Publicidade
Conteúdo Sustentável

Reservas Particulares protegem cerca de 43 mil hectares no Paraná

Das 1.300 Reservas Particulares do Patrimônio Natural (RPPN’s) existentes no Brasil, (federais, estaduais e municipais), 282 (233 estaduais, 18 federais e 31 municipais) estão no Paraná. Juntas elas somam pouco mais de 43 mil hectares.

RPPN é uma categoria de unidade de conservação criada por ato voluntário de pessoas físicas ou jurídicas, ou proprietários de imóveis rurais ou urbanos, sem desapropriação de terra. No momento que decide criar uma RPPN, o proprietário assume compromisso com a conservação da natureza da área.

Entre os benefícios, além da conservação da área natural, o proprietário recebe a isenção do Imposto Territorial Rural (ITR) referente à área, a possibilidade de explorar e desenvolver atividades de ecoturismo e educação ambiental, desde que previstas no seu plano de manejo; a possibilidade de formalizar parcerias com instituições públicas e privadas na proteção, gestão e manejo da área; e preferência na análise de pedidos de concessão de crédito agrícola, junto às instituições oficiais de crédito.



ANA disponibiliza encartes sobre evolução da outorga e da cobrança pelo uso da água na última década

Em comemoração dos dez anos da elaboração do primeiro relatório de Conjuntura dos Recursos Hídricos do Brasil, a Agência Nacional de Águas (ANA) apresenta encartes especiais com a análise sobre o estágio de implementação dos instrumentos da Política Nacional de Recursos Hídricos no Brasil durante a última década. Os dois primeiros encartes abordam a evolução da cobrança pelo uso da água e da outorga de direito de uso de recursos hídricos, além dos desafios para tornar ambos os instrumentos mais efetivos. A cobrança pelo uso de recursos hídricos é um instrumento econômico de gestão que busca induzir o uso racional dos recursos hídricos via fixação de preços associados ao uso da água. Nos últimos anos a implementação da cobrança vem avançando, com alcance para além das bacias hidrográficas nas regiões Nordeste e Sudeste, mais tradicionalmente afetadas por conflitos pelo uso da água, ou por situações críticas em relação à quantidade e qualidade da água.

Apesar desse avanço, são destacadas as necessidades de aprimoramentos no instrumento, entre eles, a fixação de valores distintos para a cobrança entre diferentes setores usuários de água de modo a promover a eficiência e a equidade.
Neste vídeo é possível entender mais sobre a cobrança pelo uso da água. https://www.youtube.com/watch?time_continue=3&v=PgqfCjYwui0




Pesquisadores da UFPR desenvolvem embalagem biodegradável

Pesquisadores da Universidade Federal do Paraná (UFPR) desenvolveram uma embalagem biodegradável que leva em torno de cinco meses para se decompor. A alternativa às embalagens plásticas – que usa matéria-prima renovável e não polui o meio ambiente - foi desenvolvida pelo Laboratório de Engenharia Bioquímica e de Biotecnologia da Universidade.

A pesquisa intitulada “Produção de filmes biodegradáveis” começou em 2018 e é coordenada pela professora Michele Rigon Spier, do Departamento de Engenharia Química e Programa de Pós-graduação em Engenharia de Alimentos da UFPR. O projeto busca apoiadores para ser levado adiante. “Precisamos do suporte institucional governamental, estadual e municipal para tornar esse sonho realidade. Outra alternativa é a iniciativa privada”, diz a professora.
Além dela, dois alunos de mestrado e uma aluna de doutorado estão trabalhando nesta linha de pesquisa. O laboratório situa-se no Centro Politécnico da UFPR e é laboratório satélite do Departamento de Engenharia Química e do PPGEAL.


Álcool em gel caseiro pode ajudar a prevenir propagação de doenças

Notícias sobre o Coronavírus aumentam a preocupação com a propagação de doenças causadas por vírus e em relação aos cuidados para aumentar a nossa imunidade. As formas de contágio ainda estão sendo estudadas, mas o professor e naturopata Daniel Alan Costa diz que receitas simples e caseiras podem fazer a diferença para ajudar na prevenção de doenças por vírus, dentro e fora de casa.

Manter os ambientes ventilados e evitar aglomerações são dicas importantes para reduzir o risco de contaminação, não só do Coronavírus, mas de qualquer tipo de vírus.
O melhor é manter as mãos sempre limpas, lavando com água e sabão e evitando tocar o rosto antes disso. Quando não for possível lavar as a mãos, o álcool gel pode ajudar na higienização e prevenção.

O que nem todos sabem é que dá para fazer um álcool gel caseiro, tão eficaz quanto o que é vendido nas farmácias. “Com álcool isopropílico 90% (quanto maior a porcentagem, maior a eficiência germicida), gel puro de Aloe Vera e óleos essenciais, ingredientes encontrados em farmácias, é possível obter uma receita poderosa para usar em todos os momentos. Depois é só misturar na proporção 2/3 de xícara de álcool isopropílico para 1/3 de xícara de Aloe vera em gel puro, e por fim adicionar dez gotas do óleo essencial escolhido. Os óleos de Tea Tree, Orégano e Tomilho são muito indicados por terem propriedades antibacteriana, antimicrobial, antisséptica, antiviral”, explica Daniel.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES