No Couto Pereira

Willian completa 200 jogos pelo Coritiba e mira tricampeonato da Série B pelo clube

O volante Willian, do Coritiba
O volante Willian, do Coritiba (Foto: Reprodução de vídeo / TV Coxa Prime)

O volante Willian Farias deverá completar 200 jogos pelo Coritiba nesta terça-feira (26), quando o time enfrenta o CRB, pela Série B. Além da marca de partidas, Willian também pode obter outra pelo clube: o tricampeonato da Série B.

“Hoje em dia é difícil os jogadores terem essa marca de 200 partidas. O jogador muda muito de clube”, disse Willian, em entrevista à TV Coxa Prime. “Fico feliz. Esperançoso que venham outras marcas”, continuou. “A gente passa pelo túnel do Couto Pereira, vê os jogadores com mais jogos, e a gente fala ‘pô, estamos alcançando esse, aquele’ ”.

Em 2007, quando o Coritiba foi campeão da Segundona, Willian estava no time sub-20, mas chegou a treinar com os profissionais, a pedido do então técnico Rene Simões. Na época, um jogador chamou a atenção dele: Anderson Lima, que atuava de lateral e de zagueiro. “Ele era outro nível”, afirmou Willian, então com 18 anos, ao fim daquele ano.

Em 2010, no segundo título coxa-branca na Série B, Willian tinha 21 anos e estava na reserva. Os volantes titulares eram Leandro Donizete e Léo Gago. Estreou na competição diante do Brasiliense, com vitória coxa-branca por 2 a 1. Entrou no lugar do volante Andrade – e no finzinho deu lugar a Tiago Real. Naquela Série B, Willian somou 8 jogos – apenas um como titular, o empate em 2 a 2 com o Icasa-CE. Uma curiosidade: chegou a enfrentar um Figueirense que tinha Wilson (hoje no Coritiba) no gol e Roberto Firmino (hoje no Liverpool) no ataque. O jogo terminou com vitória coxa-branca por 2 a 1.

Em 2021, o Coritiba lidera a Série B, com 57 pontos, dois à frente do Botafogo e sete a mais que o CRB, o primeiro time de fora da zona de acesso. A chance de título é de 48% e a de acesso chega a 97%. Desta vez, aos 32 anos, Willian é titular absoluto. Jogou 27 partidas (24 como titular). “Óbvio que a gente começa a fazer contas. Por mais que a gente fale que é jogo a jogo, a gente começa a olhar a tabela de confrontos. Até tenta enxergar em qual partida pode conseguir matematicamente. Vai na contramão do que falamos, que é o jogo a jogo” disse o jogador.

Willian sempre foi torcedor coxa-branca e foi revelado na base do clube. Se nas duas primeiras campanhas do título na Série B ele era um “piá do Couto”, agora o papel dele é outro, o de veterano que ajuda os mais jovens. “Até comentei com o Natanael, quando ele completou 50 anos, que é muito difícil um jogador da base fazer tantas partidas assim e conquistar isso”, disse o volante. “Falei para ele ficar feliz, contente, pelo trabalho dele. A gente sabe quanto difícil é”.

Estreia

Willian pertence a uma geração as categorias de base posterior à do zagueiro Henrique, do atacante Keirrison e os meias Pedro Ken, Marlos (hoje na seleção da Ucrânia) e Renan – que se aposentou cedo. O primeiro jogo de Willian no profissional pelo Coritiba foi em 9 de março de 2008, na vitória de 2 a sobre o Iguaçu, de União da Vitória. Entrou no 2º tempo, em lugar de Dirceu, e deu o passe para Keirrison selar a vitória por 2 a 0.  

O jogador deixou o Coritiba em 2014, rumo a Cruzeiro. Também jogou pelo Vitória, pelo São Paulo e pelo Sport. Estava no Hatta Club, dos Emirados Árabes, quando o Coritiba foi repatriá-lo. “Lembro alguns flashes da minha saída, dizendo que eu poderia voltar um dia, e estou voltando”, afirmou.