As maravilhas, neuras e dúvidas da maternidade

  • Filme

    Curta paranaense relata a história de superação de mulher com fibrose cística que realizou o sonho de ser mãe

    (Foto: Divulgação)

    O documentário “A Fibrose Cística é parte do que somos, não o limite do que podemos ser” conta a história da paranaense Verônica Stasiak Bednarczuk de Oliveira diagnosticada, tardiamente, com fibrose cística aos 23 anos de idade.

    “O diagnóstico veio para mim como uma luz no fim do túnel”, relata Verônica, que tinha o sonho de ser mãe e conta neste filme um pouco da sua jornada em busca da realização deste sonho.

    Verônica é fundadora e diretora geral do Unidos pela Vida – Instituto Brasileiro de Atenção à Fibrose Cística e ressalta a importância de se ter um diagnóstico precoce para realizar o tratamento adequado para a doença o mais rápido possível.

    Clique aqui para ler esse post completo.

  • Pós pandemia

    Retomada de atividades externas pode gerar episódios de febre e diarreia em crianças

    Alguns meses se passaram desde que a pandemia da COVID-19 chegou ao Brasil, aumentando o receio das pessoas saírem de casa e contribuindo para o isolamento social. Aos poucos, algumas atividades rotineiras estão sendo retomadas, levando em consideração todas as medidas de segurança recomendadas pelos órgãos de saúde1. A visita de locais abertos, como parques, e a retomada das aulas estão entre as principais ações discutidas nesta volta.

    O retorno gradual às atividades do dia a dia é um fator importante para a saúde mental das crianças2. Um estudo conduzido pela Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) em parceria com a Federação das Sociedades de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo) indica que a quarentena gerou alterações de comportamentais em 88% das crianças brasileiras, tais como oscilações de humor, ansiedade, irritabilidade, depressão, tristeza, agressividade e aumento de apetite3. Mas, depois deste período em casa, os pais devem estar atentos a outro fator: a resposta do organismo infantil à reinserção ao ambiente externo.

    “Uma criança que está há quase seis meses sem contato regular com o ambiente externo e o convívio social reduziu o seu contato com agentes, como bactérias, por exemplo, que movimentam a defesa natural do sistema imunológico4. Por isso, o retorno a essas atividades pode ser uma porta de entrada para cargas virais”, indica o pediatra Marcello Pedreira, Coordenador do Núcleo de Especialidades Pediátricas no Hospital Sírio-Libanês.

    De acordo com o Ministério da Saúde (MS), febre, coriza e diarreia são os sintomas de quadros virais iniciais mais relatados pelos pais e comuns após o contágio por doenças como o rotavírus5, um dos agentes virais mais incidentes em grupos com menos de 5 anos no mundo, particularmente nos países em desenvolvimento6. “É comum que a família chegue ao consultório relatando que a criança está mais quieta, com dores na barriga e febre, sintomas clássicos de episódio virais ainda no início”, afirma o pediatra.

    Preparação para o retorno

    Ainda que brando os quadros virais, como gripes ou viroses gastrointestinais, podem reduzir a imunidade e facilitar a chegada de infecções bacterianas, principalmente quando o organismo está previamente debilitado ou suscetível. Por isso, de acordo com o especialista, é importante que os pais realizem uma preparação para a retomada. “Um longo período em casa pode trazer algumas mudanças de hábitos que influenciam diretamente no sistema imunológico dos pequenos. É importante neste momento promover uma mudança de hábitos na rotina para garantir um retorno mais seguro das crianças ao ambiente escolar ou atividades externas. Recomendo que os pais levem em consideração alguns passos” relata o especialista.

    Dieta equilibrada: é possível que os novos hábitos adotados na quarentena tragam alterações à saúde das crianças e, na volta ao convívio social, é importante contribuir para o reforço do sistema imunológico por meio da alimentação. Isso porque o consumo excessivo de alimentos processados pode gerar uma deficiência de nutrientes, acarretando falta de disposição e enfraquecimento do sistema de defesa, além de elevar a suscetibilidade a diarreias e infecções e comprometer a maturação dos sistemas nervoso, visual, mental e intelectual7.

    Uso de probióticos: alimentação deficiente, novos hábitos de rotina e a falta de exposição a bactérias da natureza podem provocar a mudança da microbiota intestinal8, isso é, o conjunto de microrganismos e bactérias benéficas que povoam o trato gastrointestinal e colaboram para a saúde do sistema digestivo9. Essa mudança pode acarretar o desbalanceamento de toda a rotina intestinal, com episódios frequentes de diarreia ou constipação. Nessa situação, a suplementação com probióticos é uma aliada no equilíbrio da flora intestinal, fortalecendo sua defesa e de todo o organismo.

    Prática de exercícios físicos regulares: muitas horas em frente à televisão e o computador trazem impactos para a saúde. De acordo com o Barômetro COVID-19, a principal pesquisa da Kantar11, desde o início do isolamento consumo de televisão pelos brasileiros permanece em patamares acima dos anteriores à crise. A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda que crianças de um a quatro anos de idade devem estar ativas por pelo menos 180 minutos ao longo do dia12. A retomada de caminhadas e pedaladas são essenciais para o retorno à rotina e o controle do peso.

    Um pouco de sol: A vitamina D deve estar presente na rotina das crianças para promover a fixação do cálcio, solidificando a estrutura óssea e contribuindo para o crescimento e regulação dos sistemas imunológico, cardiovascular e musculoesquelético13. Banhos de sol de no mínimo 15 minutos, antes das 10h e após às 16h, são importantes para o fortalecimento da saúde e bem estar.

    Higiene como foco: orientar os pequenos para a higienização frequente das mãos com água e sabão é um dos pilares essenciais na prevenção de infecções decorrentes da transmissão cruzada de microrganismos multirresistentes14 e fundamental para o retorno ao mundo externo. Essa atitude pode reduzir em até 30% a contaminação por vírus e bactérias causadoras de viroses, que provocam o desiquilíbrio da microbiota intestinal, levando aos quadros de diarreia15.
    Meu filho ficou doente, e agora?

    Por conta do isolamento social, as crianças, principalmente aquelas em idade escolar, deixaram de estar expostas a fatores naturais do clima. Este comportamento ocasionou, inclusive, a queda em atendimentos pediátricos em diversas regiões do mundo 16,17.

    Mas, com o retorno ao convívio social, quadros de febre ou mal-estar podem acontecer. A indicação inicial do especialista é manter a criança em casa e observar. “Isso evita a propagação do vírus e a piora de um quadro que, na maior parte das vezes, é simples. Caso não perceba uma melhora efetiva na criança em dois ou três dias, procure prontamente o médico ou serviço de saúde”, alerta Pedreira.

