Publicidade
Libertadores

Athletico viaja para a Argentina com três desfalques na lista. Veja a provável escalação

O Athletico Paranaense viajou para a Argentina na tarde dessa quarta-feira (dia 8). Nesta quinta-feira (dia 9) às 21h30 (horário de Brasília), enfrenta o Boca Juniors, na Bombonera, pela sexta e última rodada da fase de grupos da Copa Libertadores. O time brasileiro lidera o Grupo G e já está classificado. Agora, joga para garantir a primeira colocação da chave. O jogo será transmitido ao vivo pelo Facebook.

Quem terminar em primeiro lugar do grupo terá duas vantagens. A primeira é ficar no pote 1 do sorteio das oitavas. Os clubes desse lado enfrentarão as equipes do pote 2 nas oitavas. Além disso, a pontuação da fase de grupos serve para a definir os mandos de campo até a final — o jogo de volta é no estádio da equipe com melhor pontuação.

O Boca ainda não está matematicamente classificado para as oitavas, mas só perde a vaga com uma combinação bizarra de resultados. O time argentino garante a primeira posição do Grupo G se vencer nesta quinta-feira. Clique aqui para saber mais sobre o clube argentino.

DESFALQUES
Os desfalques na delegação do Athletico são o zagueiro Thiago Heleno, o volante Camacho e o lateral Madson. Os três estão em recuperação no departamento médico. O lateral-direito Khellven poderia ser uma opção para esta partida, mas ele está com a seleção brasileira sub-18 e não foi inscrito pelo clube na Libertadores.

ESQUEMAS TÁTICOS
A escalação do Athletico para enfrentar o Boca é mistério. O técnico Tiago Nunes vem usando o 4-1-4-1 quando o time está sem a bola. Com a bola, manteve o mesmo formato de 2018, com um 3-4-3. Nesse caso, o volante recua e forma a linha de três com os dois zagueiros. Os dois laterais avançam ao mesmo tempo, formando uma linha de quatro para apoiar os três atacantes. Em 2018, o Athletico usou o 4-4-2 para se defender. Em 2019, também adotou esse formato em algumas partidas e em partes de outros jogos.

Contra a Chapecoense, no último domingo, e em certos momentos de alguns jogos, Tiago Nunes também formou o Athletico para se defender no 5-4-1 e para atacar no 3-4-3.

A tendência é que o Athletico use o 3-4-3 para atacar o Boca. Na fase sem a bola, pode variar do 4-1-4-1 para o 4-4-2. Sem Thiago Heleno, a tese de iniciar no 5-4-1 perde força, mas ainda é uma alternativa viável para tentar bloquear as duas principais forças do Boca na Bombonear: jogada pelas pontas e infiltração na área. A tendência é que os argentinos tentem “povoar” a área com dois centroavantes (Abila e Benedetto) e mais a infiltração de bons finalizadores (Tevez e Zárate).

ESCALAÇÃO
A provável escalação do Athletico para enfrentar o Boca é Santos; Jonathan, Paulo André, Léo Pereira e Renan Lodi; Wellington; Bruno Guimarães, Lucho González, Nikão e Rony; Marco Ruben. Se mudar para o 5-4-1, a tendência é que Wellington perca a posição para o zagueiro Robson Bambu. No meio-campo, Lucho González disputa posição com Tomás Andrade e Léo Cittadini.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES