Publicidade
Data-base

Sem aumento para Executivo, servidores dos demais poderes também não devem ter reajuste

Servidores em protesto: segundo líder do governo, "se for para fazer sacrifício, todo mundo tem que fazer sacrifício'”
Servidores em protesto: segundo líder do governo, "se for para fazer sacrifício, todo mundo tem que fazer sacrifício'” (Foto: Valquir Aureliano)

O líder do governo na Assembleia Legislativa, deputado estadual Hussein Bakri (PSD) afirmou hoje que se não houver reajuste salarial para os servidores do Executivo, os parlamentares tendem a também rejeitar as propostas de reposição da inflação para os funcionários dos demais poderes: Judiciário, Tribunal de Contas, Ministério Público e do próprio Legislativo. A avaliação foi feita depois que o Órgão Especial do Tribunal de Justiça aprovou, na segunda-feira, proposta de reajuste de 4,94% para seus servidores. A proposta deve ser encaminhada à Assembleia nos próximos dias.

“Existe um clima hoje dentro da Assembleia dominante de que se for zero a data-base dos funcionários (do Executivo), será zero para os demais poderes”, diz o líder governista. “Eu sinto que existe por parte dos deputados uma adequação no seguinte sentido: 'se for para fazer sacrifício todo mundo tem que fazer sacrifício'”, aponta ele. “Estou escutando individualmente. Não tenho nenhuma manifestação oficial de nenhuma bancada. Até porque nós não chegamos ao tempo ainda dessa discussão. O governo vai tomar a decisão nos próximos dias de mandar ou não o projeto da data-base”, alega Bakri.

A data-base do reajuste anual dos servidores públicos paranaenses vence em maio. Os funcionários do Executivo – que estão com os salários congelados desde 2016, e acumulam perdas de 17% - reivindicam a reposição da inflação dos últimos doze meses, de 4,94%. Após sete rodadas de negociação, o governo, porém, não deu uma resposta oficial ao funcionalismo, mas tem sinalizado que não deve dar nenhum reajuste, alegando que os gastos com pessoal já estão no limite da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) e que a situação da economia do País indica que não há perspectiva de aumento da arrecadação em 2019. Os sindicatos dos servidores anunciaram greve a partir do próximo dia 25, caso não haja uma proposta concreta do Executivo.

Apesar de ressaltar que cada poder tem autonomia para decidir sobre o assunto, o líder do governo afirma que a maioria dos deputados tem sinalizado que se não houver aumento para os funcionários do Executivo, também não deve haver para os servidores dos demais poderes.

Leia mais no blog Política em Debate

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES