Política em Debate

Publicidade
Notícias falsas

Justiça manda Facebook e Twitter excluir 'fake news' contra Romanelli

Romanelli: "Políticos são o alvo preferencial dessa gentalha que se especializou em espalhar falsidades"
Romanelli: "Políticos são o alvo preferencial dessa gentalha que se especializou em espalhar falsidades" (Foto: Sandro Nascimento/Alep )

O juiz Wolfgang Werner Jahnke, do 5º Juizado Especial Cível de Curitiba, determinou ao Facebook e ao Twitter a exclusão das notícias falsas (fake news) contra o deputado estadual Luiz Claudio Romanelli (PSB). A decisão de ontem deu prazo de cinco dias às duas redes sociais removem os conteúdos das URL's que constam na ação movida pelo deputado.

Romanelli disse que foi alvo das milícias que propagam as fake news nas redes sociais que deturparam uma notícia sem qualquer relação com o deputado. "Entrei com uma ação na Justiça que concedeu liminar que determinou a remoção dos conteúdos. Isso tipo de postagem busca, única e e exclusivamente, o assassinato de reputações de quem não concorda com a pregação do ódio que hoje campeia parte das redes sociais", disse o deputado.

"Aliás, políticos são o alvo preferencial dessa gentalha que se especializou em espalhar falsidades e manipular parte da opinião pública. A justiça faz mais do quem bem em barrar esse tipo de crime", afirma Romanelli.

Na sua decisão, o juiz diz que "tais postagens no Twitter e no Facebook vêm causando abalo à imagem e honra do autor, ainda mais considerando a quantidade de curtidas e visualizações".

O juiz Jahnke afirma na liminar que as postagens em questão agravam "mais ainda a situação do autor (Romanelli), torna-se necessária nesta fase processual a concessão parcial da liminar pleiteada para que as requeridas retirem as postagens no que se refere à pessoa do autor, para evitar maiores abalos e prejuízos a imagem e honra do autor".

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES