Cartagena das Índias

14 julho, 2015 às 13:00  |  por Elton Silveira

Cartagena das Índias – O caribe colombiano.

 

 Cidade colombiana de estilo colonial espanhol à beira do mar do Caribe

 1

Uma joia colombiana no imponente mar do caribe, distante 1,3h de Bogotá de voo, quatro companhias aéreas fazem essa rota. De carro é uma viagem de 19h aproximadas. Ao seu redor existem diversas praias e cidades que valem a pena conhecer, caso tenha tempo para isso, afinal. Cartagena em si demandará bastante tempo para aproveitá-la como se deve.

2

Cidade iniciada com altas muralhas de pedras para se proteger dos ataques piratas, com a grande missão de guardar o fabuloso tesouro espanhol.
Cartagena hoje desponta como importante pólo turístico, oferecendo um conjunto de atrativos que vão desde um setor histórico tombado pela UNESCO, até praias e ilhas de beleza estonteante.

O que conhecer?

Que tal um passeio de Chiva?

A chiva é um veículo parecido com um ônibus, porém com laterais abertas e sem vidros. É utilizado para fazer um tour pela cidade, que sai todos os dias da Torre do Relógio entre 13h30 e 14h. Existe a opção noturna, a chiva de festa, que sai para visitar locais que incluem paradas coletivas para festa e comidas, além de paradas em casas noturnas para dançar, sempre com música na chiva e animadores. Pessoalmente me senti meio fake, mas como era o que me propus, aproveitei e me diverti.

2.1

Chiva – Cartagena das Índias.

O passeio de Chiva passa por Bocagrande, pelo Convento de La Popa, pelo Castelo de San Felipe e pelas Bóvedas, e é uma boa opção para quem está iniciando sua viagem por Cartagena. O ponto negativo é ficar limitado ao tempo que a organização do passeio define para cada atração e encontrar muitos outros turistas fazendo o mesmo passeio, deixando os pontos turísticos exageradamente cheios. Custam em torno de COP40.000 pesos colombianos por pessoa.

Convento La Popa de la Galera

2.2

O centro de Cartagena, foi cenário do filme Queimada de Marlon Brando e, anualmente oferece o antigo festival Festival Internacional de Cinema de Cartagena, iniciado em 1960.

O centro histórico é deveras pitoresco, com suas ruelas de pavimento antigo, estreitas e que escondem gratas surpresas a cada porta ou esquina, tais como hotéis de diversas categorias, restaurantes sofisticados e populares, galerias de arte e até mesmo o badalado Hard Rock Café. Lá se convive em harmonia o Jet Set internacional com transformistas e vendedores, uma curiosa mistura de gostos e estilos, regado a muita Salsa.

 

3

 

Caminhar pelo centro histórico é o que mais os turistas curtem, há opções de bons restaurantes, gente bonita a todo momento, presentes e souvenirs, baladas e mirantes estratégicos para fotos de viagem.

4

 

A charmosa arquitetura do centro histórico com seus rendilhados e coloridos, cada detalhe é uma obra de arte a céu aberto.

 

5

Abaixo o mirante do centro histórico, onde se tem uma vista da cidade e do mar do caribe.

6

Castelo de San Felipe de Barajas

É a maior obra militar espanhola no Novo Mundo, teve papel importante em várias guerras, em especial, na Guerra da orelha de Jenkins. Atualmente, serve como ponto turístico da cidade, tendo em sua entrada uma estátua do militar espanhol Blas de Lezo, que defendeu o castelo durante o Sítio de Cartagena de Índias. Foi iniciado a sua construção em 1536, na Colina de San Lázaro. Após sucessivas reformas para ampliação, em 1657, teve seu nome alterado para Castillo de San Felipe de Barajas.

6.1 

Uma outra opção de passeio para conhecer a cidade são as charretes, os românticos de plantão gostam bastante.

6.2

Gastronomia de Cartagena

A gastronomia da cidade é diversa, à base de frutos do mar e também comida colombiana de diversas regiões, tais como: bandeja paisa, buñuelos, cazuela de mariscos e ajiaco.

A cozinha de Cartagena tem origem popular e inclui frituras, arrozes, sopas e refogados. Utilizam bastante ingredientes doces com pratos salgados como por exemplo o arroz com coco. Outra curiosidade é o uso de um molho pink para comer com carnes feito com o refrigerante local, Kola Román.

7

 

Kola Román

8

 Arroz com côco – Cartagena das índias – COL.

 

  9

Ajiaco

O atum e o “pargo rojo” (peixe local muito popular) valem a pena de serem conferidos. O abacate é figura tradicional nos pratos colombianos de diversas regiões, é uma unanimidade nacional.

 10

Prato com Pargo Rojo.

E para beber?

O rum é frequente nos drinques, em especial o mai tai e o el padrino.

