Greve 'parcial'

Sindicato anuncia que professores e funcionários da rede estadual do Paraná não retomarão aulas presenciais

(Foto: Divulgação APP)

A APP-Sindicato anunciou nesta quarta (10) que os professores e funcionários da rede estadual de ensino do Paraná não retomarão as atividades presenciais na próxima segunda (15). “A APP-Sindicato vem se posicionando de forma bem objetiva na defesa da vida e da saúde da nossa nossa categoria, dos nossos estudantes, familiares e da sociedade paranaense. Entendemos que neste momento é necessário que o governo Ratinho Junior aprofunde as medidas de restrição para um lockdown total do estado do Paraná, imediatamente, para que assim o nível de contaminações e o alto índice de óbitos sejam barrados na gestão da pandemia”, disse o presidente do sindicato Hermes Silva Leão.  A greve já foi aprovada em assembleia em fevereiro. 

A APP convocou uma entrevista coletiva online para quinta (11) com a participação do biólogo Lucas Ferrante, mestre em biologia, doutorando em biologia pelo Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA), que coordenou a nota técnica a pedido do Ministério Público do Estado do Amazonas e o trabalho também de classificação dos povos indígenas como grupo de risco da Covid-19. O especialista vai falar da  pela gravidade de se iniciar as aulas presenciais nas escolas no estágio atual da pandemia.  Pesquisa coordenada por Lucas indica que Curitiba deve registrar 80 mortes diariamente no final deste mês de março, caso não sejam tomadas medidas para elevar o isolamento social. É o que aponta a Nota Técnica do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia sobre a epidemia na capital paranaense.

Para a categoria, não há protocolos suficientes para conter o contágio entre estudantes e profissionais. O sindicato também recebeu inúmeras denúncias de falta de condições sanitárias das escolas estaduais. “Falta álcool gel, falta máscaras e até água em algumas escolas”, salientou o presidente.

Resposta da secretaria

A Secretaria de Estado da Educação e do Esporte (Seed-PR) respeita a posição do sindicato, mas ressalta que ela não reflete o posicionamento dos profissionais que desejam o retorno às aulas em modelo híbrido. Entre 18 e 26 de fevereiro, esses profissionais realizaram treinamentos direcionados aos protocolos de biossegurança e ao sistema híbrido de ensino; bem como pais, responsáveis e estudantes foram orientados sobre a nova realidade dos colégios para o ano letivo de 2021.
A Seed-PR reforça o compromisso com a segurança e a saúde de toda a comunidade escolar, lembra que o ambiente escolar é controlado e atua em parceria com a Secretaria de Estado da Saúde seguindo todos os protocolos e recomendações sanitárias.