Sem “abaixa ou acaba”

31/10/13 às 21:09 Da redação

O prefeito Gustavo Fruet (PDT) reafirmou ontem que não pretende romper unilateralmente, se amparo da Justiça, o contrato de concessão do transporte coletivo de Curitiba, por conta das irregularidades apontadas pela CPI da Câmara Municipal, auditoria da própria Urbs e do Tribunal de Contas do Estado, na licitação realizada em 2010. “A questão da licitação já está no Judiciário”, alegou ele em entrevista à rádio CBN. “Não vou ser irresponsável de deixar uma dívida para a cidade. Ou eu tenho uma postura responsável, ou vai acontecer o que acontece com o pedágio, e vai ficar um passivo para a cidade”, comparou o pedetista, referindo-se à guerra judicial deflagrada pelo ex-governador Roberto Requião (PMDB) contra as concessionárias do pedágio, sem resultados práticos.

Nazi-facistas
Falando em Requião, o senador defendeu ontem rapidez na votação do fim do voto secreto em todas as decisões legislativas, afirmando que o Senado não pode se comportar-se  como os que não revelam sua identidade,  mascarando-se: “O Senado tem que se revelar por inteiro, sem qualquer segredo. Absolutamente nada deve impedir que os brasileiros conheçam nossas decisões”, afirmou. Ao mesmo tempo, o senador repudiou os manifestantes que se mascaram para provocar atos de vandalismo, escondendo suas identidades. Para Requião, os “black-blocks” e os “anonymos” fazem lembrar os esquadrões da SA, grupo paramilitar nazista que agia antes da ascensão de Hitler ao poder.

Livro aberto
As SA, disse o senador, tinham como hábito divulgar os dados pessoais de seus desafetos, como endereços, números de documentos como forma de intimidá-los. A bronca de Requião foi motivada pelo fato dos chamados “anonymos” terem tornado público na internet seus dados pessoais, na última terça-feira.

Orçamento
Vinte e um dos 33 integrantes da bancada paranaense no Congresso Nacional reuniram-se na quarta-feira, na Câmara dos Deputados, para ouvir os pleitos de entidades públicas e privadas para a definição das emendas coletivas ao Orçamento Geral da União de 2014. Esta foi a segunda reunião da bancada com esse objetivo. Na próxima semana, os parlamentares escolherão quais os projetos que receberão emendas de bancada. Saúde e segurança, junto com Educação, Agricultura e Infraestrutura, são as áreas prioritárias definidas pelos deputados federais e senadores para a apresentação de emendas ao orçamento 2014.

Pedidos
Tiveram a oportunidade de apresentar suas reivindicações o Ministério Público do Trabalho, o Ministério da Defesa e os hospitais Pequeno Príncipe (Curitiba), Regional João Freitas (Arapongas), Santa Casa de Maringá, Bom Jesus (Toledo), Metropolitano de Sarandi, São Vicente (Curitiba) e Providência (Apucarana), além do Departamento de Polícia Federal, que já havia apresentado o projeto Sisvant e a compra de equipamentos para a PF no Oeste do Paraná como pleito para o orçamento 2014. O desembargador Rogério Coelho, presidente do Tribunal Regional Eleitoral do Paraná, também participou. Ele está buscando apoio dos parlamentares para construir seis novos fóruns eleitorais no Paraná e ampliação do fórum de Foz do Iguaçu.
 
Transparência
A Câmara de Vereadores de Cruzeiro do Oeste (Região Noroeste) teve as contas de 2012 julgadas irregulares pelo Tribunal de Contas. A causa foi o descumprimento das regras de transparência e publicidade dos gastos legislativos. A Câmara realizou alimentação semestral de informações que devem ser atualizadas mensalmente. Os dados orçamentários e financeiros da administração não constavam da página legislativa na internet quando da última fiscalização do TCE, ao final de agosto de 2012. O presidente da Câmara no exercício, vereador Carlos Roberto Alegria, deve recolher multa administrativa, no valor de R$ 691,13.

Contrabando
O líder do PPS na Câmara, deputado federal Rubens Bueno, cobrou ontem do ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, uma solução para reverter a situação de completo abandono por que passam os agentes da Polícia Federal que fazem o trabalho de vigilância na fronteira da Brasil com o Paraguai. Designados para combater o tráfico de drogas e contrabando na cidade paranaense de Guaíra, que faz fronteira com o país vizinho, os agentes não contam com rádios para comunicação e são obrigados a perseguir os criminosos com barcos de pesca, enquanto uma lancha blindada de R$ 2 milhões, adquirida pelo governo, está parada há meses .

Em alta
O Ministério Público do Rio Grande do Sul decidiu reabrir o inquérito civil sobre o incêndio na Boate Kiss. A Associação dos Familiares de Vítimas e Sobreviventes da Tragédia de Santa Maria encaminhou ao Ministério Público documentos com indícios de que houve improbidade da prefeitura.

Em Baixa
O resultado primário do Governo Central (Banco Central, Tesouro Nacional e Previdência social), em setembro, foi deficitário em R$ 10,5 bilhões. Em setembro do ano passado, o resultado foi positivo em R$ 1,22 bilhão. O resultado é pior do que o verificado em agosto de 2013.

0 Comentário

Você precisa acessar o seu perfil para comentar nas matérias.

Blogs
Ver na versão Desktop