Campeonato Brasileiro

Coxa faz gol relâmpago, mas vacila e cede virada ao Ceará: 'Está ficando feio', diz Giovanni Augusto

(Foto: Felipe Santos / cearasc.com)

Até há pouco tempo, uma das principais reclamações do torcedor coxa-branca com relação ao trabalho do técnico Jorginho era a falta de ofensividade da equipe do Coritiba. Na noite deste sábado (24 de outubro), entretanto, o que se viu na partida entre Ceará e Coxa, na Arena Castelão, foi uma partida verdadeiramente eletrizante. Ao todo, foram 29 finalizações a gol (15 para os cearenses e 14 para os paranaenses) em 90 minutos, com três gols marcados, gol anulado, bola na trave… E mais uma derrota do Coxa, por 2 a 1. Em suma, a equipe do técnico Jorginho jogou como nunca (ou como quase nunca), mas perdeu como tem acontecido frequentemente, desperdiçando grande oportunidade de somar ao menos um ponto fora de casa.

O gol que inaugurou o marcador saiu com menos de dois minutos de partida, com o jovem atacante Rodrigo Muniz aproveitando erro do zagueiro Eduardo Brock para abrir o placar e colocar o Coritiba em vantagem.

A alegria do time do Alto da Glória, contudo, durou pouco e aos oito minutos o meia-atacante Vinícius igualou o marcador. Já a virada veio na etapa final, aos seis minutos, com o lateral Eduardo: 2 a 1.

LEIA MAIS: Coritiba faz boa exibição, mas peca nos momentos-chave. Confira as atuações individuais

ENTREVISTA PÓS-JOGO: Jorginho se diz ‘tranquilo’ quanto ao seu trabalho e lamenta que jogadores não estão ‘tomando a decisão certa’.

Estacionado nos 16 pontos após 18 rodadas, o Coxa é superado pelo Bragantino (que venceu mais cedo o Goiás por 2 a 0) na tabela e agora ocupa a vice-lanterna do Brasileirão. Já o Ceará, com a vitória, chega aos 22 pontos e salta para oitava colocação.

No próximo sábado (31), o time alviverde volta a campo para encarar o Atlético-GO, no Couto Pereira, em partida que encerra a participação do clube no primeiro turno do campeonato. Não há, contudo, mais chance de o grupo alcançar o que o técnico Jorginho havia estipulado como meta, que era fechar a primeira metade do Brasileiro com ao menos 20 pontos.

Escalações

Precisando do resultado fora de casa, o técnico Jorginho promoveu três mudanças no time titular do Coxa. Na lateral-direita, a opção foi por improvisar o volante Matheus Sales na vaga que era de Natanael, abrindo espaço para a entrada de Matheus Bueno no meio de campo. Na zaga, o time alviverde contou com o retorno de Sabino, que ficou de fora da partida contra o Santos por força de contrato.

Já no Ceará, o técnico Guto Ferreira poupou quatro jogadores: Rafael Sóbis, Fabinho, Bruno Pacheco e Tiago. Enquanto o Coritiba teve a semana inteira para se recuperar e treinar (a última partida havia sido no sábado passado, com derrota por 2 a 1 diante do Santos) para o jogo de hoje, o time cearense havia enfrentado o Fluminense (empate em 2 a 2 no Rio de Janeiro também no sábado) e voltou a campo na quarta-feira (perdeu por 1 a 0 o clássico decisivo contra o Fortaleza, amargando o vice-campeonato do Campeonato Cearense). Na próxima quarta-feira, ainda encara o Santos na Vila Belmiro pelas oitavas de final da Copa do Brasil, competição da qual o Coxa foi eliminado ainda na Primeira Fase, pelo Manaus (derrota por 1 a 0 na Arena da Amazônia).

O Jogo

A partida em Fortaleza teve um início eletrizante. Com apenas 12 segundos veio a primeira finalização, com Fernando Sobral, do Ceará. Instantes depois, o primeiro gol, para o Coritiba: a zaga do time da casa tentou trocar passes perto da área, Eduardo Brock, ex-Paraná, se atrapalhou todo e acabou entregando para o jovem atacante Rodrigo Muniz, que não desperdiçou e colocou os visitantes em vantagem.

A alegria paranaense, contudo, durou pouco. Aos oito minutos, Léo Chu avançou com liberdade pela esquerda do ataque, invadiu a área e deu passe na medida para Vinícius aparecer bem nas costas da zaga, quase embaixo da trave, e só empurrar para o fundo da rede: 1 a 1.

Nos minutos seguintes, o Coritiba criou duas boas chances e o Ceará também teve mais duas oportunidades – com uma bola na trave aos 21 minutos. Na primeira metade da etapa inicial foram seis chutes a gol no total (três para cada lado), com equilíbrio na posse de bola (48% para o Vozão e 52% para o Coritiba).

Aos poucos, porém, os cearenses foram ganhando o domínio da partida e, até o final da etapa inicial, tiveram mais duas chances de marcar. Ao todo, foram 14 finalizações a gol no primeiro tempo (10 do time mandante e quatro do visitante), com o time paranaense até apresentando maior posse de bola (56%), mas passando a maior parte do tempo no seu próprio campo, com dificuldades para chegar até o último terço do campo.

Na volta do intervalo, uma mudança em cada lado, com Nathan no lugar de Yan Sasse no time alviverde e Fabinho substituindo Pedro Naressi pelo lado alvinegro.