    Após a orientação e prescrição mandatória do pediatra, é possível controlar os quadros virais simples com o uso de medicamentos analgésico e antitérmico, para a redução de temperatura, alívio de incômodos e dores 18, além de dieta controlada e descanso. Outro ponto essencial, seja para este momento de pandemia ou qualquer outro cenário, é isolar a criança das atividades regulares.

  • Boa pedida

    Produção de tinta a partir de alimentos e dança flamenca são algumas das atrações do IC para Crianças

    (Foto: Divulgação)

    O IC para Crianças segue nesta semana com a programação composta de vivencias musicais, quinzenalmente, sempre às segundas-feiras, aulas de criação, às terças-feiras, de dança, aos domingos, e Expedição Brasiliana toda sexta-feira. Elas podem ser acessadas tanto pelo site www.itaucultural.org.br quanto no Youtube https://www.youtube.com/user/itaucultural do Itaú Cultural. Todos os conteúdos, desde o início do projeto, em maio deste ano, estão disponíveis na integra, para serem acessados a qualquer momento nestes endereços eletrônicos. Segue abaixo a grade entre os dias 6 e 10 de novembro.

    Clique aqui para ler esse post completo.

  • Pandemia

    Justiça do Paraná garante direito de gestante de Curitiba ter acompanhante no parto

    (Foto: Divulgação)

    Em Curitiba, uma gestante procurou a Justiça para garantir o direito ser acompanhada antes, durante e depois do parto. No processo movido contra o Estado, o Município e um hospital local, a autora argumentou que a restrição à presença do acompanhante (imposta em razão da pandemia da COVID-19) violaria direitos das mulheres e recomendações de órgãos de saúde nacionais e internacionais.

    Ao ter o pedido inicialmente negado, a autora da ação recorreu às Turmas Recursais dos Juizados Especiais. Em outubro (cinco dias antes do parto), o magistrado da 4ª Turma Recursal determinou que os réus observassem “o direito da autora à presença de acompanhante durante o parto e pelas 24 horas subsequentes”.

    Clique aqui para ler esse post completo.

  • O assunto é

    Falando sobre morte com os pequenos: 8 livros para ajudar pais a trabalharem o tema com as crianças

    (Foto: Reprodução Capa do Livro)

    A aproximação do dia de Finados faz com que a morte dos entes queridos seja mais lembrada e comentada entre as pessoas e pode acabar sendo uma boa oportunidade para introduzir o assunto e trabalhar esse tema com as crianças. Se para os adultos lidar com a morte é complexo e difícil, para os menores, que ainda não sabem lidar bem com os sentimentos e nem entender o que significa a morte de fato, pode ser ainda mais complicado. 

    De acordo com a editora de Literatura da Positivo Soluções Didáticas, Cristiane Mateus, os livros, neste momento, se transformam em uma boa alternativa para auxiliar os pais a conversarem sobre esse tema com as crianças. "O momento da leitura aproxima crianças e adultos. Faz com que os pequenos estejam mais propensos à escuta. Histórias que falam sobre a morte e apresentam a perda sob diferentes ângulos podem ajudar a criar o ambiente ideal -  tranquilo e lúdico - para que os pais falem sobre o assunto com os filhos", explica Cristiane. 

    Ela lembra que existem inúmeras histórias que falam sobre a morte, diversas e diferentes entre si. "Para escolher os títulos mais adequados, é essencial levar em conta a idade da criança e o quanto ela já é capaz de compreender sobre o assunto", reforça Cristiane. 

    Para ajudar os pais a abordarem o tema em casa, por meio da leitura, segue uma seleção de oito livros infantis que falam sobre a morte e a perda.

    1- Menina Nina — duas razões para não chorar, de Ziraldo (de 5 a 8 anos)

    Menina Nina narra, de maneira bastante poética, a relação de uma garota com a sua avó. Toda a história é conduzida de forma leve e alegre, até que a dor aparece com a perda da avó. É a partir daí que começam a surgir questionamentos, quando Nina passa a tentar entender o que aconteceu. Ziraldo apresenta aos leitores duas razões do porquê não chorar, com uma linguagem simples, direta e cheia de esperança.

    2- Marcéu, de Marcos Bagno (a partir de 10 anos)

    Com muita beleza e sensibilidade, este livro de Marcos Bagno trata da relação de dois irmãos, Marcos e Marcéu. Os dois moravam numa casa à beira de um rio. Um rio gigante, que não dava para ver o outro lado de tão largo. Marcéu dizia que do outro lado do rio moravam as ideias. Marcéu, que tem um contato íntimo com a natureza, morre em uma enchente. O mais velho, com a trágica experiência, amplia e aprofunda sua visão de mundo e de si mesmo. Emocionante, poético, sensível e sem drama.

    3- Para onde vamos quando desaparecemos?, de Isabel Minhós Martins e Madalena Matoso (a partir de 9 anos)

    A partir de uma série de questionamentos, somos levados a refletir sobre a finitude da vida, sobre o tempo e, claro, sobre o aparecer e o desaparecer. Embora, mesmo para os adultos, seja praticamente impossível responder à questão proposta, a narrativa consegue lançar novas hipóteses sobre esse tema, trazendo poesia e respostas mais sérias. Elas variam conforme os casos apresentados, que vão desde as meias que “desaparecem” misteriosamente, até o sol que todos os dias vai embora. 

    4- Ficar triste não é ruim, de Michaelene Mundy (de 5 a 8 anos)

    Este livro oferece às crianças de todas as idades (e às pessoas que as amam e orientam) uma visão realista e confortadora da perda - cheia de estímulos positivos e alentadores para lidar com a perda na infância. A obra promove o crescimento por meio de um sentimento de pesar honesto e sadio.

    5- O Anjo da Guarda do Vovô, de Jutta Bauer (de 4 a 10 anos)

    A partir de uma narrativa singela, um avô, que está em seu leito no hospital, passa a recordar e a contar para o neto os principais momentos da sua vida. Por meio dos desenhos, o leitor descobre que, em cada um desses acontecimentos, o vovô não estava sozinho: o seu anjo da guarda sempre estava por perto. Tudo nessa história é “dito sem dizer”, traduzindo o momento da despedida de forma completamente poética, falando sobre temas como experiência, aprendizado, legado e claro, sobre como lidar com a morte.

    6- Pode chorar coração, mas fique inteiro, de Glenn Ringtved e Charlote Pardi (a partir de 6 anos)

    A obra retrata um delicado processo de despedida vivido por uma avó e seus 4 netos. No centro da história está a Morte, uma figura temida e assustadora que, neste livro, mostra-se generosa e atenta à escuta e ao momento vivido pelos pequenos. E, ao longo das páginas, descobre-se que essa presença acolhedora é quem mostrará que abrir espaço para falar e conversar sobre as despedidas pode tornar algumas travessias mais humanas e possíveis. É dela, inclusive, a maravilhosa frase que dá nome à obra, a qual carrega uma importante lição para vida.

    7- Harvey — Como me tornei invisível, de Hervé Bouchard (a partir de 9 anos)

    Harvey é um garoto inteligente, mas que vê a sua vida virar de ponta cabeça após a morte do pai. Compelido por um sentimento desolador e desconhecido, o garoto tenta se refugiar, criando um mundo próprio de fantasia. Para isso, imagens e textos caminham lado a lado, ajudando a descobrir esse sentimento tão cruel e terrível que é trazido pela morte e também como aprender a lidar com ele. 

    8- A preciosa pergunta da pata, de Leen van den Berg (a partir de 1 ano)

    A pata possui uma pergunta preciosa: afinal,o que acontece conosco quando falecemos e para onde vamos? Um questionamento importante para a pata, já que há pouco tempo ela sofrera a perda do seu patinho, algo que a entristece bastante. Buscando resposta para sua pergunta, a pata se encontra com vários personagens e cada um dará uma resposta completamente diferente para a sua dúvida, ajudando a entender de forma poética a morte e o que acontece quando morremos.

  • Sugestão de presentes

    Dia das Crianças: 10 livros infantis para estimular a imaginação

    (Foto: Divulgação)

    Presentear os pequenos com livros ajuda no desenvolvimento intelectual, no processo de educação, estimula a imaginação e ainda permite que eles que possam brincar enquanto aprendem novas palavras! Então, neste Dia das Crianças (12), aproveite a data para levar histórias divertidas para casa e embarque com a criançada em mundos repletos de aventuras e aprendizados. Para ajudar nesta escolha, separamos 10 dicas de livros infantis e infanto-juvenis que vão auxiliar no desenvolvimento dos jovens leitores, além de diverti-los com narrativas únicas e ilustrações coloridas. Confira:

    1. A roupa nova de Doralice

    Essa alegre e moderna releitura do famoso conto “A roupa nova do rei” abre um diálogo despretensioso com as crianças sobre vaidade, autoestima e autoimagem. O livro conta a história de Doralice, uma jovem vaidosa e autoconfiante que não perde a chance de lançar moda no vilarejo onde vive. Publicado pela Saíra Editorial, A roupa nova de Doralice é da autora e tradutora paulista Monica Stahel.

    (Preço: R$ 37,00 | 21 Páginas | Onde comprar: Amazon)  

     

     

     

     

    Sono

    Na hora de dormir, a garotinha começa a sentir tanto medo que ele se concretiza na forma de um monstro assustador. Ela, então, lida com esse medo e, vencida pelo sono, consegue adormecer e acorda bem e descansada. Essa história, tão típica na infância, é o tema do Livro Sono, lançamento da Saíra Editorial, com textos e ilustrações de Luciana Romão.

    (Preço: R$ 19,90 | 40 Páginas | Onde comprar: Amazon)  

     

     

     

    A Semente da Compaixão

    Pela primeira vez, Sua Santidade, o 14º Dalai Lama, já premiado com o Nobel da Paz, escreve diretamente às crianças. Um texto simples e poderoso, com ilustrações vibrantes de Bao Luu, publicado pelo Selo Caminho Suave, do Grupo Editorial Edipro. A Semente da Compaixão é uma ferramenta para as famílias transmitirem às crianças o valor do amor e da compaixão, cada vez mais necessários no mundo de hoje.

    (Preço: R$ 41,90 | 32 Páginas | Onde comprar: Amazon

     

     

     

    Careta pra chupeta!

    A chupeta pode ser uma aliada dos pais para confortar bebês agitados, mas seu uso prolongado pode levar a problemas dentários e a outros riscos de doenças. Para auxiliar os pais no convencimento da criança para o abandono deste hábito, Careta pra chupeta traz uma divertida história de um menino corajoso que não aguenta mais as caretas que recebe. Cansado de tanta cara feia, ele tem uma ideia: guardar em uma caixinha todas as chupetas que encontrar. Será que agora vão acabar as caretas?

    (Preço: R$39,90 | 32 páginas | Autora: Maíra Lot Micales | Onde comprar: Amazon)

     

     

    O Pequeno Yogue

    De forma lúdica e divertida, O Pequeno Yogue traz ensinamentos sobre a história e os benefícios da yoga, por meio de posturas inspiradas nos animais e na natureza. Publicado pelo Selo Caminho Suave e Mantra, do Grupo Editorial Edipro, a obra da escritora Debora Molon introduz as crianças nessa prática, referência em equilíbrio e gentileza para lidar com os desafios físicos, mentais e emocionais do cotidiano, presentes também na infância. O resultado é uma criança mais tranquila e feliz.

    (Preço: R$ 44,90 | 32 Páginas | Onde comprar: Amazon)

     

     

    Cocô, Xixi e Pum

    O desfralde é sempre um momento desafiador, tanto para as crianças quanto para seus responsáveis. Inspirado na vivência que a autora Maíra Lot Micales teve como mãe e ilustrado por um pai que está vivendo esse momento, este livro vai arrancar muitas risadas do pequeno leitor e incentivá-lo a tomar coragem para abandonar as fraldas de uma vez por todas.  Cocô, Xixi e Pum é uma publicação do Grupo Editorial Edipro, pelo Selo Caminho Suave.

    (Preço: R$ 36,90 | 32 Páginas | Onde comprar: Amazon)  

     

     

     

    Pingo teve uma ideia

    Uma gota corajosa mesmo fora d’água é a protagonista do livro da escritora carioca Jane Riche. Pingo vence o medo e mergulha sozinha em novas experiências A obra faz parte projeto “Siga seu coração feliz”, que tem como objetivo abordar as adversidades de forma lúdica.

    (Preço: R$ 40,00 | 32 páginas | Onde comprar: http://bit.ly/AmzPingo)

     

     

     

     

    O Jovem Lenhador e o Violão

    Assim como nos contos de fadas, a obra da escritora Jania Souza também começa com “Era uma vez”. A diferença é que a protagonista não é uma princesa, e sim uma árvore.  A escritora empresta sentimentos humanos para o mundo vegetal com o objetivo de sensibilizar os pequenos leitores sobre a necessidade de preservar a natureza.

    (Preço: R$ 30,00 | 56 páginas | Onde comprar: http://bit.ly/AmzJovem)

    INFANTO-JUVENIL

     

     

     

     

     

    As Aventuras de Luminus Odra – A Túnica Sagrada

    Depois de desbravar o misterioso planeta Blum, o leitor embarca em uma história ainda mais perigosa na sequência da série do escritor Eduardo Escames. Apesar de aparentemente caminhar para uma aventura totalmente a parte do primeiro livro, a história no novo planeta se cruza com o enredo de estreia da série.

