Arquivos da categoria: Atores

Morre o ator Dennis Hopper

29 maio, 2010 às 14:50  |  por wikerson

dennis

O ator Dennis Hopper, mais conhecido por dirigir e estrelar o clássico cult Sem Destino em 1969, morreu neste sábado em sua casa em Venice, Califórnia, por complicações de um câncer na próstata, disse um amigo do ator à Reuters. Ele estava com 74 anos.

Dennis Hopper participou ainda de produções como Velocidade Máxima, Terra dos Mortos, Waterworld – O Segredo das Águas, Veludo Azul e Apocalypse Now.

Morre o ator Patrick Swayze

14 setembro, 2009 às 21:39  |  por wikerson

O site de celebridades TMZ.com, primeiro a informar sobre a morte de Michael Jackson, acaba de divulgar a morte do ator Patrick Swayze. Aos 57 anos, ele enfrentava já há mais de um ano uma batalha contra um câncer e no início deste ano decidiu abandonar o tratamento para morrer com tranquilidade.

Ainda não há mais informações sobre o assunto, mas a notícia foi ao ar também pelo canal americano CBS. Patrick Swayze foi um dos atrores mais populares no final da década de 80 e início da década de 90 estrelando filmes como Ghost – Do Outro Lado da Vida e Dirty Dancing.

Confira um especial sobre a carreira do ator Patrick Swayze

Rodrigo Santoro diz que nunca ganhou dinheiro com cinema

11 setembro, 2009 às 23:38  |  por wikerson

O ator Rodrigo Santoro afirmou em entrevista que nunca ganhou dinheiro com o cinema “nem no Brasil em em Hollywood”. Santoro, que é capa da revista TPM deste mês, diz que em muitos casos chegou mesmo a pagar para trabalhar, como no filme As Panteras – Detonando.

“Na época de ‘As Panteras’, falaram que meu cachê foi de US$ 1 milhão. Quase paguei para fazer esse filme”, conta. Ele afirma que 60% do que ganha nos EUA ficam por lá mesmo, para pagar “taxas, manager, agente”. Santoro poderá ser visto nos cinemas esse mês no filme Che 2 – A Gerrilha.

Com informações da Folha Online.

Filme pornô de Stallone será lançado em DVD

20 novembro, 2008 às 10:30  |  por wikerson

Sylvester Stallone fez um pornô em 1970, quando ainda tinha 24 anos. O filme O Garanhão Italiano, que já foi retirado de circulação na década de 90, finalmente será lançado no Brasil, na 1º quinzena de dezembro.
O Garanhão Italiano, como ficou conhecido no mundo inteiro, é na verdade chamado Party at Kitty and Stud´s. A produção trocou de nome depois que Stallone ganhou fama com filmes como Rocky e Rambo.

Já nesta época, Stallone entrou com um processo com a produtora, pedindo que o longa saísse de circulação. O filme foi retirado aos poucos das locadoras, mas com a chegada da Internet ele foi resgatado e agora é vendido de forma legal novamente.

No Brasil, O Garanhão Italiano terá duas versões: a soft, sem cenas de sexo explícito, e a hard, com as cenas incluídas no material do diretor. O filme saiu em DVD nos Estados Unidos no ano passado e foi um sucesso de vendas. O lançamento é da produtora Introduction.

Quando estrelou O Garanhão Italiano, Stallone ganhou a bagatela equivalente a US$ 200.

A informação é do site Terra.

Entrevista com James Bond

5 novembro, 2008 às 12:21  |  por wikerson

Nesta sexta-feira estréia nos cinemas de todo o páis o 22º filme da série 007. Quantum of Solace traz mais uma vez Daniel Craig, no papel de James Bond.

No novo filme, Bond busca vingança pela única mulher que amou na vida. “Quantum of Solace” significa ter o mínimo de conforto ou sentimento. Uma relação não sobrevive sem um mínimo de conforto ou sentimento entre os dois.

Confira aqui no Bem Paraná uma entrevista especial com o ator inglês Daniel Craig.

Ator Joaquin Phoenix anuncia aposentadoria

3 novembro, 2008 às 10:25  |  por wikerson

No começo todos imaginaram que poderia se tratar de uma brincadeira. Mas parece que não. O ator Joaquin Phoenix confirmou, no último sábado, que vai se aposentar da carreiar de ator de cinema.

Aos 34 anos e com um Globo de Ouro em seu currículo, o ator reinterou sua declaração durante a estréia daquele que deve ser o seu último filme, “Two Lovers“. “Acho que devemos seguir em frente e descobrir outras coisas”, declarou Phoenix que agora pretende se dedicar à música.

Joaquin Phoenix atuou em filmes como Gladiador, Contos Proibidos do Marquês de Sade, A Vila e Johnny e June, seu maior sucesso até então.

Entrevista especial com Selton Mello

16 outubro, 2008 às 18:42  |  por wikerson

Selton Mello se consolidou com o um dos maiores atores da nova geração brasileira. Nos últimos anos circulou com muita desenvoltura em sucessos comerciais como Meu Nome Não é Johnny e o Auto da Compadecida e produções mais densas como O Cheiro do Ralo ou Árido Movie.

Em Curitiba para acompanhar a participação no Festival do Paraná de Cinema Brasileiro Latino de seu primeiro longa-metragem como diretor, Feliz Natal [com estréia nacional prevista para 21 de novembro], Mello falou da sua estréia na direção. “Me ver diante das câmeras será uma coisa cada vez mais rara a partir de agora”, destacou ele que se diz insatisfeito por não encontrar papéis que possam mostrar o que realmente quer dizer.

Sobre o filme
Faço aniversário no dia 30 de dezembro e meu pai, no dia 25 de dezembro. Então nessa época do ano sempre vivenciei um certo clima de melancolia nas reuniões com a família. A história de Feliz Natal não é de forma alguma, autobiográfica. As situações que acontecem no filme de forma alguma eu vivenciei. São apenas sentimentos que eu gostaria de expressar. Poderia ter dito isso através de uma música ou de um texto, mas escolhi contar isso por meio de um filme. E foi uma boa experiência, me senti muito à vontade com ela. Daqui pra frente me ver diante das câmeras vai ser uma coisa cada vez mais rara. Não tenho encontrado espaço para expressar como ator os sentimentos que gostaria.

A construção do roteiro
Se eu ficasse esperando a construção do roteiro ideal, não iria filmar nunca. Então o que eu e o Marcelo [Marcelo Vindicatto – co-roteirista] desenvolvemos foi uma espécie de esqueleto, que foi bastante alterado pelos atores, por exemplo, e por mim durante as filmagens. Gosto muito da palavra roteiro em espanhol, guión [guia]. Acho que nesse caso ele funcionou exatamente assim, como um guia.

Um ator diretor
Acho que eu fato de eu ser essencialmente um ator me ajudou na direção. Já trabalhei com diretores que tiraram o meu couro, com diretores extremamente técnicos, delicados e com diretores que não tinham a menor idéia do que estavam fazendo. Acho que o diálogo e, acima de tudo, o respeito, são fundamentais nessa relação. Não sou eu quem tem que impor o que determinado ator deve fazer. Prefiro dar espaço que para que cada um possa construir o personagem da melhor maneira possível. Isso fez com que o nosso ambiente de trabalho fosse muito leve, apesar de ser um filme denso. Se alguém estava alguns minutos atrasado, tudo bem. Podíamos filmar outras coisas enquanto isso, sem ficar com essas preocupações.

Referências estéticas e de linguagem
Considero Feliz Natal um filho distante de Lavoura Arcaica, de Luiz Fernando Carvalho, um filme que além de me influenciar muito, mudou a minha vida. De certa forma os temas abordados são muito similares. Gosto muito também do novo cinema argentino, como o de Lucrecia Martel, e acho há um pouco de tudo isso neste trabalho.

Sobre a expectativa de reação do público
Feliz Natal é um trabalho realizado com muita sinceridade. Não imagino qual será a reação do público diante dele, mas espero que seja positiva. Este o tipo de filme que não acaba no final da sessão. Já recebi e-mails de pessoas que viram o filme e na hora não sabiam o que dizer, mas uma semana depois me escreveram um texto enorme sobre ele. Então espero que as pessoas, de alguma forma, sejam tocadas por ele.

TCM homenageia Paul Newman

1 outubro, 2008 às 18:41  |  por wikerson

No dia 26 de setembro, uma sombria sexta-feira, se apagou a luz resplandecente de um dos maiores astros do cinema no século XX: Paul Leonard Newman. Nascido no dia 26 de janeiro de 1925 na cidade de Cleveland, Ohio, o jovem seria apresentado ao mundo dos livros, da música e do teatro pela mãe, uma imigrante católica húngara. Depois de estudar na Universidade de Yale, freqüentou o Actor’s Studio de Nova York ao lado de outras lendas como Marlon Brando e James Dean. Lá, começou a desenvolver sua imponente presença de cena, reconhecida tanto em seus papéis juvenis – quando foi apelidado de “o rei do cool” – quanto em suas interpretações já na maturidade.

Reverenciando a obra de Paul Newman, neste domingo, 5 de outubro, a partir das 16h30, o TCM exibe cinco filmes com algumas de suas mais importantes e diversas interpretações.

Confira a programação:

16h30 – Lady L (Lady L, 1965)
18h25 – Inferno na Torre (Towering Inferno, 1974)
21h15 – Um Golpe de Mestre (The Sting, 1973)
23h30 – Gata em Teto de Zinco Quente (Cat on a Hot Tin Roof, 1958)
01h25 – Cortina Rasgada (Torn Curtain, 1966)

Morre o ator Paul Newman

27 setembro, 2008 às 15:04  |  por wikerson

O ator Paul Newman morreu na noite de ontem (26) aos 83 anos, informou a porta-voz do lendário artista, Marni Tomljanovic, hoje (27). Newman sofria de câncer. Indicado 10 vezes para receber o Oscar, Newman levou a estatueta de melhor ator em 1987 pelo filme “A Cor do Dinheiro”, além de dois outros prêmios honorários.

Com “Gata em Teto de Zinco Quente” e “O Mercador de Almas”, Newman se tornou o novo astro de Hollywood no fim dos anos 50 e virou um líder de bilheterias da década seguinte. Na década de 60, estreou o mega sucesso de crítica e bilheteria mundial Butch Cassidy, contracenando com Robert Redford.