Logo aos seis minutos, a virada. Em mais um cruzamento para a área, Cléber apareceu na pequena área, cabeceou no travessão e, no rebote, Eduardo chegou batendo de primeira para estufar a rede: 2 a 1 para o Ceará.

Precisando desesperadamente pontuar, o Coxa se lançou ao ataque e iniciou uma verdadeira blitz pelo gol de empate. Entre o oitavo e o 18º minuto da etapa final foram seis chances para empatar, mas o gol não saiu.

O técnico Jorginho ainda tentou mudar o cenário da partida com as entradas do atacante Ricardo Oliveira (aos 15), dos pontas Cerutti (aos 29) e Gabriel (aos 33) e do meio-campista Ramón Martínez (aos 33), mas não rolou.

'Está ficando feio'

Em 18 jogos no Campeonato Brasileiro, o Coritiba deixou o campo amargando uma derrota em 10 oportunidades. É a equipe que mais vezes foi batida na competição nacional, o segundo pior ataque (com 15 gols, a frente apenas do Athletico, com 12) e a quinta pior defesa (com 24 tentos sofridos). Não à toa, amarga a vice-lanterna.

“Está ficando feio. Não tem como falar pro torcedor que vai fazer um grande jogo, quando tem a oportunidade a gente não consegue. É chamar a responsabilidade, não tem outra situação a não ser trabalhar”, disse na saída do campo o meia Giovanni Augusto.

FICHA TÉCNICA

Ceará 2 x 1 Coritiba

Ceará: Fernando Prass; Eduardo, Luiz Otávio, Eduardo Brock e Alyson; Pedro Naressi (Fabinho), Charles, Fernando Sobral (Lima), Vinícius (Wescley) e Léo Chu (Kelvyn); Cléber (Saulo Mineiro). Técnico: Guto Ferreira
Coritiba: Wilson; Matheus Sales, Nathan Silva, Sabino e William Matheus; Matheus Bueno (Ramón Martínez), Matheus Galdezani (Gabriel), Yan Sasse (Nathan), Giovanni Augusto e Robson (Cerutti); Rodrigo Muniz (Ricardo Oliveira). Técnico: Jorginho
Gols: Rodrigo Muniz (2-1º), Vinícius (8-1º), Eduardo (6-2º)
Cartões amarelos: Pedro Naressi, Charles, Alyson (CEA);
Árbitro: Felipe Fernandes de Lima (MG)
Local: Arena Castelão, em Fortaleza, sábado (24/10) às 19 horas

PRINCIPAIS LANCES

Primeiro tempo

1 - Fernando Sobral avança pelo meio, da intermediária até perto da área, e arrisca um chute de longe. A bola passa ao lado do gol.

2 – Gol do Coritiba! Luiz Otávio recua para Eduardo Brock. O zagueiro tenta o passe na área, mas fura e entrega para Rodrigo Muniz, que aproveita e dá o toque na saída de Fernando Prass para abrir o placar

8 – Gol do Ceará! Léo Chu desce pela direita da defesa coxa-branca, invade a área e cruza rasteiro para Vinícius, que aparece por trás da zaga na segunda trave e só empurra para o gol.

10 - Cobrança de escanteio de Vinícius. A bola vai direto para o gol me Wilson tira com um soco, evitando o gol olímpico.

14 – Lançamento de Giovanni Augusto para a área do Ceará. William Matheus aparece bem, mas Fernando Prass sai da meta e tira o perigo com um chute.

17 - Giovanni Augusto rola para Galdezani, que chega batendo da entrada da área. A bola desvia e vai por cima do gol.

21 - William Matheus corta o cruzamento. Eduardo aproveita a sobra, corta um marcador e chuta da entrada da área. A bola desvia em Cléber no meio do caminho, bate na trave e sai.

25 – Vinícius chuta forte da entrada da área e a bola vai no meio do gol. Wilson espalma.

28 - Zaga do Ceará corta um passe perto da área, Matheus Bueno chega batendo na sobra e Yan Sasse, completamente livre dentro da área, desvia de cabeça para o fundo da rede. O atacante, porém, estava claramente em impedimento.

42 - Cobrança de escanteio para o Ceará, Eduardo Brock sobe mais que a defesa coxa-branca e cabeceia por cima do gol.

Segundo tempo

6 - Gol do Ceará! Cruzamento da direita de Fernando Sobral, Cléber cabeceia no travessão e a bola sobra para Eduardo chegar batendo de primeira de dentro da área para estufar a rede.

8 – Giovanni Augusto avança pela intermediária e aciona Nathan pela esquerda do ataque, perto da área. O meia-atacante chuta forte, colocado, e manda perto do gol.

9 – Cobrança de escanteio do Coritiba. A zaga do Ceará espana e Fernando Prass sai para afastar o perigo, mas espalma mal, mandando para trás. Sabino quase alcança, mas a bola passa ao lado da trave.

13 - Giovanni Augusto pifa Robson, que fica de frente para o gol. Ele chuta rasteiro e Fernando Pras faz grande defesa com o pé.

14 - William Matheus ganha aos trancos e barrancos da marcação, invade a área e bate cruzado, forte. A bola passa perto do gol.

17 – Nathan avança pela esquerda, se aproxima da linha de fundo e rola a bola para trás. Ricardo Oliveira chega batendo de dentro da área, rasteiro, mas manda em cima de Fernando Pras, que segura.

18 - Cruzamento de William Matheus, Galdezani aparece bem no meio da zaga, perto da pequena área, mas pega mal na bola e desperdiça grande chance. Pareceu que ele tentou dominar a bola em vez de já chegar chutando.