Publicidade
Atentado

Bolsonaro é esfaqueado em ato de campanha em Minas Gerais. Veja vídeos

(Foto: FÁBIO MOTTA/ESTADÃO CONTEÚDO)

Um ato de campanha do candidato do PSL à Presidência, Jair Bolsonaro, foi interrompido na tarde desta quinta-feira (6), em Juiz de Fora (MG), após um tumulto generalizado. O presidenciável foi esfaqueado na região do tórax. Bolsonaro foi levado para o hospital e o autor do atentado foi preso em flagrante. O homem, identificado como Adelio Bispo de Oliveira, 40, foi levado para a superintendência da Polícia Federal na cidade mineira. Ele confessou o crime.

O candidato foi atendido no hospital Santa Casa de Misericórdia de Juiz de Fora (MG). Ele passou por um procedimento cirúrgico, de acordo com o hospital. A Santa Casa divulgou nota na qual informa que o presidenciável sofreu uma "uma lesão por material perfurocortante na região do abdômen" e, às 17h50, foi submetido a cirurgia. Por volta das 19h, segundo a GloboNews, a cirurgia acabou e o candidato foi encaminhado ao Centro de Terapia Intensiva (CTI).

Segundo boletim médico, divulgado pela GloboNews às 18 horas, Bolsonaro teve uma lesão na artéria mesentérica, que foi costurada e resolvida. Também teve tres lesões no intestino grosso, já resolvidas. Ele está estável e fora de risco. Os médicos estudam fazer um procedimento chamado "ileostomia", que significa utilizar uma bolsa ligada ao intestino delgado para drenar líquido intestinal. O procedimento ainda não foi confirmado. O político passou por um exame de laparotomia exploradora, com imagens que revelam eventuais danos. De acordo com a Globo News, ele recebeu duas bolsas de sangue. 

"O paciente Jair Messias Bolsonaro deu entrada no hospital por volta das 15h40 com uma lesão por material perfurocortante na região do abdômen. Ele foi atendido na urgência, passou por um exame de ultrassonografia e agora está no Centro Cirúrgico", diz a nota publicada em site oficial do hospital. 

Autor do atentado confessou o crime 

Adelio Bispo é natural de Montes Claros, no Norte de Minas Gerais. De acordo com registro no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), foi filiado ao PSOL de Uberaba (MG) entre 2007 a 2014. Em um perfil no Facebook, faz críticas à maçonaria, aparenta ser evangélico e aparece em manifestações. O único elogio a político é em favor do ex-deputado federal Enéas Carneiro (PR), que morreu em 2007. Ele também publicou imagens de pessoas que defendem a liberdade do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, preso no âmbito da Operação Lava Jato.

Oliveira também indicou ter frequentado uma escola de tiros em Santa Catarina recentemente.  Ele esteve no Clube e Escola de Tiro.38, em Florianópolis. De acordo com o Estadão, o clube, especializado em treinamento com arma de fogo, confirmou a presença de Oliveira, mas não informou que tipo de serviço ele utilizou. A escola realiza cursos de tiro programados, com instrutor e atendimento individualizado. 

Milhares de pessoas comentaram as fotos públicas do perfil, com ofensas, críticas e algumas piadas. Juliano Medeiros, presidente nacional do PSOL, afirmou que o fato de o homem já ter sido filiado não muda em nada a posição da sigla. O partido divulgou nota condenando o ataque a Bolsonaro.

Bolsonaro passa por procedimento em hospital após ser atingido por facada

Candidatos a presidente repudiam ataque contra Bolsonaro

Polícia divulga retrato e nome do agressor de Bolsonaro

Após Bolsonaro ser esfaqueado,Gleisi diz que ´nada se resolve na violência´

No momento da confusão, Bolsonaro estava sendo carregado nos ombros por um apoiador de sua campanha, fazendo corpo a corpo com eleitores, na região do Parque Halfald. Um vídeo mostra o momento exato em que o candidato é atacado.

Veja os vídeos

 

 

 

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES