Publicidade
Política em Debate

Acordo

Acordo

Nos bastidores do Centro Cívico, o comentário corrente ontem era de que o governador Beto Richa (PSDB) teria fechado um acordo com o grupo do ministro da Saúde, Ricardo Barros (PP), pelo qual concordaria em renunciar ao cargo em abril para disputar o Senado, e com isso, abrir caminho para que a esposa de Barros, a vice-governadora Cida Borghetti (PP), assuma o comando do Palácio Iguaçu e concorra à reeleição. Em troca, a nova governadora assumiria o compromisso de manter pessoas de confiança de Richa em postos chave na nova administração.

Afastamento
Caso o acordo se confirme, Cida Borghetti será a candidata oficial do grupo governista. Com isso, o deputado estadual e também pré-candidato ao governo, Ratinho Júnior (PSD), se afastaria de Richa para disputar a eleição como candidato independente, apesar de integrar a base aliada. A dúvida é como ficará o comportamento do bloco PSD-PSC – comandato por Ratinho Jr – e que tem a maior bancada na Assembleia Legislativa, com 14 deputados. Cida Borghetti terá que compor uma nova maioria no Legislativo, para conseguir a aprovação de seus projetos, sem esse bloco.

Aproximação
Há quem aposte em uma aproximação entre Ratinho Jr e o ex-senador e igualmente pré0candidato ao governo, Osmar Dias (PDT). Na semana passada, os dois se encontraram e trocaram afagos em uma exposição agropecuária em Cascavel. Ratinho Jr chegou a comentar em entrevista a uma TV local que Osmar seria uma fera quando o assunto é o agronegócio, o que aumentou as especulações sobre a possibilidade de um acordo entre os dois.

Fora do páreo
O deputado federal paranaense, Alex Canziani (PTB), nega ter sido convidado para assumir o Ministério do Trabalho, no lugar da deputada federal Cristiane Brasil (PTB/RJ), que teve a nomeação suspensa pela Justiça. Após conversar com colegas deputados, prefeitos, vereadores, lideranças da minha base, minha família e outras pessoas, se o mesmo ocorresse eu não aceitaria, explica o parlamentar. Embora seja um orgulho pessoal e uma honra ser Ministro de Estado do meu País, não seria correto, com o governo e com o povo, tomar uma posição neste sentido, uma vez que sou pré-candidato nas próximas eleições e não teria cabimento assumir para sair em pouco mais de 40 dias, afirma Canziani.

Contratação
O ex-prefeito de Formosa do Oeste (região Oeste), José Machado Santana (PMDB) e um ex-diretor do Departamento Municipal de Administração e Finanças do município foram condenados por ato de improbidade administrativa. Eles tiveram os direitos políticos suspensos por três anos e devem pagar multa. A decisão judicial atende ação civil pública do Ministério Público.

Assessoria
Na ação, o MP relata que o eprefeito incorreu em ato de improbidade por ser responsável pela contratação indevida de assessoria para desempenhar funções inerentes ao cargo de contador – função que deveria ser preenchida por servidor contratado por concurso público. O ex-diretor foi quem solicitou o serviço. A Justiça acatou a argumentação do MP e determinou a condenação dos dois por improbidade. A multa foi estipulada no valor de cinco vezes a última remuneração recebida pelos réus à época, com correção monetária.

Teto de gastos
Levantamento do site Contas Abertas aponta que os recursos do Orçamento federal para 2018, para segurança e educação no trânsito, de R$ 795,9 milhões estão no menor nível desde 2008.
Além disso, cerca de 95,8% dos recursos não serão utilizados e irão auxiliar na redução do déficit primário. Do total autorizado para o Fundo, R$ 762,3 milhões estão alocados na chamada Reserva de Contingência.

Publicidade