Publicidade
Palanque na TV

Rápido no gatilho

A campanha do candidato do PSDB à Presidência da República, Geraldo Alckmin, foi “rápida no gatilho” e conseguiu inserir já o programa eleitoral de hoje a declaração do vice de Jair Bolsonaro (PSL), general Mourão, sobre o 13º salário. O trecho inserido no final do programa começa com uma chamada de “Urgente” e completa: “campanha de Bolsonaro é contra o 13º salário. Seu vice declara que é contra o 13º”. “Prepare seu bolso. Ele não. Décimo terceiro, sim”, conclui o locutor no programa. 

Bate-cabeça
Mourão (PRTB) disse que o 13º salário é uma “jabuticaba brasileira”, uma “mochila nas costas dos empresários” e “uma visão social com o chapéu dos outros”. A fala foi feita durante uma palestra dele em Uruguaiana (RS). Bolsonaro desautorizou o vice por meio de uma publicação no Twitter. “O 13° salário do trabalhador está previsto no art. 7° da Constituição em capítulo das cláusulas pétreas (não passível de ser suprimido sequer por proposta de emenda à Constituição). Criticá-lo, além de uma ofensa à quem trabalha, confessa desconhecer a Constituição”, alegou.

Reincidente
Na semana passada, Mourão já havia causado uma crise na campanha de Bolsonaro, ao falar que lares “com mãe e avó” eram “fábricas de desajustados”. Foi enquadrado para moderar suas declarações.

Montagem
Alckmin, aliás, abandonou totalmente a campanha propositiva do início da disputa, em favor da artilharia pesada contra Bolsonaro e o PT. “Votar no Bolsonaro no primeiro turno é trazer de volta quem você menos espera: o Lula”, afirmou, em inserção exibida ontem. 

Vacina
Alçado ao posto de candidato ao governo aos 45 minutos do segundo tempo, após a desistência de Osmar Dias (PDT), o deputado federal João Arruda (MDB) divulgou vídeo no qual tenta combater as dúvidas mais frequentes sobre sua competitividade nesta eleição. Confessou ter ouvido muito durante essa campanha: “João você entrou tarde na disputa”, “João, você não é conhecido”. 

Tempo
O emedebista afirma em seguida que os questionamentos são verdadeiros, mas que também é verdade que ele seria “a alternativa que você tem para fazer diferente”. E emenda: “O governo que fez isso tem dois representantes na eleição: Cida e Ratinho. E eles, exatamente por serem governo, são mesmos mais conhecidos do que eu”, justifica, afirmando que o eleitor “tem ainda dez dias para” conhecê-lo melhor. 

Luz
A campanha do candidato do PT produziu vídeo retratando a situação no bairro do Ganchinho, em Curitiba, onde segundo o partido, “moram 11 mil pessoas que ganham apenas metade de um salário mínimo por mês”. E exibiu depoimento da dona Elsa, que recebe R$ 85,00 ao mês do Bolsa-família, reclamando do custo da energia elétrica, de quase R$ 100,00 mensais. 

Cesta básica
A moradora do conjunto, que vive em uma residência construída no programa “Minha Casa, Minha Vida”, durante os governos petistas, também aparece fazendo compras no supermercado com R$ 100. E elogia a proposta de Rosinha de isentar famílias que consomem até 120 kw/h por mês do pagamento da fatura da Copel. 

Tela azul
Na quarta-feira, entre os programas de Arruda e Geonísio Marinho (PSL) apareceu uma tela azul com o aviso: “Não veiculação resulta de infração à lei eleitoral”. 

DESTAQUES DOS EDITORES