Fortaleza 3 x 0 Athletico

Poucos se salvam na goleada sofrida contra o Leão do Pici. Confira as atuações do Furacão

(Foto: Divulgação/ Athletico)

O Athletico Paranaense entrou em campo neste sábado (23 de outubro), na Arena Castelão, com um time reserva para enfrentar o Fortaleza, pelo Campeonato Brasileiro. E a equipe comandada por Alberto Valentim acabou virando uma presa fácil para o grupo liderado por Juan Pablo Vojvoda. Vitória por 3 a 0 dos cearentes, que encaminharam o resultado ainda nos minutos iniciais de jogo.

Abaixo, você confere mais detalhes sobre o desempenho de cada um dos altetas do Furacão.

LEIA MAIS: Athletico poupa os titulares e é atropelado pelo Fortaleza no Castelão

LEIA MAIS: Alberto Valentim diz que Athletico ainda mira vaga na Libertadores via Brasileirão: ‘Temos que reagir’

ATUAÇÕES DO ATHLETICO

Bento (6,0)
Não teve culpa nos três gols sofridos e fez um par de boas defesas.

Khellven (6,0)
Foi bem nas interceptações, mas deixou a desejar na saída de bola.

Zé Ivaldo (5,5)
Algumas boas intervenções, mas teve muita dificuldade contra o ataque cearense.

Lucas Fasson (5,5)
Foi dos que menos errou na defesa, mas também não conseguiu lidar com a velocidade do adversário.

Pedrinho (6,0)
Razoável na defesa, um pouco melhor no ataque. Atuação mediana.

Kleiton (S/N)
Entrou aos 46-2º. Pouco tempo em campo. Sem nota.

Christian (5,5)
Errou um quarto dos passes tentados e pouco conseguiu ajudar na marcação.

Nicolas Hernández (6,0)
Entrou aos 34-2º e, com três zagueiros, o time melhorou o desempenho defensivo.

Canesin (6,0)
Foi um dos jogadores que menos errou passes e finalizou uma vez com perigo.

Jader (5,5)
Até errou pouco, mas também pegou pouco na bola.

Marcio Azevedo (6,0)
Entrou aos 26-2º e deu mais equilíbrio defensivo e ofensivo ao time, mas já era tarde.

Pedro Rocha (6,0)
Foi quem mais tentou jogadas individuais e preocupou a defesa adversário.

Carlos Eduardo (5,0)
Atuação apagadíssima. Não conseguiu criar nada de efetivo.

Jaderson (6,0)
Entrou aos 34-2º e conseguiu ajudar a melhorar a qualidade de passe da equipe.

Bissoli (5,0)
Ficou isolado no setor ofensivo e pouco pegou na bola.

Vinicius Mingotti (5,5)
Entrou aos 26-2º e teve uma grande chance para descontar, mas desperdiçou.