    (Preço: R$34,90 | 160 páginas | Onde comprar: Amazon)

  • Boa opção

    Dia das crianças: jogo online interativo ensina valores humanos de forma lúdica

    (Foto: Reprodução)

    Vamos embarcar com os pequenos em uma jornada de sonhos, persistência, humildade e coragem? O jogo virtual "Profetinhas da Hora" é uma atividade para toda a família neste Dia das Crianças. Uma verdadeira aventura feita por meio das histórias e mensagens de grandes heróis e heroínas, chamados de Profetas pela Bíblia.
    Os jogadores, ou "aprendizes de profeta" são crianças a partir de 7 anos. Ao longo do jogo, há um guia intitulado por Nabi, um mensageiro especial, e as crianças só avançam para as fases se vencerem desafios divertidos como cruzadinhas, quebra-cabeças, dinâmicas para juntar frases a partir dos aprendizados, além de outras brincadeiras envolvendo as histórias dos Profetas.


    O projeto é assinado pela Província Marista Brasil Centro-Sul e conta com a parceria do portal Farol 1817, da Casa de Formação L'Hermitage e da FTD Educação. O jogo pode ser acessado gratuitamente, com um breve cadastro, pela plataforma Farol 1817. Saiba mais informações em: https://www.farol1817.com.br/courses/profetinhas-da-hora

    Clique aqui para ler esse post completo.

  • Pandemia

    Especialista dá dicas sobre ensino remoto para crianças de 3 a 5 anos

    (Foto: Freepik)


    Em todo o país, alunos das redes pública e privada, da Educação Infantil ao Ensino Superior, estão tendo aulas e atividades remotas para seguir as recomendações de distanciamento social causada pela pandemia da Covid-19. Diante este cenário, o segmento de Educação Infantil e as demandas das escolas que possuem este segmento, tem demandado esforço dos docentes/gestores para encontrar alternativas às aulas presenciais.

    Com a proposta de auxiliar os pais nesse período e apresentar um formato mais adequado para manter as disciplinas escolares dessas crianças, o Professor Douglas Lopes, Assessor Pedagógico do SAE Digital, apresenta algumas dicas e ferramentas que podem ser úteis para assegurar os alunos e ceder a assistência essencial durante as aulas, os exercícios e as atividades extracurriculares que os educadores recomendam.

    Antes de qualquer coisa, é importante entender que isolamento social não é sinônimo de férias, as crianças necessitam ter a rotina e cumprir a carga horária apresentada pelas escolas. “Ter esse primeiro ponto em mente é ideal para evitar frustrações de pais e filhos, nada de sobrecarregar as crianças, é importante balancear as atividades com brincadeiras lúdicas e interativas, já que nessa faixa etária as escolas costumam apresentar tarefas educativas nestes formatos”, explica o Professor Douglas.

    Outro ponto a se frisar é: casa não é escola. É importante explicar às crianças que nesse momento o aprendizado será de forma on-line, contando de forma educativa a atual situação ligada a pandemia. Exigir que a criança se comporte da mesma maneira que estaria na escola não é o ideal, isso pode causar irritabilidade aos pequenos e afetar a paciência dos pais. Não é necessário se cobrar tanto quanto ao ensino e resultados, pais não são professores, a proposta é apenas apoiar e ajudar durante esse processo. E a rotina de aprendizado é imprescindível para as crianças, é adequado que seja considerado o espaço e as possibilidades do ambiente domiciliar a partir dos direcionamentos feitos pelas escolas em seus programas.

    Para deixar a criança mais a vontade é interessante preparar um ambiente adequado para o momento das aulas. “Não precisa mudar a decoração da casa, mas trazer um cantinho com colagens, atividades realizadas pelas crianças, até mesmo, porque esse momento é válido a partir das experiências, das interações e das brincadeiras sobre os objetivos de aprendizagem e desenvolvimento determinados pelos direcionamentos das escolas, sobretudo, propiciar um ambiente pedagógico ainda que seja em casa estimula o aprendizado”, comenta o professor.



    Além dessas, o profissional apresenta mais dicas essenciais que podem auxiliar nesse período, são elas:

    Respeite a vontade da criança - é necessário levar em consideração a vontade das crianças, elas estão em um período de aprendizagem, tudo tem seu tempo mesmo que seja durante as brincadeiras educativas. Respeitar o tempo da criança e evitar comparações é um ponto conveniente para o desenvolvimento.

    Mantenha contato com a escola - essa dica é especialmente útil para tempos de ensino à distância. A primeira infância é uma faixa etária muito delicada para acompanhar aulas on-line e o ensino remoto pode não trazer os mesmos resultados. Para além das atividades extras desenvolvidas em família, se a criança não estiver conseguindo acompanhar as aulas ou tarefas escolares, vale pedir ajuda da escola;

    Acompanhamento de um adulto – estar junto da criança nesse momento é ideal para ajudar no processo de aprendizagem. A criança precisa ter alguém ao seu lado para tirar dúvidas e também para acompanhá-la nas atividades, mas também é importante dar liberdade para que os pequenos realizem as atividades sozinhos. O aluno protagonista é o que queremos.

    Utilize de jogos e brincadeiras - durante esse processo durante o processo usar ferramentas lúdicas e criativas ajudam no aprendizagem e desenvolvimento das crianças. É adequado que essas ferramentas sejam monitoradas e acompanhadas por um adulto e essa ludicidade compõe inúmeras possibilidades, contação de histórias, construção de jogos e brinquedos com materiais recicláveis, construção de fantoches, experiências científicas, experiências culinárias, etc.

  • Boa pedida

    Nova série infantil 'Ovinhos'  chega para alegrar as crianças isoladas

    (Foto: Reprodução)

    A apresentadora Sabrina Sato, mãe da pequena Zoe, sabe bem a importância de oferecer conteúdos de qualidade às crianças, principalmente nesse duro momento de isolamento social. Por isso, a sua produtora Sato Rahal e o Studio Ovinhos se engajaram na criação de uma animação especialmente voltada ao projeto Viva Personas, da Associação Viva e Deixe Viver. O resultado do trabalho, com participação dos cinco personagens do desenho infantil Turma do Ovinhos, pode ser conferido por todas as crianças e famílias a partir desta sexta-feira (14) no site Bisbilhoteca Viva (http://www.bisbilhotecaviva.org.br). 

    Impedidos de entrar nos 86 hospitais que frequentam regularmente, os 1,3 mil voluntários da Viva agora contam com apoio de personalidades para narrar histórias às crianças e jovens isolados nos quartos de hospitais ou de suas casas. Os Ovinhos escolheram a história "Ser Feliz", de Ricardo Valverde, para abordar temas como amor, felicidade, carinho e amizade. No desenho, a Turma do Ovinhos é composta pelo robozinho Senhor Valente e quatro bichinhos recém-nascidos e inseparáveis, que ainda não saíram totalmente de suas cascas: o patinho amarelo Bimbi, a peixinha roxa Lica, o jacarezinho verde Cecéu e a pintinha rosa Titi.
    Além da Turma do Ovinhos, as crianças ainda poderão se divertir com histórias contadas por personalidades como Antonio Fagundes, Giovanna Antonelli, Cláudia Raia, Jarbas Homem de Mello, Emicida, Sophia Abrahão, entre muitos outros.

    Clique aqui para ler esse post completo.

  • Crise

    Pesquisa mostra que 36% das mães paranaenses perderam o emprego durante a pandemia

    (Foto: Freepik)

    A pandemia por coronavírus provocou um embate no Brasil, manter uma quarentena rígida, ou adotar medidas mais flexíveis para limitar o impacto econômico da crise? O impacto já está sendo sentido; E a Famivita, em seu mais recente estudo constatou que 52% das mães com filhos pequenos perderam renda, de forma direta ou indireta, desde que a quarentena começou.

    Não bastasse a perda de renda, o estudo também constatou que 39% das mães perderam seus empregos durante a pandemia, incluindo as trabalhadoras informais. Para referência, antes da pandemia, pelo menos 53% das entrevistadas tinham um trabalho. Segundo a pesquisa, 36% das mães paranaenses perderam o emprego. 

    As grávidas também estão sofrendo com a crise, e 34% delas perderam seus empregos, desde que a pandemia começou. Até mesmo mulheres que não trabalhavam antes, acabaram perdendo renda de forma indireta, com a perda por parte de membros da família. E, outro ponto a ser considerado, é que até mesmo as participantes que ainda possuem emprego, acabaram perdendo renda.

    O estudo ainda aponta que, embora em Santa Catarina, somente 28% das mulheres tenham perdido o emprego, metade delas perdeu renda. A mesma coisa acontece no Rio Grande do Sul, 31% das participantes perderam o emprego, e 51% sofrem com perda de renda. Já no Amazonas os números são balanceados e 61% das entrevistadas perderam o emprego, e 58% renda. Em São Paulo, 33% das participantes perderam seus empregos, sendo que 49%, quase metade, perdeu renda. E no Rio de Janeiro, 35% perderam seus empregos, sendo que 45% perderam renda.

  • Para os pequenos

    Galinha Pintadinha anuncia nova live. Saiba todos os detalhes

    (Foto: Divulgação)

    Os pequenos fãs pediram e a Galinha faz sua segunda apresentação em 2 de julho, mantendo o formato inovador, que mistura teatro, fantoches, músicas de sucesso de seu repertório e ainda haverá uma festa surpresa para comemorar o aniversário do Pintinho Amarelinho

    A Galinha Pintadinha, fenômeno da internet e uma das marcas infantis mais queridas pela criançada, entrou na onda das lives, e o sucesso da sua primeira experiência levou seus pequenos fãs a pedirem mais. Ela prontamente os atendeu e fará sua segunda live no dia 2 de julho, quinta-feira, às 19 horas, no canal da Galinha Pintadinha Mini no YouTube.

    A personagem conta que vai novamente usar um formato inovador em relação ao que é normalmente apresentado em lives infantis, misturando teatro, arte de fantoches e audiovisual da Popó. “O público pode esperar, como no primeiro evento, muita diversão e músicas do repertório clássico da Galinha Pintadinha”, afirma Marcos Luporini.

    Clique aqui para ler esse post completo.

  • Pandemia

    Dia Mundial do Brincar: veja dicas para essa atividade que nunca foi tão necessária

    (Foto: Divulgação)

    No Dia Mundial do Brincar, celebrado em 28 de maio, o Hospital Pequeno Príncipe reforça a importância desse hábito. “Toda brincadeira, seja individual, coletiva, com o próprio brinquedo ou com materiais que tenham outras funções, permite que a criança possa, por meio da representação simbólica, criar situações imaginárias das quais podem surgir elaborações importantes para o seu desenvolvimento. O corpo está nessa dinâmica permitindo à criança a reflexão a partir do que é sentido no movimento, levando a descobertas de potencialidades até então nem imaginadas”, explica a coordenadora do Setor de Voluntariado da instituição, Rita Lous.

    Neste momento de prevenção e cuidados com a saúde, brincar é uma importante oportunidade de conexão também. Para estimular a criatividade em casa e reforçar os laços, a equipe do Setor de Educação e Cultura do Hospital Pequeno Príncipe preparou dicas de atividades e passatempos para os dias de isolamento social. Para conferir, basta acessar a página do Educ no Facebook (https://www.facebook.com/hppeduc).

    Clique aqui para ler esse post completo.

  • Dia Mundial do Brincar

    Iniciativa “Brincar é o melhor remédio” realiza semana de lives com recreação infantil

    (Foto: Divulgação/Assessoria de imprensa)

    Em meio à pandemia e ao isolamento social, realizar atividades educativas e recreativas para crianças ganhou um incentivo diferente. Com o objetivo de levar alegria para toda a família, até o dia 26 de maio, animadores e recreadores infantis de todo o País promovem uma semana de brincadeiras e atividades pedagógicas online. Contação de histórias, shows de personagens para os pequenos, gincanas temáticas e shows de mágica, são algumas das atividades da programação. Elas serão disponibilizadas gratuitamente, durante uma semana, e tem recreação para todas as idades.

    O presidente da Associação Brasileira de Recreação (ABRE) e diretor de recreação da plataforma de recreação Kiids Live, Cléber Junior, conta que as empresas do setor de todo Brasil se uniram e criaram o Movimento “Brincar é o melhor remédio”, sendo a Semana de Lives Infantis uma das ações promovidas pelo grupo.

    A ação foi organizada em comemoração ao Dia Mundial do Brincar (28/05) e também em homenagem aos profissionais da Saúde devido ao Dia Internacional da Enfermagem (12/05).

    “Nós vivemos um momento delicado para o mundo da recreação com muitos eventos cancelados e com uma visão de futuro ainda incerta. Mas também sabemos que os profissionais da Saúde, pela necessidade de trabalhar, também têm deixado suas crianças em casa, muitas vezes sem saber o que estão assistindo ou como estão se distraindo”, destaca Junior.

    Segundo ele, com o uso da hashtag #brincareomelhorremedio, os profissionais participantes criaram juntos um cardápio de atividades recreativas, que ficarão disponíveis e poderão ser encontradas futuramente pelos pais no Instagram. “Nossa missão é conectar a vontade à necessidade de brincar”, complementa.

    Com organização da plataforma de recreação Kiids Live, primeira e maior plataforma nacional de vídeo recreação com sede no Brasil, a Semana de Lives Infantis conta com apoio da Província Marista Brasil Centro-Sul (PMBCS), unidade administrativa do Instituto Marista que busca a formação de cidadãos éticos e solidários para a transformação da sociedade, com foco nos direitos de crianças e jovens.

    O diretor executivo da PMBCS, June Cruz, destaca que além de ser uma atividade recreativa, as atividades também são pedagógicas e de qualidade. “E a Missão Marista é justamente essa, educar, por isso, estamos apoiando a iniciativa. Especialmente neste momento nossos valores estão sendo colocados em prática sempre com o objetivo minimizar os efeitos da pandemia e do isolamento social em toda a sociedade, principalmente para profissionais da saúde e seus familiares, pessoas em situação de vulnerabilidade, e as crianças e jovens. Entendemos que a promoção de momentos como esses para as crianças e suas famílias é uma forma de realizar nossa Missão”, destacou.

