Cara

16/10/17 às 00:00
(foto: Geraldo Magela/Agência Senado)

Após o Supremo Tribunal Federal decidir que caberá ao Senado confirmar as medidas cautelares contra parlamentares, o senador paranaense Roberto Requião (PMDB) defendeu que a Casa avalize a suspensão do mandato do senador Aécio Neves (PSDB/MG), acusado de pedir dinheiro emprestado ao dono do grupo JBS, Joesley Batista, e agir para atrapalhar as investigações da operação Lava Jato contra ele. “Porque agora é um tucano STF resolveu cumprir a constituição? Agora o senado mostra sua verdadeira cara?”, ironizou Requião.

Lenha
O peemedebista não poupou o Supremo de críticas no caso. “Na minha opinião o STF ‘lenhou’ prerrogativas constitucionais.Mas o Senado para não se desmoralizar deve agora oferecer apoio ao afastamento”, defendeu. “Agora restabelecido o princípio constitucional cabe ao Senado mostrar que não é complacente e auto complacente com a corrupção”, argumentou o senador.

Temer
Já o deputado federal Rubens Bueno (PPS) defendeu que a Câmara aceite a segunda denúncia da Procuradoria-Geral da República contra o presidente Michel Temer (PMDB). “Toda denúncia tem de ser apurada”, afirmou Bueno, contrariando o parecer do relator do caso na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), deputado Bonifácio de Andrada (PSDB/MG), que recomendou o arquivamentdo da denúncia, por suposta falta de provas das acusações.

IPTU
O prefeito Rafael Greca (PMN) encaminhou à Câmara Municipal de Curitiba, projeto que prevê reajuste de 4% no Imposto Predial Territorial Urbano (IPTU) de 2018 para imóveis com edificações e de 7% para terrenos vazios, além da correção da inflação do período. Levando em conta as projeções da inflação, o aumento então deve ficar entre 7% para imóveis com edificações e 10% para terrenos vazios no ano que vem. Na justificativa do projeto, o prefeito apontou a crise econômica, com a queda no valor dos imóveis, como argumento para a necessidade do aumento.

Biometria
O Tribunal Regional Eleitoral do Paraná (TRE/PR) registrou, no último dia 6, a marca de 1.927.928 eleitores recadastrados biometricamente no Estado apenas este ano. Isso representa exatos 95,07% da meta de 2.027.933 eleitores revisados, prevista pelo Tribunal Superior Eleitoral para 2017. Faltam ainda pouco mais de dois meses para o término do prazo de revisão, que vai até 15 de dezembro. 

Cidades
A Assembleia Legislativa começa a votar, hoje, projeto do governo que define atribuições e competências do Conselho Estadual das Cidades do Paraná (CONCIDADES PARANÁ) e estabelece normas para Conferência Estadual das Cidades do Paraná. A matéria, que será apreciada em primeira discussão, tem como principal objetivo estabelecer diretrizes e propostas para o setor, definidas após a realização de seminários e debates que reuniram representantes de órgãos públicos e de segmentos sociais e comunitários do estado ligados às questões municipais.

Participação
Na justificativa, o governo do Estado afirma que a proposta representa um avanço em termos de participação social nas políticas públicas de desenvolvimento urbano do estado, tendo como objetivo ordenar e fiscalizar o pleno desenvolvimento das funções sociais da cidade e da propriedade urbana, principalmente as áreas de mobilidade, acessibilidade, transporte, recursos e planejamento. No texto, o Poder Executivo reforça que a matéria é fruto de elaboração participativa e técnica, com a contribuição dos integrantes do Concidades Paraná.

0 Comentário

Você precisa acessar o seu perfil para comentar nas matérias.

Últimas de Política em debate
Política em Debate TV Assembleia
Política em Debate Clima eleitoral
Política em Debate Sem chance
Blogs
Ver na versão Desktop