Publicidade

Rebeldes do Iêmen atacam unidades da petroleira Saudi Aramco

O grupo de rebeldes Houthis, do Iêmen, atacaram com drones a maior instalação de petróleo do mundo e um dos mais importantes campos de extração do óleo na Arábia Saudita. Um incêndio chegou a consumir parcialmente as unidades, que são de propriedade da petroleira Saudi Aramco.

Após horas de fogo, não ficou claro se pessoas ficaram feridas ou qual o efeito que o ataque teria na produção de petróleo. A Saudi Aramco não respondeu às perguntas da Associated Press. A fumaça crescente dos incêndios nos locais poderia ser vista pelos satélites.

Em um breve discurso transmitido pelo canal de notícias por satélite Al-Masirah, o porta-voz militar dos Houthis, Yahia Sarie, disse que os rebeldes usaram 10 drones no ataque. Ele alertou que os ataques dos rebeldes só piorariam se a guerra contra o grupo rebelde continuar. "A única opção para o governo saudita é parar de nos atacar", afirmou.

A ação dos houthis, apoiados pelo Irã na guerra contra uma coalizão liderada pela Arábia Saudita, ocorre depois de semanas de ataques semelhantes por drones à infraestrutura de petróleo saudita, mas nenhum desses anteriores parecia ter causado a mesma quantidade de dano.

Os rebeldes detêm a capital do Iêmen, Sanaa, e outros territórios no país mais pobre do mundo árabe. Desde 2015, uma coalizão liderada pela Arábia Saudita luta para restabelecer o governo iemenita reconhecido internacionalmente.

O ataque provavelmente aumentará ainda mais as tensões no Golfo Pérsico em meio a uma crise crescente entre os EUA e o Irã devido ao seu acordo nuclear com as potências mundiais. Fonte: Associated Press.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES