Publicidade
Rafael Guanaes

Técnico do Athletico pede mais do time no ataque e diz entender vaias da torcida: "Acostumada a vencer"

O técnico Rafael Guanaes: estreia pelo Athletico com derrota e vaias da torcida na Arena da Baixada
O técnico Rafael Guanaes: estreia pelo Athletico com derrota e vaias da torcida na Arena da Baixada (Foto: Geraldo Bubniak)

Técnico da equipe de aspirantes do Athletico, Rafael Guanaes não teve uma estreia positiva no comando do Furacão. Jogando em casa e com um grupo reforçado por jogadores experientes, como o atacante Bergson e os meio-campistas João Pedro e Marquinho, a equipe rubro-negra teve um desempenho abaixo do esperado, com pouca inspiração e movimentação no ataque, e acabou permitindo à zebra desfilar na Arena da Baixada, com vitória por 1 a 0 do Cascavel CR, gol marcado por Taíra aos 13 minutos do primeiro tempo.

Na visão do comandante athleticano, a derrota se deveu, em grande medida, à falta de qualidade do setor ofensivo do Furacão. "No primeiro tempo, especialmente, não conseguimos encontrar nossa organização ofensiva como vínhamos trabalhando. A ideia, já imaginando que o adversário vinha defender em bloco bem baixo, era ter profundidade e amplitude e ter uma boa ocupação entre as linhas deles", explicou o treinador em entrevista coletiva após a partida.

Acontece, porém, que a equipe não conseguiu encon trar essa circulação. "Começávamos (as jogadas) de um lado e terminávamos do mesmo lado. Não só em relação à distância dos setores e dos jogadores em si, mas a equipe precisava estar mais próxima de uma forma geral, conseguir circular a bola de forma mais rápida para procurar ser mais eficiente, como conseguimos fazer no segundo tempo", emendou Guanaes.

Já na reta final da partida, aos 29 minutos, o treinador teve de lidar com a fúria dos torcedores. Ao substituir Matheus Anjos por João Pedro, o técnico chegou a ser chamado de 'burro' pelos torcedores presentes no estádio. Depois do apito final, foi vez de vaias ecoares desde as arquibacandas para todos os jogadores. Para o treinador, porém, é compreensível a impaciência da torcida, se levado em consideração os recentes triunfos do clube.

"O torcedor é passional e, se eu estivesse na arquibancada, talvez estivesse incomodado. O torcedor quer a vitória, vem de ótimos resultados e se acostumou a vencer. É totalmente compreensível (as vaias). Temos a expectativa de trazer alegria mais para frente. Confiamos na sequência do trabalho e no projeto de aspirantes. O resultado negativo não muda o nosso rumo e só traz mais possibilidade de aprendizado e conhecimento”, finalizou.

VEJA O VÍDEO COM OS MELHORES MOMENTOS DA PARTIDA

DESTAQUES DOS EDITORES