Sucos de frutas como maracujá, lulo (fruto tropical de sabor cítrico) e graviola (guanábana).. Mas a preferência do local é a limonada de coco, batida com o leite da fruta.

11

Limonada de côco.

 

Restaurantes:

Restaurante Vitrola

12

Calle Baloco n° 2-01

Tel: +57 5 660 0711

 

Restaurante El Refectorio e Hotel Sofitel Santa Clara

13

Calle del Torno

Bario de San Diego

Tel: +57 5 664 6070

 

Restaurante San Pedro

Plaza San Pedro Claver, 30-11

 

Hotel Santa Tereza

Cra. 3A nº 31-23

Tel: 0800 891 38 41

 

Restaurante María

14

Calle del Colegio
# 34-60 Local 2
Centro histórico,
Cartagena de Indias.

+57 316 524 70 46

 

ONDE FICAR:

Cartagena é uma cidade balneária com excelentes opções de hospedagem, desde os tradicionais 5 estrelas como é o caso do Hilton Cartagena Hotel, excelente opção para os que buscam o conforto de uma grande rede hoteleira, mas o clássico, em termos de elegância da cidade é o Sofitel Santa clara Cartagena, dentro do centro histórico de Cartagena. Pessoalmente tenho outras indicações para os clientes que querem se hospedar muito bem e gastar menos, me escrevam para qualquer dúvida.

1)     Hotel Sofitel Santa Clara – No centro histórico, é lindo, luxuoso e ótimo atendimento, hotel para os clientes de maior poder aquisitivo.

15

2)    Hotel Hilton Cartagena -  Um dos melhores hotéis da cidade e de ótima localização. Hotel normalmente escolhido por chefes de estado.

16 

VIDA NOTURNA

Cartagena tem uma vida noturna diversa, as chamadas rumbas, são danceterias de diversas ordens, algumas com música caribenha, outras com ritmos internacionais, há casas de segmento LGBT, ou seja, todas as tribos podem se divertir na noite cartaginesa.

O difícil é ficar sem se mexer nesta cidade, o colombiano, em especial os da região costeira, são eletrizantes, basta soar ao funda una pequeña salsita! E pronto… os quadris dos arredores começam as ficar incomodados.

O TU CANDELA  e o bar danceteria TOP de lá. E quer ter aulas de dança no coração da legítima salsa? Pois, é no CRAZY SALSA que deve ir, agende e compre pelo site aulas dos mais variados ritmos. Veja esse pequeno vídeo do local, produzido pela Funbox Tv da Colômbia – VÍDEO.

17

Tucandela – Cartagena das índias – COL.

 

 18

Crazy Salsa

Para o público LGBT indica-se o  bar do hotel Hotel L’Petit que foi aberto em 2009 por  Fernando Palacios, proprietário do  Studio 54, um dos bares e danceterias gays mais famosas da cidade..

19

Studio 54 – Cartagena das índias – COL.

 

No próximo post trataremos dos passeios pelas praias urbanas de Cartgena e pelas ilhas do caribe colombiano, onde  falaremos, em especial,  de San Andrés, a ilha com o mar das sete cores do caribe, aguardem e espero que estejam curtindo.

Elton Silveira, M.Sc – diretor B4 Travel – Agência de viagens e turismo

Bogotá: Colômbia – Uma surpresa à sua espera. Parte I

10 junho, 2015 às 15:11  |  por Elton Silveira

BOGOTÁ

 1

     Bogotá foi uma cidade que de início para mim seria apenas um local de trânsito, porém fui surpreendido fortemente pela força e cultura dessa capital. Situado na região central da Colômbia, seu clima é mais ameno que o litoral, e pode-se sentir frio a partir de meados de março já, principalmente à noite.

 

2

            Bogotá é pouco lembrada pelo turista brasileiro quando se pensa em viajar, ledo engano! Eis uma terra receptiva, repleta de opções culturas, gastronômicas e turísticas. O ritmo está impregnado no coração colombiano, cumbias, salsas, bambucos e porros, bastam serem tocados e pronto! Começam as pernas se mexerem, num frenesi contagiante.

 

 3

Dança colombiana.

     Os restaurantes são variados e a comida colombiana é exótica e bastante condimentada, forte, um paraíso para os que apreciam a famosa comida mineira, se assemelha bastante com esta. O prato mais popular é a Bandeja Paisa, que nada deve às Minas Gerais, peçam apenas um prato, pois, serve bem duas pessoas, a não ser que a fome e a gula estejam presentes. Costumam comer abacate com a comida, em estado puro. Dentre as diversas guloseimas que podem encontrar nas lanchonetes, experimentem os doces e os buñuelos colombianos, são similares de nossos pães de queijo, porém com um sabor diferente.

 4

bandeja del paisa

 

 5

buñuelos

            A imagem abaixo é um dos muitos cafés da manhã que os colombianos consomem, esta é uma refeição bastante popular e característica do país. Existe até feira de café da manhã aos domingos, nas Carreras(ruas principais).

 

6 7

Algumas sugestões de cafés, confeitarias e restaurantes em Bogotá:

Em Bogotá existem cinco zonas famosas por seus bons restaurantes: Zona T ou Zona Rosa, Parque 93, Usaquén, Zona G e Candelária.

Balzac – Comida francesa, muito bom. Uma das cinco casas do chefe Harry Sasson.
8
Club Colombia – comida típica colombiana situado na Zona Rosa, numa casa maravilhosa, com mais de 350 metros quadrados de elegância e organização impecável. Este restaurante é excelente e o preço é bastante razoável.

9

Club Colombia, restaurante.
Myriam Camhi – para uma refeição leve, tipo “wrap”, sobremesas deliciosas e deliciosos cafés para acompanhar.

Harry Sasson – na zona Rosa (de shoppings, restaurantes e bares) ou T como é conhecida. Harry, o dono, é um dos chefs mais conhecidos de Bogotá.

Accento Café
– no Parque 93, para um drink e algo leve para comer, com varias opções de café.

Abasto – cozinha mediterrânea (ao lado do cine Paraíso – um charme) no bairro de Usaquén – bairro que conserva muito da arquitetura colonial, também conhecido por seus restaurantes e bares e pelo mercado das pulgas todos os domingos.

Criterion – localizado na zona G, um dos melhores restaurantes franceses da cidade. Os donos são dois irmãos que estudaram fora e montaram o restaurante em 2000.

Hotel da Ópera – restaurante do único hotel 5 estrelas da região da Candelária.

Leo, Cocina y Cava – cozinha colombiana, situado na Candelaria. Foi qualificado como um dos 82 melhores do mundo pela revista Condé Nast Traveller.

Il Tinello
– você se sente na Itália. O dono sempre presente, música italiana ao vivo, um “risotto al funghi” delicioso!

Matiz – o chef peruano prepara uma das melhores comidas de Bogotá.

Pesquera Jaramillo
– no Parque 93, muito bom, especialidade em peixes. O parque 93 é uma praça muito animada a qualquer hora, toda rodeada de restaurantes, cafés e baladas, mais para a garotada.

Rafael – localizado na Zona G, excelente cozinha peruana moderna, bom para almoço ou jantar.

Wok – é uma cadeia de restaurantes focada em cozinha oriental.

 

Opções culturais em Bogotá:

Os museus são em sua maioria gratuitos ou de pagamento quase simbólico, vale a pena conhecer o famoso Museo Del Oro e a coleção do Museu Botero, os demais vão do gosto e perfil de cada turista, porém, estes 2 citados são realmente imperdíveis.

10

Obras de Botero – Museo Botero – Bogotá.

A Plaza Bolívar é certamente o cartão postal mais conhecido de Bogotá, com sua catedral primaz.

 

11

12

Plaza Bolívar( as duas imagens acima)

 

Principais Bairros e região metropolitana de Bogotá

 13

Neste mapa pode-se verificar as principais regiões de Bogotá e cercanias.

ONDE FICAR:

Existem diversas possibilidades de hospedagem nesta linda capital, porém, há regiões mais adequadas ao seu estilo ou ao seu bolso, como por exemplo, os hotéis boutiques da Zona Rosa, ou mais baratos, porém bem localizados do centro histórico.

Cada turista tem um perfil e uma necessidade específica, para os que não curte gastar muito, indico os Hotels da cidade, porém, há de se ter a consciência e o espírito jovem para não se incomodar com luzes sendo acesas a todo o momento, ou com jovens alterados interrompendo involuntariamente seu sono.

Aos que não abrem mão do conforto, tem muitas opções por lá, uma das que mais gosto é Hotel Casa Medina, porém preparem-se para gastar. O Casa Medina é daqueles hotéis que não impressionam pela cinematografia, mas pelo detalhe, serviço e intimismo.

Costumo indicar hotéis de acordo com o estilo do cliente e dos melhores acordos que acabou construindo com os hoteleiros de lá, sempre tem promoções imperdíveis neste ramo.

14

 Hotel Casa Medina – Bogotá.

 

Terra Santa – Um Universo Cultural. Parte II

25 maio, 2015 às 14:09  |  por Elton Silveira

Terra SantaUm Universo Cultural.

Parte II

1

Quando se fala em Israel, não podemos de forma alguma esquecer da qualidade de vida deste país, restaurantes, danceterias, bares, shows, museus, enfim, um turismo formatado para pessoas que buscam satisfação e diversidade. Seguiremos com as dicas para Israel.

A própria geografia de Israel já dá saída para o mar vermelho e para o mar mediterrâneo ao mesmo tempo, é um importante corredor comunicante entre Ásia e Europa(Ocidente)

15

O que comer?

