Festa

Wonka Bar volta à cena da noite curitibana a partir de janeiro de 2022

(Foto: Divulgação)

"Em janeiro de 2022", revela Ieda Godoy, proprietária de endereços icônicos da noite de Curitiba, como O Poeta Maldito, Dolores Nervosa, Dromedário, Café Pagu, Dizzy Café Concerto e Café Mafalda. Sobre a data, Ieda referia-se a data da 'volta' do Wonka Bar. Espaço localizado  na Rua Trajano Reis, no bairro São Francisco que por 11 anos foi o ponto de encontro da cena mais plural de Curitiba. O cardápio do Wonka tinha um pouco de tudo: poesia, jazz, samba, música autoral e muita alegria levada pelos frequentadores.

O público do Wonka era bastante diverso. Segundo Ieda, o bar era frequentado por pessoas "dos 18 aos 80 anos" dependendo do dia da atração, o que conferia ao bar uma identidade. “ Destemido, encarou tudo passionalmente. Fiz no Wonka coisas que outro bar jamais fez. Diria que foi o bar mais inteligente que Curitiba já teve”, descreveu Ieda na entrevista dada ao Blog Pista 1 para falar do encerramento das atividades, em junho de 2016.

Depois de cinco anos, o Wonka irá voltar à cena da noite de Curitiba. A revelação foi feita por Ieda em sua página da rede social em postagem do último dia 26 de novembro. Para essa nova fase do Wonka, as novidades estarão no cardápio (ainda não revelado) e na abertura da casa mais cedo, a partir das 19 horas.” Ela ressalta que volta, mas volta do zero, uma vez que toda a cena noturna da cidade ficou parada por quase dois anos por conta da pandemia de Covid-19. “Devaneios à parte, cá estou pra dizer que depois de 5 anos de hiato, retorno com o Wonka,  renascendo das cinzas,  como tantos outros. E só retorno porque houve esse tempo de dormência coletiva. Esperei o tempo certo. Tô apostando todas as fichas. E chego fervilhando de ideias, desejo, amor”, postou.

“Vamos preservar o que tínhamos de bom, que era a pluralidade do espaço e corrigir os erros”, disse Ieda. Sobre a programação Ieda já definiu o retorno da Poesia, às terças-feiras, com ‘banda ao vivo é claro’, samba às quartas e jazz, às quintas. “Pista às sextas e aos sábados”, disse. “O espaço sempre foi de muita criatividade, com literatura, jazz e música brasileira e isso, queremos manter”, conta.

A volta do Wonka, segundo Ieda, nasceu da iniciativa do dono do imóvel. “Depois de cinco anos, o proprietário me procurou e perguntou se eu não queria alugar a casa novamente”, disse. “Quero ser feliz e fazer feliz quem andar comigo. Quero arte, diversão, e muita verdade. Um bar não pode ser só um bar. A ideia é manter tudo que foi acerto e corrigir o que foi erro. Falando em repetir o acerto Will Porfirio está de volta. Assim como o Jazz, o Samba, a Poesia e a pista. Meus arquitetos, parceiros de aventura, são a doce Claudia Vega e o maravilhoso Julio Linhares (...) além das Duas Formigas atômicas, no design. À minha fada madrinha, Goreth Copanski, meu imenso agradecimento por confiar em mim”, postou Ieda.

S