    Iniciativas como SOS Vila Torres, Sangue Marista e Solidariedade que Aquece são algumas das ações que foram idealizadas pela Província Marista Brasil Centro-Sul com esse foco.


    Onde acompanhar a semana de brincadeiras online
    As lives estão sendo realizadas no perfil dos recreadores e as informações podem ser encontradas no perfil do Instagram da Kiids Live (@kiidslive). Pelo perfil é possível conferir a agenda de atividades por dias, horários e faixa etária indicada.


    Sobre a Província Marista Brasil Centro-Sul
    A Província Marista Brasil Centro-Sul (PMBCS) foi formada no ano de 2002, quando houve a junção da Província de Santa Catarina e a Província de São Paulo. A instituição atua em prol da missão Marista, que é ser farol que orienta e promove a vivência dos valores do Evangelho, do jeito de Maria, contribuindo para a formação de cidadãos éticos e solidários para a transformação da sociedade, com foco nos direitos de crianças e jovens. Saiba mais no site: marista.org.br.

  • Ajudinha

    5 links na internet para entreter crianças em tempo de isolamento



    Aliar o trabalho em casa e a atenção que as crianças exigem é uma das tarefas mais difíceis para os pais durante a pandemia do novo coronavírus. Apesar de muitas escolas e redes públicas de ensino realizarem aulas e enviarem tarefas on-line, o restante do tempo livre exige ainda muita atenção e criatividade dos adultos para passar um tempo de qualidade com as crianças, dentro de casa.

    A internet, nesse caso, tem sido uma excelente aliada. Mas diante de tantas opções disponíveis, não é tão fácil encontrar materiais apropriados para crianças. Por isso, com o auxílio de psicólogos e pedagogos do Sistema de Ensino Aprende Brasil, listamos cinco links recomendados para entreter crianças de todas as idades:

    1 - Desenhos para colorir
    No link http://www.jogosdecolorir.com.br/, é possível encontrar centenas de desenhos para imprimir e colorir. As imagens são divididas por categorias, como carros, natureza, personagens e outros temas. Além de colorir, também são disponibilizadas atividades de ligar os pontos. Para imprimir, é necessário possuir o programa Adobe Flash Player e uma impressora simples.

    2 - Livros digitais para crianças
    Uma série de livros infantis disponibilizada gratuitamente pelo Itaú que cabe na bolsa, no bolso e até na palma da mão: fica dentro do celular. Assim, dá para ler para uma criança em qualquer momento e em qualquer lugar. https://www.euleioparaumacrianca.com.br/livros/

    3 - Aprende em casa Brasil - Descobertas em tempo de quarentena
    E-book gratuito do Sistema de Ensino Aprende Brasil, com conteúdo inédito e foco pedagógico, indicado para crianças entre 6 e 10 anos de idade. Traz uma seleção de atividades lúdicas e pedagógicas, com ideias para manter crianças aprendendo e brincando no período de isolamento. Dentro do e-book é possível encontrar leituras, desafios, vídeos, receitas, atividades práticas, entre outros, todos priorizando o que se tem em casa. https://bit.ly/3bJARmC

    4 - Senninha
    O personagem Senninha, idealizado e lançado por Ayrton Senna em 1994, está cada vez mais forte nos meios digitais para se aproximar das novas gerações. Para fortalecer esse laço com o público infantil, o Instituto Ayrton Senna criou o site https://senninha.com.br/, com atividades para colorir, jogos e vídeos com histórias que divertem e ensinam ao mesmo tempo. Senninha é um menino de seis anos que sonha em ser piloto. Com o personagem, o tricampeão mundial de F-1 pretendia passar para as crianças alguns de seus valores. Além do carisma de Senninha, a marca é preferida por muitos pais por contribuir não somente com a educação dos seus pequenos, como também a de crianças de todo Brasil, uma vez que os royalties do personagem são revertidos para o Instituto Ayrton Senna. A instituição beneficia anualmente 1,8 milhão de alunos da rede pública no Brasil.

    5 - Divertudo
    Site infantil criado em 1999 por Evelyn Heine e Liliana Akstein, é um dos mais completos do país para a garotada, com conteúdo muito diversificado: jogos virtuais, brincadeiras, histórias, ilusões de ótica, quadrinhos, e-books, entrevistas com escritores, vídeos, adivinhas e charadas. A seção de jogos é a mais acessada. São mais de 80, dos mais diferentes estilos. Em segundo e terceiro lugar vêm as seções de ilusões de ótica (Será ilusão?) e brincadeiras (Baú de Brincadeiras). Além do site https://www.divertudo.com.br/, existe também o Blog Divertudo (http://blogdivertudo.blogspot.com), com dicas de redação, criação de cartazes e uma seção chamada “Como fazer”, com dicas variadas.

  • Ajuda

    5 atividades para fazer com as crianças na quarentena

    (Foto: Divulgação)

     Em um longo período com as crianças 100% do tempo dentro de casa, os pais têm que se reinventar para usar e abusar da criatividade a fim de oferecer atividades que não apenas entretenham os pequenos, mas que desenvolvam também suas habilidades psicomotoras. “Estamos enfrentando um momento delicado tanto para os pais, como para os filhos, que não entendem todo o cenário que estamos vivendo. Por isso, paciência e criatividade são algumas das chaves para ter sucesso nesta situação”, explica a psicóloga e criadora do canal TotoyKids, Isa Vaal.

    Para auxiliar os pais nessa tarefa, a psicóloga indica cinco atividades que podem ser feitas dentro de casa, com foco em crianças até 7 anos, para que junto das mamães, papais, todos possam se divertir juntos.

    Acompanhe:

    1 – Continue a história

    Esta atividade une o universo online ao offline. Para isso, separe alguns dos brinquedos favoritos do seu filho e algum trecho de filme, desenho ou história que ele goste. No canal TotoyKids, por exemplo, é possível encontrar diversos vídeos com diferentes enfoques. Dê o play, deixe que a criança assista, e em determinado ponto pause. Em seguida, peça para que a história seja continuada a partir dali com os próprios brinquedos. “Essa é uma atividade que desenvolve a imaginação e o pensamento lógico da criança, apontada como algumas das principais habilidades para este século”, afirma Isa Vaal.

    2 – Vista o personagem

    Para esta atividade, papelão, recortes de personagens, cola, papel sulfite, tesoura e lápis de cor são os materiais necessários.
    • 1º passo: Cole os personagens escolhidos sobre o papelão.
    • 2º passo: Recorte o papelão para que ele tenha a forma do personagem.
    • 3º passo: Coloque o personagem de papelão sobre a folha de sulfite e desenhe o contorno do corpo. Faça este contorno em quantas folhas achar necessário.
    • 4º passo: Deixe que a criança desenhe diferentes trajes para o personagem.
    • 5º passo: Recorte o desenho do papel sulfite, lembrando de deixar dois “ganchinhos” em cima para encaixar no papelão.

