Coritiba 0 x 1 Athletico

Arbitragem no clássico revolta técnico e jogadores do Coritiba; Morínigo diz que sentimento no clube é 'de tristeza'

Morínigo cumprimenta Felipão no Couto Pereira: clássico quente teve o brasileiro levando a melhor sobre o paraguaio
Morínigo cumprimenta Felipão no Couto Pereira: clássico quente teve o brasileiro levando a melhor sobre o paraguaio (Foto: Valquir Aureliano)

A sensação no Coritiba é de tristeza na noite deste domingo. E as palavras são do técnico Gustavo Morínigo, que em entrevista coletiva no Couto Pereira lamentou demais o tropeço coxa-branca diante do Athletico, em jogo que o time do Alto da Glória dominou a maior parte do tempo e criou mais chances de gol, mas acabou castigado com uma expulsão e um pênalti a favor do adversário já no fim do jogo. Além disso, sobraram também reclamações e protestos contra a arbitragem de Luiz Flavio de Oliveira, que apitou o final da partida sem revisar um suposto pênalti contra Léo Gamalho no lance derradeiro do clássico.

LEIA MAIS SOBRE A PARTIDA: 

RELATO DO JOGO: Athletico vence clássico com gol no fim e fica por cima. Coritiba cai na tabela e se aproxima da ZR

ATUAÇÕES DO COXA: Thonny Anderson e Igor Paixão se destacam no clássico, mas falta de pontaria compromete boa exibição do Coxa. Confira as atuações do Coxa

ATUAÇÕES DO ATHLETICO: Vitor Roque muda destino do Athletiba em pleno Couto Pereira. Confira as atuações do Athletico

PÓS-JOGO DO ATHLETICO: Felipão reconhece que Coritiba foi superior, mas exalta espírito do Athletico

"A sensação é de tristeza, porque, a maneira como aconteceu nos deixa tristes", disse Morínigo à imprensa. "Uma pressa para acabar o jogo, nem revisou [o lance]. O que olhei ali... a primeira situação não foi pênalti para mim, Castán tirou a bola da zona e o que houve foi uma disputa normal [entre Rafael William e Vitor Roque]. Mas se aquele lance foi pênalti, o do Léo Gamalho pior. Ele terminou a partida com a boca cortada", desabafou o comandante coxa-branca, cmentando ainda que Léo Gamalho

O protesto foi na mesma linha do feito pelo meio-campista Matías Galarza na saída do gramado. Logo após o ápito final, o paraguaio disse que o que houve no Couto Pereira neste domingo foi uma lástima. "Entregamos tudo dentro do campo, mas mais uma vez a arbitragem foi uma vergonha. É isso, vergonha a arbitragem. Uma arbitragem assim prejudica o futebol brasileiro."

Por outro lado, o técnico paraguaio ainda tentou absorver algo de positivo da partida, apesar de toda a decepção. "Podemos olhar a parte boa, que o time jogou bem, e a parte ruim que foi o resultado. Se me deixam escolher, vou sempre querer o resultado, que dá mais tempo de trabalho, mais confiança, e sempre podemos trabalhar para melhorar a parte de jogo. Quando perdemos dessa maneira, ficamos tristes, mas temos uma esperança de melhora."