Campeonato Brasileiro

Athletico toma gol no último lance e perde para o Ceará fora de casa

(Foto: Felipe Santos/CearaSC.com/ Divulgação)

O Athletico não resistiu. Com um gol sofrido no apagar das luzez, em lance com muita reclamação do lado rubro-negro por conta do tempo de acréscimo, a equipe paranaense, que entrou em campo poupando diversos titulares, acabou derrotada neste sábado (17 de julho) por 1 a 0 pelo Ceará, na Arena Castelão. O solitário gol da vitória do Vôzão foi marcado por Wendson, aos 53 minutos da etapa final, após uma cobrança de escanteio.

LEIA MAIS: Antônio Oliveira reclama da arbitragem: 'O Athletico hoje não foi respeitado'

LEIA MAIS: Goleiro Bento opera milagre e é o principal destaque do Furacão na Arena Castelão. Confira as atuações

O resultado impede o Furacão de retornar ao G4 do Brasileirão. O clube estaciona em 20 pontos e aparece na quinta colocação. O Ceará, por outro lado, sobe para o sexto lugar, com 18 pontos em 12 jogos (tem uma partida disputada a mais que o clube paranaense).

Na próxima terça-feira (20 de julho) o Athletico volta a campo para receber o América de Cali na Arena da Baixada, na partida de volta pelas oitavas de final da Copa Sul-Americana. O Vozão, por sua vez, só volta a jogar no domingo (25), às 20h30, contra o Sport, na Ilha do Retiro.

ESCALAÇÕES

Por conta do desgaste físico de atletas considerados titulares e de desfalques como Marcinho (suspenso), Santos e Abner (na seleção olímpica), o técnico português Antônio Oliveira promoveu diversas alterações na escalação e também no esquema tático do Furacão, em relação à vitória por 1 a 0 diante o América de Cali, na Colômbia, pela Copa Sul-Americana.

No meio de semana, o clube paranaense havia jogado no 3-4-3-, com Pedro Henrique, Thiago Heleno e Zé Ivaldo na zaga e Nikão, Terans e Vitinho fazendo o trio de ataque. Sem o General, poupado, a solução foi apostar num 4-2-3-1, com as saídas de Thiago Heleno, Richard, Nikão, Terans e Vitinho para as entradas de Christian, Carlos Eduardo, Jádson, Márcio Azevedo e Renato Kayzer.

No Ceará, os desfalques eram os atacantes Stiven Mendonza e Jael, o volante e lateral Gabriel Dias (todos suspensos) e o meia Jorginho (além de suspenso, impedido de jogar por uma questão contratual - ele pertence ao Athletico e está emprestado ao Vozão). Com isso, Vina, Lima e Cléber ganharam espaço e foram as novidades em relação ao empate em 2 a 2 contra o Cuiabá, no último domingo..

PRIMEIRO TEMPO

Jogando em casa, o Ceará buscou ter mais ímpeto na partida e, ao longo do primeiro tempo, finalizou mais que o Athletico (10 x 2) e teve um pouco mais de posse de bola (53,4% x 46,6%). As chances de gol na Arena Castelão, no entanto, foram poucas e só surgiram a partir do último terço da etapa inicial.

Aos 35 minutos, o atacante rubro-negro Carlos Eduardo botou o goleiro Richard, ex-Paraná, para trabalhar em chute da entrada da área. O lance também acordou o time alvinegro que na sequência, aos 37 e aos 38 minutos, teve duas grandes oportunidades em sequência. No primeiro lance, Rick disparou desde antes do meio de campo, passou por três marcadores e chutou bem colocado de fora da área, obrigando grande defesa de Bento. Em seguida, após a cobrança de escanteio, a bola bateu e rebateu na área athletica e sobrou limpa para Cléber chutar a queima-rouá. Bento, de novo ele, operou um verdadeiro milagre, mantendo o zero no placar.

SUBSTITUIÇÕES

Aos poucos, o Athletico foi colocando em campo o que tem de melhor em seu elenco. A primeira substituição veio aos 9 minutos do segundo tempo, quando Vitinho substituiu Márcio Azevedo; aos 21, Nikão e Terans entraram nos lugares de Carlos Eduardo e Jádson; e já no final do jogo, aos 40 minutos, Renato Kayser deixou o campo para a entrada de Renato Kayser.

No Ceará, Yoni González substituiu Rick aos 18 e, dez minutos depois, Kelvyn ganhou uma chance na vaga de Marlon. Aos 39, três mudanças de uma vez: Wendson, Cristiano e Pedro Naressi entraram nos lugares de Vina, Cléber e Fernando Sobral.

SEGUNDO TEMPO

O segundo tempo já começou com emoção, com Cléber, logo no primeiro minuto, mandando um chute muito bem colocado de longe da área. Bento resvalou na bola, que ainda explodiu no travessão.