    “Esta atividade permite que os pais façam uma viagem ao passado e relembrem sua infância, ao mesmo tempo que se divertem e investem um tempo de qualidade com os filhos, estimulam a criatividade de modo lúdico”, conta a psicóloga.

    3 – Bateria de panela
    A ideia desta atividade é transformar itens básicos que já estão presentes nas casas em algo divertido. Separe uma panela para você e uma para a criança, assim como uma colher de pau para cada um. Faça sons e peça para que a criança os imite. Para deixar a brincadeira ainda mais divertida, utilize este vídeo como inspiração: https://www.youtube.com/watch?v=T1q3SJJTRf8. “Esta brincadeira desenvolve a coordenação motora dos pequenos e permite a integração entre pais e filhos”, revela Isa.

    4 – Artesanato de reciclagem
    Passando mais tempo em casa, a tendência é que mais lixo seja produzido. Com isso, uma saída para reutilizar esses itens é dar asas à imaginação dos pequenos e transformar esses materiais em arte. Separe caixas, garrafas e outros materiais que estejam destinados ao lixo, mas que possam ser utilizados. Junte a cola, tesoura, tinta, barbante, lápis de cor, canetas coloridas e outras ferramentas e deixe que os pequenos construam verdadeiras obras de arte. “Além de ganharem consciência ambiental sobre a questão da reciclagem, manusear estes materiais desenvolve a motricidade da criança”, explica a especialista.

    5 – Cante e dance em diferentes línguas
    Aproveite este tempo com os pequenos para aprender e ensinar em outras línguas. Use a internet para ouvir músicas e ver vídeos em diferentes idiomas com os pequenos, estimulando o aprendizado. Por exemplo, a música “Vírus Aqui Não”, da turma do TotoyKids, está disponível em português, inglês e espanhol. “Esta é uma ótima forma de ensinar as crianças, que principalmente até os 10 anos, têm mais facilidade para aprender, reter e desenvolver o conhecimento em novas línguas”, finaliza Isa Vaal.

    A coleção de vídeos do Totoykids pode ser acessada no link: https://www.youtube.com/channel/UCy7whoHQXzhYxp9AQmrPFVw

  • Elas merecem

    Projeto 'Você Importa' tem programação especial para as mães. Veja calendário

    (Foto: Reprodução)

    Em homenagem ao Dia das Mães, o projeto “Você Importa: cuidando de si e do outro” tem uma programação especial para todos os públicos com o objetivo de aproximar famílias e valorizar as mulheres. As lives e bate-papos serão realizadas às 14h e às 15h de terça (5) a sexta-feira (8). Na sexta também haverá um bate-papo entre alunos às 10h30.

    Clique aqui para ler esse post completo.

  • Baixe aqui

    Cartilha ajuda famílias na adaptação da rotina das crianças durante a pandemia

    (Foto: Divulgação)

    Da rotina familiar estabelecida ao caos. Será esta a nova realidade das famílias, frente a todas as mudanças tomadas para conter o contágio do novo coronavírus? Com este questionamento começa a cartilha desenvolvida por professores do curso de graduação e do Mestrado em Psicologia da Universidade do Vale do Itajaí (Univali), para auxiliar famílias a ajustarem a rotina durante o período de confinamento social.

    Os doutores Carina Nunes Bossardi, professora do curso de Psicologia e coordenadora do Mestrado em Psicologia da Univali; João Rodrigo Maciel Portes, coordenador do curso de Psicologia (Campus Itajaí) e do Mestrado em Psicologia da Univali; e Marina Menezes, docente do curso e do Programa de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) elaboraram a cartilha.
    No material, os autores propõem o diálogo e adequações que vão além das regras de sobrevivência e bem-estar físico. São novos acordos relacionados ao convívio familiar, com definição de funções, atividades e tarefas. Os psicólogos falam que a ideia de montar a cartilha surgiu a partir de relatos de mães, pais e de outros familiares, com o estresse e conflitos gerados a partir de situações como o aumento das atividades no home office e no home school.
    Em meio a este cenário, os pesquisadores sugerem o diálogo entre os membros da família, principalmente com as crianças, para ajudá-las a compreender e a significar os sentimentos diante das situações.Somente assim, será possível nomear e valorizar sentimentos e pensamentos, e reconhecer as próprias expectativas.

    “A Dona Quarentena veio e inventou uma nova forma para se jogar o jogo. Para jogar em família é preciso ter combinados, respeito e cooperação. Estacione na rigidez e avance dez casas na flexibilidade. Temos que ter muita atenção com todas as partes desse jogo para não cairmos no caos", alerta a professora Carina.
    Os autores acreditam que as tecnologias podem e devem ser utilizadas, com equilíbrio, em favor do acesso à informação, aprendizagem, comunicação e proximidade entre pessoas. Da mesma forma, outros recursos lúdicos e criativos auxiliarão no processo. Para eles, o momento pode, ainda, ampliar a relação e os vínculos entre a família e a escola.

    Na cartilha, os psicólogos indicam um instrumento para planejamento da rotina familiar, além de incluírem dica de livro e de filme. Sobre o conteúdo da cartilha, o professor João Rodrigo explica: “Podemos até chamar de dicas, mas gostaríamos que sempre considerassem que não existe um modelo que se encaixa da mesma forma em todas as famílias. Por isso, é importante refletir a partir da sua realidade e do que acredita, que faz sentido para você e para a sua família".

    A cartilha está disponível para baixar de forma gratuita AQUI.

  • Supimpa

    Crítico de cinema e confeiteira se juntam para lançar ebook gratuito com receitas da Disney para preparar na quarentena

    (Foto: Divulgação)

    Diz aí, quantas vezes você se pegou assistindo a um filme e pensou “eu queria comer aquilo ali que eles estão comendo”? Várias né? Ainda mais nas produções infantis, isso acontece com bastante frequência.

    Não são poucas as animações que trazem comidas em suas histórias. Algumas, como Ratatouille, têm a comida como tema principal, inclusive. Pois foi assistindo, gostando e sendo fã das animações da Disney que o crítico de cinema Flávio Jayme e a confeiteira Mariana Belão Gigliotti se uniram para criar o Disney’s Cookbook, um ebook com 15 receitas de produções da Disney.


