Requião e Gleisi tentam manter um fio de esperança

17/09/14 às 00:00

Com as pesquisas cada vez mais favoráveis ao candidato à reeleição, indicando até a possibilidade de vitória de Beto Richa (PSDB) no primeiro turno, os candidatos de oposição, Roberto Requião (PMDB) e Gleisi Hoffmann (PT) usaram seus programas mais recentes para tentar manter um fio de esperança e otimisto. O peemedebista exibiu imagens de uma mobilização no último dia 15, fazendo uma analogia com o número de seu partido, afirmando que apoiadores teriam realizado carreatas em 332 municípios. Gleisi também alardeou uma suposta “arrancada para a vitória” a partir do último dia 13, sábado, igualmente número de seu partido. A verdade é que com o fim dos showmícios, é cada vez mais difícil para os políticos reunirem grandes públicos. E as caminhadas e carreatas servem muito mais para produzir imagens para a propaganda eleitoral do que para atrair votos. Em muitos casos, elas provocam efeito contrário, já que irritam os transeuntes, atrapalham o trânsito, produzem barulho e sujeira, levando o eleitor a querer se vingar do candidato. E a vingança vem na urna.

Mantra
Virou mantra na campanha do PT recorrer ao exemplo da eleição municipal de Curitiba de 2012 para combater o desânimo da militância. O argumento repetido à exaustão é de que se as pesquisas valessem como referência, Gustavo Fruet (PDT), não seria hoje o prefeito da Capital, já que os institutos apontavam poucos dias antes da eleição que ele estava em terceiro, atrás de Ratinho Jr (PSC) e do ex-prefeito Luciano Ducci (PSB).

Então tá
A pergunta que não quer calar diante dessa argumentação é: o mesmo vale para a eleição presidencial, onde Dilma Rousseff (PT) divide a liderança com Marina Silva (PSB), com Aécio Neves (PSDB) em um distante terceiro lugar, assim como Gleisi no Paraná?

Elenco
Falando em Fruet, alguém parece ter convencido o PT de Gleisi a importar o apresentador do programa do prefeito para a campanha da candidata ao governo. E ele jura que é espirituoso e mordaz. Só que não.

Cítrico
Beto Richa (PSDB) falou sobre o programa de compra de produtos da agricultura familiar para a merenda escolar. E chegou até a dividir uma laranja com um produtor. Não tem nada a ver com alguns candidatos que tem por aí.

Fast food
A mãe de um aluno diz que a merenda melhorou muito com o programa governamental. Segundo ela, antes a criançada andava adoecendo mais porque “comia muita bobageira”.

Antídoto
Se os candidatos oposicionistas falam em “virada” e “arrancada”, Richa faz o apelo inverso em seu programa: “o que é bom tem que continuar”.

Questão de ordem
Ficamos sabendo no programa de Gleisi que na Casa Civil ela coordenou, entre outras ações, o programa “Crack é possível vencer”. O crack pode ser, já a eleição no Paraná, tá difícil.

Dois pesos
Requião adora reclamar da imprensa, mas usa reportagens produzidas pelos veículos de comunicação em seu programa eleitoral para atacar os adversários. É a velha história: para o peemedebista, a imprensa só presta quando o elogia ou questiona seus inimigos políticos.

Menas
O candidato do PMDB exibiu um discurso do senador Pedro Simon dizendo que Requião vai ser o próximo governador do Paraná, e depois, candidato do partido à presidência da República. Só falta combinar com os russos – ou seja, os eleitores.

Fora do eixo
A presidente Dilma exibiu em seu programa um quadro onde recebe lideranças de movimentos jovens que atuaram nas manifestações de junho. Coincidentemente, todos declararam voto na petista. Entre eles, Pablo Capilé, cabeça do grupo Fora do Eixo, acusado por ex-integrantes vampirizar outros movimentos já existentes, além de receber recursos públicos e não pagar cachês para artistas contratados para eventos do grupo.

É o fim
O programa do pastor Everaldo (PSC) carrega nas tintas apocalípticas. Sobre a saúde, ele pintou um quadro de “morte nas filas de espera, mães dando à luz na calçada”.

Face to face
Com pouco tempo na TV, Marina Silva (PSB) explora cada vez mais as redes sociais. Ontem, sua assessoria anunciou que ela será a primeira presidenciável a conversar com os eleitores através do “Face to Face” oficial dos candidatos promovida pelo próprio Facebook.

1 Comentário

Você precisa acessar o seu perfil para comentar nas matérias.

interior
Mas q é fato, é fato. O interior pelo menos não é retratado nessas pesquisas e acreditem não estamos com Beto Bicha! Até dia 05! #ForaBetoRicha
Blogs
Ver na versão Desktop