamento da pandemia do Covid-19. Segundo ele, a pandemia que expôs a fragilidade e a precariedade dos serviços de saúde na cidade. E o vai e vem do “abre e fecha” do comércio, agravou a crise econômica que atinge, principalmente pequenas e microempresas.

Portas fechadas
“Uma rápida no centro, pode se verificar a profusão das placas de aluguel nos espaços e salas comerciais. A maioria das lojas das galerias está fechada. Por outro lado, unidades de saúde foram fechadas nos bairros e a saúde dos curitibanos ficou a deus-dará. Faltam insumos, luvas, equipamentos, o que fez que o sindicato dos servidores recorresse à justiça”, disse o candidato.

Outubro rosa
Para marcar o início do “Outubro Rosa”, a candidata do Podemos à prefeitura de Curitiba Carol Arns, defendeu ontem a importância do diagnóstico precoce e agilidade no atendimento a mulheres com câncer de mama nas unidades básicas de saúde do município. Em vídeo divulgado pelas redes sociais, a candidata lembrou que a lei garante mamografia anual a mulheres na partir de 40 anos. “Todas as mulheres acima dessa faixa etária devem buscar atendimento nas unidades básicas de saúde e solicitar a realização do exame. É um direito que precisa ser garantido”, disse Carol.