Ceará 1 x 0 Athletico

Goleiro Bento opera milagre e é o principal destaque do Furacão na Arena Castelão. Confira as atuações

(Foto: Fabio Wosniak / site oficial do Athletico)

O Athletico acabou derrotado na noite deste sábado (17 de julho) pelo Ceará, na Arena Castelão. Atuando com um time misto, o time comandado por Antônio Oliveira, teve uma atuação irregular, produzindo pouco no ataque e sofrendo na marcação, especialmente nos lances de bola parada. A partir da segunda etapa, com a entrada de jogadores titulares como Nikão, Vitinho e Terans, o time até cresceu de produção, passou a controlar a partida, mas se distraiu no fim do jogo e acabou castigado.

O principal destaque athleticano foi o goleiro Bento, de 22 anos. Ele não teve culpa no gol sofrido pelo Furacão, fez duas boas defesas e ainda operou um verdadeiro milagre, aos 38 minutos do primeiro tempo.

LEIA MAIS: Athletico toma gol no último minuto e perde para o Ceará fora de casa

LEIA MAIS: Antônio Oliveira reclama da arbitragem: 'O Athletico hoje não foi respeitado'

CONFIRA AS ATUAÇÕES DO ATHLETICO

Bento (7,0)
Não teve culpa no gol sofrido, fez duas boas defesas e um milagre, aos 38-1º.

Khellven (6,0)
Sempre com boa presença ofensiva e não comprometeu lá atrás.

Pedro Henrique (6,0)
Seguro nas bolas por baixo, mas não conseguiu se sair tão bem nas jogadas aéreas.

Zé Ivaldo (6,0)
Atuação regular e, num geral, segura. Bem na saída de bola, também.

Nicolas (6,0)
Teve dificuldade na marcação em alguns momentos. Atuação mediana.

Christian (6,5)
Apareceu muito perto da área no 1º tempo. Faltou calibrar o pé.

Léo Cittadini (6,0)
Boa precisão nos passes, mas não conseguiu contribuir muito na fase defensiva.

Carlos Eduardo (6,0)
Foi a principal válvula de escape do time no 1º tempo, mas faltou pontaria e constância.

Nikão (6,0)
Entrou aos 21-2º e ajudou o time do Athletico a crescer e controlar a partida

Jádson (6,0)
Teve um bom início de jogo, mas depois pouco apareceu até ser substituído.

Terans (6,5)
Entrou aos 21-2º e já chamou o jogo para si, armando o time e tentando finalizar.

Márcio Azevedo (6,0)
Criou pouco no setor ofensivo, mas teve uma boa prestação e entrega defensiva e tática.

Vitinho (6,0)
Entrou aos 9-2º. Tentou uma ou outra jogada, mas pouco produziu efetivamente.

Renato Kayzer (5,5)
Isolado no ataque, praticamente não teve chance de aparecer na partida.

Matheus Babi (S/N)
Entrou aos 40-2º. Pouco tempo em campo. Sem nota.