Israel oferece restaurantes que variam dos populares e tradicionais, até os mais requintados, com a forte tradição de pratos regados a temperos mediterrâneos e frutos do mar. O país por sua característica de acolher judeus de diversos países, traz em sua essência uma gastronomia rica e diversa, sendo um local que oferece culinária do mundo todo.

 

13

O Falafel (bolinho à base de grão-de-bico) é super popular, porém não só em Israel, e o Tschulent (um tipo de cozido com batata, feijão branco, frango e cevadinha, basicamente, que fica cozinhando a noite toda) e pode até ser encontrado pronto e enlatado para vender em qualquer supermercado.

2

Falafel.

 

Onde comer e curtir?

 

  • Abu Hassan – O melhor Homus de Israel poderá ser encontrado aqui. Homus cremoso, pita quentinho(pão sírio) e nada de cerimônias. Você pede, o garçom já traz os acompanhamentos (suco de limão, cebolas cruas) e você come. (1 Dolphin Street; 972-3-682-0387).

3

  • Catit - Restaurante bastante conhecido, localizado num dos edifícios mais lindos de Tel Aviv, oferece pratos da cozinha internacional, de valor não tão moderado, porém de qualidade indiscutível. Endereço: 4 Hichal Hatalmod Street, Tel Aviv,  Fone – +972 03 510 7001 begin_of_the_skype_highlighting/+972 03 510 7001 -end_of_the_skype_highlightingNeve Tzedek.

4

Os melhores bares underground de Tel Aviv:

Kuli Alma

Kuli Alma, localizado fora da Rothschild Boulevard. Os que forem conhecer terão de ter o endereço preciso, pois, fica numa rua pequena e auxiliar, pergunte aos locais. Kuli Alma tem dois bares diferentes, dentro do bar geralmente tem um DJ local com a atmosfera de um clube electro. O bar exterior é mais silencioso e  perfeito para tomar uma cerveja com os amigos ou conhecer novas pessoas. O projeto de Kuli Alma é diferente de qualquer outro. As paredes são adornadas com graffiti e outras arte visuais que ajudam a definir a atmosfera do bar junto com a atmosfera eletrônica, dub step funk, jazz, música do hip hop são alguns ritmos tocados no local. Está aberto todas as noites, mas aos fins de semana são bem mais badalados. Ao contrário de outros bares na lista, O clube organiza diferentes eventos de arte semanais no local, destacando os modernos artistas locais e e alternativos.

Kuli Alma, Mikveh Israel Street 10, Tel Aviv-Yafo, Israel, 03-656-5155

5

The Block

The Block é um mega clube que está localizado no sul de Tel Aviv , perto da estação central de ônibus . Um point favorito para aqueles que querem festar até o sol nascer, este clube é conhecido por ter o melhor som no Oriente Médio. A principal área de dança foi projetado para maximizar a acústica que produz um som incrível. The Block hospeda DJs locais e internacionais que desempenham todos os gêneros diferentes de música . Além da área de dança principal, há áreas menores, ' descontraídas ' no clube, com diferentes DJs e um bar menos agitado . Ao longo dos últimos anos, tornou-se um dos locais preferidos os frequentadores internacionais e locais. As noites mais populares da semana são quinta e sexta-feira que geralmente recebem DJs de renome internacional .
The Block , Shalma Estrada 157, Tel Aviv- Yafo , Israel, +972 03 537 8002

 The Block, Shalma Road 157, Tel Aviv-Yafo, Israel, +972 03 537 8002

6

  • Red Sea Star – Bar a 6m de profundidade, curioso e colorido, uma excelente dica para quem visita a cidade de Eilat. É possível ver corais e peixes em seu habitat natural enquanto se relaxa ao sabor de um bom vinho. Cozinha - Continental Horário:  7-22h. Local - próximo ao Le Méridien Hotel, litoral norte. Fone 08/634-7777. Web site www.redseastar.com/restaurant-en.php. Necessário reservar.

7

Red Sea Star.

 

  • Café Puaa –  3 Rabbi Yohanan Street, Tel Aviv, Israel,  +972 3 682 38 21 begin_of_the_skype_highlighting,  +972 3 682 38 21 -  end_of_the_skype_highlighting Jaffa

8

Café Puaa.

  • Orna and Ella – Restaurante que mescla desde comida vegetariana, passando por massas e frutos do mar, o almoço é servido até as 13h.

Aberto: Dom-Sex 10:00-00:00, Sáb 11:00-00:00
Endereço: 33 Shenkin St. Tel Aviv-Yafo
Tel: (03) 620-4753

9

  • Angélica – Cozinha israelense contemporânea. Restaurante elegante, porém de custo mais elevado. Endereço: 7 Shatz St., centro da cidade, Jerusalém  - Fone - 02/623-0056

Reservas são necessárias. Fechado nas sextas e nos sábados para almoço.

Passeios Recomendados

Existem diversos pacotes para a Terra Santa, mas dependendo do tempo que possa se dispor, 3 roteiros são indicados:

1)    Peregrinação Evangelista – 08 dias/07 noites – Roteiro elaborado mais de acordo com a fé protestante, porém todos os atrativos e tempos livres deste passeio serão possíveis de se adequarem a qualquer perfil mais ousado ou boêmio – País: Israel.

2)    Terra Santa – 08 dias/07 noites – Roteiro de perfil mais voltado ao cultural, com ênfase nas cidades principais de Israel, porém o passeio passa por diversas outras cidades e lugarejos, dando uma excelente leitura da região e seus aspectos turísticos. – País: Israel.

3)    Rota do Êxodo – 14 noites/15 dias – roteiro bem mais elaborado englobando 3 países, Egito, Jordânia e Israel. Este passeio nos leva desde o Cairo, passando pelo Sinai, Petra e Amman, e diversas cidades e localidades de Israel, um verdadeiro recorte cultural de qualidade ímpar. Indicado para quem deseja ter uma visão mais ampliada da Terra Santa nas suas mais diferentes vertentes.

 10

Ruínas de Petra, Jordânia.

 Sugestão: Deixe uns 03 dias para descansar em Eilat, existem vôos bem baratos desde Tel Aviv, afinal nós merecemos, não acha?

Importante

  • Espera-se gorjetas entre 12% e 15% nos restaurantes.
  • Voltagem 220 volts.
  • Turistas pagando em moeda estrangeira nos locais listados pelo Ministério do Turismo têm direito a 5% de desconto na loja e ao reembolso do IVA(imposto de 15.5%) no aeroporto Bem Gurion na hora do embarque.
  • As lojas geralmente abrem de segunda a quinta feira das 09:00h às 17:00h.
  • Moeda: Novo Shekel.
  • Bancos fecham às sextas à tarde e aos sábados. 

Dicas

  • Em Israel, desde o pôr-do-sol de sexta-feira até o anoitecer de sábado, quase todo o comércio fecha (inclusive os restaurantes), e a maior parte da rede de transportes públicos não funciona, em razão do Shabat, dia do descanso judaico. Dependendo do tempo que você for ficar em Israel, tente evitar esses dias.
  • As refeições nos restaurantes e hotéis, os que seguem os princípios da comida Kosher, parecem um pouco estranho para os turistas não jedeus, pois, não servem derivados de carne por ser proibido pelos princípios judaicos misturar carne com leite.
  • Todos os táxis têm taxímetro e estão obrigados a usá-lo. Existe um serviço especial conhecido como “sherut” (Lotação). Faz trajetos entre as principais cidades e itinerários dos ônibus. Cada passageiro paga um preço fixo

11

  • Assistir à Orquestra  Filarmônica de Israel no Tel Aviv’s Mann Auditorium.

12

Tel Aviv’s Mann Auditorium.

  • Seja receptivo e educado na imigração, pois, as autoridades farão muitas perguntas, é para sua própria segurança.
  • Os viajantes que pretendem visitar países árabes (à exceção de Egito, de Jordânia ou Emirados Árabes Unidos) após ter saido de Israel devem assegurar-se de que seu passaporte não contenha vistos ou selos israelitas, senão a entrada em países árabes com tais passaportes será negada; é possível ter uma folha de papel separada carimbada preferivelmente.
  • O Mercado Carmel, na Allemby, possui uma grande quantidade de frutas exóticas. Um show de cores, impressionante!

Elton Silveira

Diretor – B4 Travel - elton@b4travel.com.br

TERRA SANTA – UM UNIVERSO CULTURAL

12 maio, 2015 às 16:54  |  por Elton Silveira

TERRA SANTA – UM UNIVERSO CULTURAL

Parte I

1

 Quando se fala em Terra Santa, lembramos de uma região que extrapola os limites de um povo, tão sagrada quanto profana a qual nos oferece muito mais que o apelo religioso. Um turismo rico e composto de praias paradisíacas, termas e SPAS de fama internacional, paisagens tão rústicas quanto delicadas, museus de arte contemporânea, teatros colossais, gastronomia de ponta, além de locais e roteiros religiosos. A idéia é poder enxergar em Israel e demais países inscritos nessa rota, um apelo que extrapole o convencional e que seja capaz de agradar aos mais diversos gostos e perfis turísticos.

Vamos conhecer um pouco melhor a TERRA SANTA?

2

 Israel é conhecido por possuir em seus domínios a cidade de Jerusalém, mas outros países têm seus legados culturais e religiosos, compondo roteiros diversos dentro do que se conhece como turismo religioso. Os principais países destes roteiros são: Israel, Jordânia e Egito, porém, nos deteremos ao que mais se identifica com o conceito de TERRA SANTA – nome da antiga terra dos israelitas, atualmente incluindo Israel, Cisjordânia (hoje sob ocupação israelita) e partes da Jordânia, região segundo a bíblia, teria sido prometida ao povo israelita no antigo testamento, o que causa divergências culturais até hoje, porém, uma terra de cultura tão rica e paisagem glamurosa deve mesmo ser cobiçada tal como um tesouro.

O que conhecer?

Partiremos da premissa de um roteiro de 08 dias, dado ao tempo pré-determinado, nossas dicas se inscreverão ao Estado de Israel apenas, e deixaremos outros países para serem temas de futuros artigos complementares.

As principais cidades:

  1. Tel Aviv – pela imagem podemos perceber que Israel é realmente muito mais que apenas uma rota religiosa, contém cidades capazes de oferecer todo tipo de turismo, sendo o turismo de sol e praia um ponto forte da região, em Tel Aviv encontraremos as principais embaixadas estrangeiras, por ser uma região mais afastada da zona de conflito usual. Museus modernos e arquitetura de vanguarda dão o toque de modernidade nessa antiga e importante cultura. Em Tel Aviv, especialmente em áreas turísticas como a Herzliya, Bat Yam ou Ramat também encontrará muitos locais noturnos, bares, onde poderá desfrutar a noite israelita.

 

 

3

Tel Aviv

Atrativos:  Museu Bauhaus de Tel Aviv, Grande Sinagoga, Cidade Velha de Jaffa(antiga cidade portuária, hoje revitalizada e atrativa por seus restaurantes e cafés tradicionais), Orquestra Filarmônica de Israel, Casa de Chaim Nachman Bialik, Parque Iarkon, Cidade Branca de Tel Aviv(maior concentração do mundo em edifícios do chamado estilo Bauhaus)

4

Jaffa – cidade velha.

  • Nazaré – Terra onde Jesus Cristo passou sua juventude, este local está impregnado de referências religiosas e locais sagrados. A anunciação da vinda de Jesus, segundo a bíblia, dá-se nesta cidade. Nazaré sob o ponto de vista de atrativos turísticos está basicamente voltada àqueles que buscam o turismo religioso muito embora disponha, como as demais cidades de Israel, de restaurantes e opções de lazer de boa qualidade.

 

 5

Nazaré – Israel.

 6

Atrativos: Basílica da Anunciação; Igreja de São Gabriel; Poço de Maria; Igreja da Sinagoga; e o local onde a multidão tentou jogar Jesus Cristo do despenhadeiro.

7

Basílica da Anunciação.

 

  1. Tiberíades – Este balneário foi construído por Herodes Antipas, em homenagem a Júlio César, visitada pela maioria dos turistas que vão à Galiléia. Conhecida como “A Cidade das Águas”, é considerada uma das quatro cidades sagradas de Israel.

Atrativos: Fontes termais; mosaicos do primeiro século em Hammat Tiberias (Parque nacional); O Kirinet é um destino popular para se velejar, pescar e esportes aquáticos.

8

Tiberíades.

  1. Belém – Cidade onde Jesus nasceu, através dos Acordos de Oslo, está sob domínio palestino e faz parte do grupo de cidades da Terra Prometida. Como já ocorria nos séculos passados, o turismo e a manufatura e venda de suvenires religiosos é a principal fonte de renda.

Atrativos: Basílica da Natividade com a Igreja de Santa Catarina de Alexandria na própria basílica.

9

  1. Jerusalém (capital) – Esta é a cidade mais visitada por turistas em Israel, centro de peregrinação de diversas religiões e tesouro da humanidade. Hoje em dia, Jerusalém é uma cidade movimentada e vibrante. É um centro cultural de renome internacional, que oferece festivais de cinema e artes dramáticas, concertos, museus singulares, grandes bibliotecas e convenções profissionais. Ben Yehuda é a rua mais vibrante da cidade, com bares e baladas à noite, com atrações turísticas e restaurantes durante o dia.

10

Atrativos: Monte das Oliveiras; Monte Sião, Monte do Templo(Moriá); Via Crucis, Cidade Velha(patriarcado latino, Igreja do Redentor, Igreja de Santana, Museu da História de Jerusalém, Cidade de Davi, Jardim arqueoloógico); Cidade Nova(monastério da Cruz, Museu de Israel, Catedral da Santíssima Trindade); Não deixe de visitar o Museu do Holocausto.

  1. Eilat  - Se querem o paraíso balneário, eis aqui Eilat, no extremo sul de Israel, esta cidade reúne conforto, praia com águas transparentes e um agito digno de grandes centros de lazer. Fronteira com o Egito, é uma zona franca, portanto, isenta de impostos para aqueles que não dispensam uma boa `comprinha`. Vale realmente a pena guardar uns dias para descansar em Eilat, após um intenso roteiro cultural e religioso. No inverno a cidade atrai principalmente turistas europeus, que preferem passar as férias em um clima ameno e agradável, enquanto que os israelenses vão em massa durante o verão.

 11

Atrativos: O Mar Vermelho – transparente e ideal para mergulhos e snorkel; Baladas e bares da cidade, embora sejam de um custo digno de abastados turistas; Observatório subaquático; Reserva de corais; Parque temático  – Cidade dos Reis – ideal para famílias e crianças.

 12

13

Eilat – Israel.

No próximo post escreverei sobre gastronomia, vida noturna, passeios e dicas de Israel.

Elton Silveira. M.Sc. – elton@b4travel.com.br

ABU DHABI: O primo rico de Dubai

22 abril, 2015 às 15:41  |  por Elton Silveira

ABU DHABI: O primo rico de Dubai

 1

Abu Dhabi é simplesmente o emirado mais rico dos sete existentes, na crise imobiliária recente, quando diversos países quase quebraram, Dubai foi amplamente atingida também, pois, um de seus focos era a venda do setor imobiliário, criando-se ilhas em formatos de plantas para serem loteadas com empreendimentos de luxo.

Se não fosse o emir de Abu Dhabi ter disponibilizado dinheiro a Dubai, eles estariam em sérios riscos, e para homenagear o Sheik Khalifa(Khalifa Bin Zayed bin Sultan Al Nahyan), deu-se o nome ao prédio mais alto do mundo de Burj  Khalifa.

Quanto ao passeio.

Conhecer Abu Dhabi é super indicado, por diversas razões: Pela riqueza do emirado, sua paisagem e atrativos, sua cultura, esta, bem mais preservada que a de Dubai por tornar-se essencialmente turística, em turismo chamamos Dubai de “lugar turístico construído”( o que não desmerece sua grandiosidade e potencial).

Existem duas possibilidades de conhecer Abu Dhabi:

1)    Comprando uma passagem com a Cia Aérea Ethiad Airways Global – este voo sai de Guarulhos e te leva até Abu Dhabi direto, lá é o HUB da Ethiad para o mundo. Neste caso a indicação é para quem quer conhecer Abu Dhabi, pernoitar pelo menos 1 noite, pois são 14h de voo, sugiro no mínimo uma noite e dois dias inteiros em Abu Dhabi, para de lá partir de transfer ou ônibus até Dubai, pode também alugar um carro.

 2

2)    Ir a Dubai, com a Emirates Airlines ou Qatar Airways, consulte seu agente de viagem, pois, se precisar de preços, existem outras Cias aéreas com valores bem mais interessantes. No meio de sua estadia programar um passeio de 1(Day tour) dia até Abu Dhabi, é um passeio super bacana,  tem diversos atrativos que nem sempre estão no tour contratado, veja bem essas possibilidades com seu agente de viagem. Falaremos abaixo destes atrativos.

Mesquita Sheikh Zayed Grand Toda construída em mármore branco, a principal mesquita de Abu Dhabi é de um branco impressionante e pode ser vista desde Abu Dhabi – capital dos Emirados Árabes Unidos. A Mesquita ocupa uma área de 22.412 m² e tem capacidade para 40 mil pessoas. a sua parte externa é cercada por jardins e espelhos d’água.

3

4

Foi construído entre 1996 e 2007 a pedido do Sheik Zayed Bin Sultan Al Nahyan (1918-2004), considerado o fundador do país, morreu em 2004. Nesta mesquita, existe o túmulo do Sheik e da família real, que de forma alguma pode ser fotografado, portanto cuidado, se eles pegam turista fotografando podem complicar bastante para o mesmo.

5

Detalhes desse monumento:

  • Trazido para sua construção o mármore da Macedônia
  • Adornos folhados a ouro 24 quilates
  • O lustre do interior da mesquita é de assombrosa beleza, todo feito em cristais de Murano.
  • Os mosaicos florais que quebram o branco do lugar foram feitos por artesãos italianos.
  • O tapete persa é considerado o maior do mundo, foi confeccionado por 1.200 mulheres iranianas.
  • O pátio tem mais de mil colunas, adornadas por mosaicos coloridos e arrematadas por detalhes dourados no topo.
  • Estima-se um custo de algo como R$ 1,5 bilhão.
  • As mulheres têm de se cobrir com roupa própria e véu, estes cedidos pela mesquita no momento do acesso.
  • Os homens não podem entrar de bermuda, tem um tecido que a mesquita fornece para os turistas de bermuda, os sapatos são deixados do lado de fora da mesquita, marque bem onde está o seu, ele estará certamente lá quando sair.

A ilha de Saadiyat Será um dos componentes de um gigantesco bairro cultural que está sendo realizado, junto há três museus e um centro de entretenimento.

6 7

O Louvre Abu Dhabi (filial do Louvre de Paris) é um museu presentemente em fase de construção em Abu Dhabi. Inicialmente a inauguração estava prevista para 2012-2013, mas atrasos têm levado a prever a data de 2015(sic).

