Publicidade
Rio Paraná

PF do Paraná atira contra bombeiros paraguaios que apagavam incêndio

(Foto: Itaipu)

Policiais federais atiraram contra bombeiros paraguaios que trabalhavam para apagar um incêndio na Reserva Tatí Yupí, no Paraguai, na fronteira com o Paraná, região de Santa Terezinha de Itaipu. De acordo com o jornal Última Hora, do país vizinho, bombeiros voluntários de Hernandarias e da Marinha do Paraguai foram na segunda-feira ao entardecer ao condomínio Paraná Country Club, que também foi afetado pelo incêndio.

Ao jornal, o diretor de segurança do complexo habitacional privado, Carlos González Airaldi, disse que os bombeiros estavam em pleno trabalho para apagar as chamas nas margens do Rio Paraná, quando foram alvo de tiros disparados pela Polícia Federal brasileira, que estava do outro lado do rio.

"Levantamos nossas mãos e lá eles apenas se identificaram como policiais, nos disseram que deveríamos ter avisado. Como vamos avisar o lado brasileiro de que estávamos tentando apagar o fogo?", questionou.

Na ocasião, um barco havia atravessado o rio na área, o que pode ter levantado suspeitas sobre as pessoas que estavam no país vizinho, deduziu Gonález. Aparentemente, os policiais pensavam que eram contrabandistas.

González Airaldi reconheceu que é uma área utilizada como rota para esse tipo de ilícito, mas afirmou que não justifica as ações da polícia brasileira.

“Foi realmente lamentável atuar na polícia brasileira. É verdade que é uma área de grande perigo, mas, portanto, atirar poderia ter sido um infortúnio ”, disse ele em contato com a rádio Monumental 1080 AM.

Os bombeiros não descartam a apresentação de uma queixa ao Ministério das Relações Exteriores.

Apesar do susto, eles continuaram trabalhando a noite toda para reprimir todas as fontes de fogo. No local, apenas uma casa com telhado de colmo foi afetada.

O intenso incêndio afetou cerca de 35 hectares de áreas úmidas localizadas no setor oeste da reserva Tatí Yupí. Bombeiros e guardas florestais impediram que as chamas chegassem à área onde a vegetação é mais espessa e ao setor de 38 hectares do projeto de reflorestamento da Itaipú Preserva. Até o momento, as causas do incêndio são desconhecidas, enquanto no nível do país são detectadas 20 áreas afetadas. Outros incêndios foram registrados no Alto Paraná. O primeiro, na cidade de Naranjal, onde os lhamas afetaram o aterro municipal e danificaram parte da safra de milho. O outro caso afetou uma reserva privada, que também foi atingida por um incêndio no distrito de Yguazú.

A reportagem procurou a assessoria de imprensa da Polícia Federal do Paraná, mas não obteve resposta oficial. Uma assessora disse de maneira informal que “o que aconteceu foi uma troca de tiros próximo ao local onde os bombeiros estavam trabalhando. Havia uma embarcação lá perto, que é ponto de passagem de drogas inclusive, e os policiais ao realizarem a abordagem, foram recebidos a tiros e então revidaram”. 

 

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES