Pela internet

Projeto piloto oferece videoconsulta para pacientes com diabetes em Curitiba

(Foto: Divulgação/SMCS)

Um projeto-piloto da Secretaria Municipal da Saúde (SMS) de Curitiba está oferecendo videoconsulta para pacientes com diabetes, envolvendo médicos da atenção primária e especialistas. A ideia é fazer com que os pacientes com diabetes, considerados como parte do grupo de risco para a Covid-19, não deixem a doença crônica ficar descompensada e não fiquem sem acompanhamento de saúde no período da pandemia, evitando o risco de agravamento, caso venham a ser contaminados pelo novo coronavírus.

As vídeoconsultas estão disponíveis inicialmente para pacientes da unidade de saúde São Braz, no distrito de Santa Felicidade, e Ouvidor Pardinho, na Matriz. Aos poucos, o projeto será ampliado para toda a rede municipal de saúde.

De acordo com a superintendente de gestão em Saúde da Secretaria Municipal da Saúde de Curitiba, Flávia Quadros, a videoconsulta permite que esses pacientes não precisem se deslocar pela cidade, em busca do atendimento especializado, uma vez que o atendimento médico é realizado de uma vez só na unidade de saúde, próxima à residência, com o médico da atenção primária presencialmente e com a participação do médico especialista por videoconsulta. “Ganhamos em eficiência”, diz.

Segundo o médico endocrinologista da SMS e vice-presidente da Sociedade Brasileira de Diabetes do Paraná, Alexei Volaco, o novo sistema permite também ser mais célere na assistência aos pacientes. “Normalmente, o paciente com diabetes, vai de seis em seis meses no especialista ou de um em um ano. Com esse sistema, o médico especialista já pode, por exemplo, acertar a medicação e o médico da atenção primária dar as orientações presencialmente de como utilizar”, explica.

De acordo com Volaco, os primeiros resultados do projeto-piloto são positivos. “Os pacientes vêm apresentando melhora nos controles glicêmicos, com boa aceitação do sistema, por ter acesso ao especialista próximo de casa e desfrutando dos preceitos básicos da atenção primária de acesso e acolhimento”, explica.

As irmãs Vergina dos Santos Marin, 68 anos, e Tiburcia dos Santos Trindade, 67 anos, aprovaram o novo sistema. As duas convivem com a diabetes há mais de 20 anos e precisavam ir até o hospital para consultar o especialista de tempos em tempos. Pacientes da unidade de saúde São Braz já experimentaram a videoconsulta com especialista. “Foi excelente demais. O posto de saúde é pertinho. Para ir ao hospital é complicado, não dá nem para pensar em ir”, disse Tiburcia.

Curitiba foi a primeira capital do Brasil a oferecer videoconsulta para Covid-19, ainda em março, após a liberação do Conselho Federal de Medicina.