PSS

Bancada do PT pede providências ao Ministério Público sobre o edital para contratação de professores temporários

Veneri: bancada contesta exigência de que professores apresentem um vídeo para se habilitar ao certame
Veneri: bancada contesta exigência de que professores apresentem um vídeo para se habilitar ao certame (Foto: Dálie Felberg/Alep)

A exigência da Secretaria de Estado da Educação (SEED) para que candidatos ao Processo Seletivo Simplificado (PSS) para a contratação de professores apresentem um vídeo para se habilitar ao certame está sendo contestada pela bancada do PT da Assembleia Legislativa do Paraná por meio de Representação ao Ministério Público Estadual (MP-PR).

Entre os problemas apontados pelos deputados estão a impossibilidade da manutenção do vídeo na plataforma Youtube, o que pode ocasionar a exclusão dos candidatos, além da preocupação dos educadores com a própria privacidade, decorrente da necessidade de registro dos vídeos na plataforma.

“Nossa bancada vai protocolar uma Representação para que o Ministério Público intervenha nesse processo e que a exigência da gravação desse vídeo pelo candidato seja revogada. São 30 mil candidatos, o que daria milhares de horas de vídeo para avaliação. Quem vai avaliar esses vídeos?”, questionou o deputado Tadeu Veneri, líder da bancada petista. “Primeiro a SEED pede uma prova, depois exige que todos os anos o candidato pague uma taxa e agora esse vídeo para mostrar se o professor tem expressão facial para dar aula. Isso é um absurdo. Não há sentido em estabelecer esse método”, completou.

“Esta situação é muito preocupante, por isso decidimos levar ao conhecimento do Ministério Público para que o órgão tome as providências cabíveis, considerando tanto os problemas técnicos relatados pelos candidatos, bem como eventual afronta à privacidade e aos direitos fundamentais de personalidade dos candidatos”, finalizou.