    Entre inspirações e adaptações, algumas das receitas são originais e foram traduzidas do canal de receitas oficial da Disney.
    No ebook, distribuído gratuitamente em português e em inglês, pais e filhos poderão aprender a fazer receitas famosas das animações, como os beignets de Tiana em A Princesa e o Sapo, os cookies da Rapunzel em Enrolados, os bolinhos de espinafre do Kronk em A Nova Onda do Imperador, o espaguete com almôndegas de A Dama e o Vagabundo e até a “coisa cinza” de A Bela e a Fera e, claro, o Ratatouille que o ratinho Remy prepara no filme de mesmo nome. Ainda tem uma receita bônus vinda direto de um dos hotéis da Walt Disney World na Florida.


    Flávio Jayme é crítico de cinema há mais de 10 anos e Mariana Belão Gigliotti é confeiteira na cidade de Sarasota nos Estados Unidos. Ambos são curitibanos e fãs do universo Disney e uniram suas paixões para criar um ebook para pais e filhos se divertirem e se deliciarem neste período de isolamento social.


    Para baixar o ebook em português CLIQUE AQUI. 

  • Ainda dá bem

    Páscoa: seis brincadeiras para fazer com as crianças em casa

    (Foto: Divulgação)


    A Páscoa sempre foi um motivo para reunir a família e este ano não pode ser diferente. Devido ao isolamento social, as famílias vão precisar se reinventar e criar novas atividades para passarem o tempo juntos. A decoração da casa, brincadeiras temáticas e entrega dos ovos vão depender da inovação dos adultos, para que sejam momentos únicos.
    Pensando nisso, o Ventura Shopping reuniu diversas brincadeiras e oficinas infantis já praticadas em eventos do empreendimento, que podem ser feitas em casa com a família reunida, para exercitar a criatividade, coordenação e diversão.
    Para a gerente de marketing do empreendimento, Daniela Leal, “este é um momento de divertirmos os adultos e crianças de jeitos diferentes. Como não estamos promovendo nossos eventos em virtude da pandemia, queremos dar opções de entretenimento para serem feitas em casa e esta é uma forma de estarmos juntos”, explica.



    1- Chapéu de coelho
    Pedaços de cartolina podem ser transformados em coelhinhos para decorar a casa ou servir como um chapéu para divertir as crianças.
    Para montar o acessório, é preciso contar a cartolina em pedaços retangulares, dobrar em formato de cone e colar; e finalizar com olhos, boca, bigodes e as orelhas de coelho.

    2- Copo decorado
    Um simples copo descartável, quando bem decorado, pode transformar o ambiente nesta data comemorativa. Posicione o copo, pinte da cor que preferir e use a criatividade para colar os olhos, boca e orelhinhas de coelho. Para isso, os materiais utilizados podem ser algodão, barbante, cartolina ou até tinta guache.

    3- Ovos de barbante
    Seja para presentear com chocolate dentro ou servir como decoração para a casa, os ovos de barbante são ótimas opções lúdicas para brincar com a família. Misture pedaços de barbante com um pouco de cola e enrole nos balões, criando um emaranhado de fios. Deixe secar completamente e depois estoure os balões. Isso fará com que os barbantes fiquem colados e em formato de ovos de Páscoa.

    4- Varal de coelhos
    Para decorar qualquer ambiente, criar um varal com diversos desenhos de coelhos pode deixar o ambiente ainda mais animado. Imprima os desenhos em papel sulfite e chame as crianças para pintarem com lápis de cor. Depois cole os desenhos em pedaços de barbante e pendure em ambientes para decorar.

    5- Vídeos educativos
    Não tem como negar: crianças adoram ficar em frente à TV. Utilize o tempo em casa para passar vídeos educativos e temáticos para os pequenos. Canais infantis que contam histórias de forma lúdica e divertida, como Fafá Conta, Casa Cantante e Varal de História são ótimas opções.

    6- Entrega de ovos
    Por conta de quarentena, o comércio de muitas cidades está fechado. Não deixe que esse motivo desanime a entrega de ovos. Lojas como Chocolates Brasil Cacau e Cacau Show do Ventura Shopping estão fazendo entregas via delivery.

  • Pandemia

    Psicopedagoga dá dicas de como entreter as crianças durante o isolamento social

    (Foto: Divulgação)

    Neste momento pandêmico em decorrência do Covid-19, pais/ responsáveis se perguntam o que fazer com as crianças durante esse período de isolamento social. Entreter os pequenos nem sempre é tarefa fácil, afinal eles geralmente se movimentam bastante e cansam rapidamente dos brinquedos que têm em casa. Pensando nisso, a mestre em educação e psicopedagoga Ana Regina Caminha Braga traz dicas de como lidar com as crianças em casa nesta época.

    A psicopedagoga reforça que apesar do tempo livre, é importante frisar que esse momento não é férias e explicar, de forma lúdica, o que é o vírus e o porquê de as pessoas ficarem em casa e seguirem as regras de higiene e rotina de limpeza. Ela reforça ainda que é uma boa oportunidade para estimular a criatividade das crianças, criando novas atividades ou até mesmo resgatando as brincadeiras antigas. “Os pais/responsáveis devem aproveitar esse momento para passar mais tempo com seus filhos e estreitar os laços entre eles. E somando isso as atividades, terão um tempo de qualidade juntos, que além de entretê-los serão importantes para, desenvolvê-los social, cognitiva e emocionalmente."

    Ana Regina reforça que os responsáveis devem sugerir opções que vão além dos eletrônicos, “Uma boa recomendação são jogos interativos, de tabuleiro e livros. Atividades lúdicas que auxiliam na coordenação motora com recorte, colagens e pinturas também são alternativas. Ou para quem tem um quintal as atividades ao ar livre também são interessantes, como por exemplo, pular corda, pular elástico, brincar com tinta, gesso. Os pais devem usar a criatividade”.

    Além disso, os responsáveis também podem ensiná-los desde cedo a participar dos afazeres domésticos, dessa maneira, ninguém fica sobrecarregado. “Ensine o seu filho a tirar o lixo, guardar a louça e os brinquedos assim que terminar de brincar. As crianças também podem ajudar nos serviços de casa.”

     

    Crianças versus Home Office

     

    Uma das maiores dificuldades na quarentena é conciliar o home office com os filhos. O ideal é que os pais deixem claro o momento de trabalho, definindo um espaço exclusivo para ele. Outra dica da psicopedagoga Ana Regina é criar uma rotina igual quando se trabalhava fora, inclusive se vestindo como se fosse sair. “Dessa forma, fica mais claro na cabeça da criança que os pais/responsáveis estão realmente em horário de expediente. Se vestir com as roupas que costumavam usar no cotidiano, pois, por exemplo, se o adulto estiver em casa no home office trabalhando de pijama, pode ser que a criança não compreenda a mensagem ou o momento”.

    A psicopedagoga reforça ainda a importância de organizar uma rotina diária para as crianças, com horário de acordar, hora do café da manhã, das atividades matinais, almoço, descanso, hora do lanche, hora de estudo, hora da brincadeira em família, a hora de brincar sozinha e o momento de dormir. “Com uma rotina delimitada, o dia se torna mais produtivo e o tempo menos ocioso,” finaliza.