Assim como na etapa inicial, o Athletico, de início, ficou mais tempo em seu próprio campo, se defendendo. O Ceará aproveitou e teve mais uma chance para abrir o placar aos 18 minutos, com Vina.

A partir da entrada de um maior número de titulares do time paranaense em campo (especialmente após Terans e Nikão irem pro jogo), o Furacão passou a controlar mais as ações, a ter mais posse de bola e volume ofensivo. O domínio rubro-negro, no entanto, não foi convertido em chances de gol.

O POLÊMICO ACRÉSCIMO

Com a partida já se encaminhando para o fim, o árbitro Marielson Alves Silva assinalou seis minutos de acréscimo. A partida, portanto, iria até o 51º minuto, em princípio. Aos 50, porém, o Ceará conseguiu uma cobrança de falta muito perto da área atleticana. Após dois minutos de relcmação, discussões e empurra-empurra, a falta finalmente foi cobrada, desviando na barreira e saindo em escanteio.

O Athletico pedia o final do jogo, que já entrava no 53º minuto, mas o juiz mandou o escanteio ser batido. E o gol finalmente saiu, marcado por Wandson em lance muito parecido, mas dessa vez sem o milagre de Bento, como aos 38-1º: cobrança de escanteio, o desvio de Messias pelo alto e a bola sobrando para o atacante do Ceará, livre na pequena área.

NÚMEROS DO JOGO

Ao final da partida, o Ceará somava mais posse de bola (53%) e mais chutes a gol (21 x 9) que o Athletico. Em termos de chances claras, a equipe cearense também levou vantagem, com dois lances de bola parada, aos 38-º e aos 53-2º, quando o placar foi finalmente inaugurado na Arena Castelão.

CEARÁ 1 x 0 ATHLETICO

Ceará: Richard, Buiú, Messias, Gabriel Lacerda e Bruno Pacheco; Marlon (Kelvyn), Fernando Sobral (Pedro Naressi) e Vina (Wendson); Rick (Yony González), Lima e Cléber (Cristiano). Técnico: Guto Ferreira
Athletico: Bento; Khellven, Pedro Henrique, Zé Ivaldo e Nicolas; Christian e Léo Cittadini; Carlos Eduardo (Nikão), Jádson (Terans) e Márcio Azevedo (Vitinho); Renato Kayzer (Matheus Babi). Técnico: António Oliveira
Gol: Wendson (53-2º)
Cartões amarelos: Marlon, Buiú, Cristiano e Lima (C); Vitinho, Nikão e Léo Cittadini (A)
Árbitro: Marielson Alves Silva (BA)
Local: Castelão, em Fortaleza, sábado às 17 horas

PRINCIPAIS LANCES

Primeiro tempo

1 - Bruno Pacheco escapa pela esquerda e cruza para Rick, bem posicionado dentro da área. O atacante, porém, domina mal e dá a chance da zaga rubro-negra afastar o perigo.

11 – Lançamento de Pedro Henrique para Jádson. O atacante segura a bola perto da área e rola para Carlos Eduardo, que chuta forte de dentro da área, longe do gol.

19 - Ceará pressiona e rouba a bola no ataque. Buiú cruza para a área e Cléber cabeceia para fora, longe do gol.

25 – Passe para Christian na entrada da área. Ele deixa a bola passar por entre as pernas, engana Messias e invade a área. Já perto da pequena área o zagueiro se recupera e trava a finalização..

31 – Marlon recebe a bola na intermediária e arrisca um chute de muito longe, que sai sem força. Bento faz uma defesa tranquila.

35 - Carlos Eduardo recebe na intermediária, avança com liberdade e chuta forte da entrada da área. Richard faz grande defesa.

37 - Rick escapa do primeiro marcador pouco antes do meio de campo, pela esquerda, e dispara pelo meio de campo. Ele deixa mais dois defensores para trás e chuta de fora da área. Bento se estica todo e espalma a bola.

38 - Cobrança de escanteio, Messias desvia de cabeça, a bola bate num defensor e sobra limpa para Cléber, que finaliza de primeira dentro da pequena área. O goleiro Bento se atira na frente da bola e faz uma defesa milagrosa.

Segundo tempo

1 – Cléber escapa pela intermediária e, com liberdade, arrisca um chute de muito longe. Bento resvala na bola, que ainda explode no travessão.

18 – Fernando Sobral divide com Nicolas na entrada da área e a bola sobra para Vina, dentro da área e de frente para o gol. O meia chuta forte, ao lado do gol.

26 – Terans recebe na direita e chuta de fora da área, ao lado do gol.

47 - Wendson chuta colocado da entrada da área e a bola passa por cima do gol, perto do travessão.

52 - Cobrança de falta da entrada da área. A bola desvia na barreira e sai em escanteio.

53 - Gol do Ceará! Cobrança de escanteio para dentro da área, Messias desvia e a bola sobra para Wendson, dentro da pequena área, só empurrar pro gol.