8

O Circuito de Yas Marina é um autódromo localizado na ilha Yas, perto da capital dos Emirados Árabes Unidos, Abu Dhabi. É conhecido por ser o circuito com as melhores infraestruturas, sendo um dos mais modernos. Lá se realizam as provas do mundial de fórmula 1, de Abu Dhabi.

9

Yas Waterworld Abu Dhabi – Este é um parque aquático para os que gostam desse gênero, famílias e crianças se divertem por lá, mas os adultos, creio, são os que mais curtem.

 10

https://www.youtube.com/watch?v=lyDP9Wb5gY4

Ferrari World é um parque de diversões localizado na Yas Island, em Abu Dhabi. Seus donos afirmam que o empreendimento é o maior parque temático coberto do mundo. Os amantes do automobilismo vão gostar muito de lá. Veja o mapa de atrações do parque.

11

Passeando com as crianças…

Al Ain Zoo and Aquarium é o zoológico e aquário oferecido pela cidade, vale a pena conhecer, crianças e adultos irão se divertir muito.

12

E AS COMPRAS?

Para os que querem comprar – Indico o Abu Dhabi Mall – é um grande sshopping da cidade, pode se encontrar de quase tudo por lá, é uma parada do The Big Bus Tour – um ônibus de turismo que percorre os principais atrativos da cidade, poderá descer e subir nos lugares de parada, durante um ou dois dias, de acordo com o tipo de ticket que adquirir.

13

O Dalma Mall de Abu Dhabi é um ótimo shopping, certamente bem menor que o Dubai Mall em Dubai, mas com boas opções de compra, e por ficar próximo do porto de Abu Dhabi, é um bom local para os que chegam de cruzeiro à cidade.

14

Al Reem Island é para os que gostam de visitar projetos arquitetônicos arrojados, é uma ilha a 600m de distância da costa onde se concentram prédios residenciais e comerciais num conceito arrojado de arquitetura.

15 16

Os que buscam cultura local…

Zayed National Museum é um museu bem importante, localizado na ilha de Saadiyat, que guarda a história dos emirados e suas famílias, um importante registro da cultura local.

17

E os que curtem automóveis, eis o Emirates National Auto Museum – museu que possui diversos carros em seu acervo.

18

Quer conhecer o luxo e a tradição de Abu Dhabi?

19

Hospede-se no luxuoso Emirates Palace de Abu Dhabi, se acham que o luxo em hotelaria está em Dubai, esperem para conhecer esse hotel, é do grupo Kempinski, e seu interior é o que há de mais sofisticado, lá hospedam-se pessoas de muitos recursos, sua diária é realmente cara, mas o seu interior e serviço valem a pena ser visitado. Caso não possa se hospedar (por falta de tempo rsrs), pode agendar um café no hotel, tudo deve ser agendado previamente, não é apenas chegar e entrar, só os hóspedes podem entrar a qualquer momento. Os doces e cafés são pulverizados com ouro em pó, para se ter ideia.

20

Eis uma boa ideia do que é Abu Dhabi, espero vocês no próximo post, que será sobre a Turquia.

Elton Silveira. M. Sc. – elton@b4travel.com.br

DUBAI: DIVERSÃO E DICAS

14 abril, 2015 às 15:41  |  por Elton Silveira

DUBAI:  DIVERSÃO E DICAS

1 

Passear em Dubai é realmente inusitado, como a porta de entrada nos Emirados Árabes é quase sempre por Dubai, este torna-se o ponto de saída dos tours e visitas em todos os Emirados. Falaremos do tour a Abu Dhadi mais para frente.

VAMOS AOS PASSEIOS:

Que tal um passeio de Land Rover pelo deserto?  Ou mesmo com um Hummer, sonho de consumo dos aficionados por carros e, depois de enfrentar dunas com emoção e um pôr do sol espetacular, relaxar num acampamento com um jantar sobre tapetes orientais, regados a dança do ventre e música árabe? Pois é, isto existe em Dubai! È exótico, divertido e embora um pouco fake, é singular. Mas quem se importa com o fake? O que vale é a emoção, a receptividade e o direito de poder experimentar algo diferente e prazeroso.

2

E as aventuras continuam pelo deserto, são motocicletas subindo morros altos e inclinados, num tipo de esporte bastante radical e de gosto da comunidade local.

4

Hummer.

Neste tour você conhece a receptividade do turismo em Dubai, é simplesmente perfeito.

5 6

7 8

Você poderá optar em fazer o sobrevoo de balão no deserto, é bem interessante, mas sem muita interação, para os que gostam das paisagens panorâmicas este é o passeio!

9 10

Na volta do Desert Safari você estará tão cansado que dormirá no carro, com ar condicionado, é claro.

Visita  ao Dubai Creek é uma caminhada bacana a ser considerada, pode ser durante o dia, passeando pelo calçadão e olhando este canal artificial, que divide a cidade pela metade, lá se consegue ver a magnitude de Dubai, seus prédios modernos e altos mesclando com barcos que remontam períodos remotos e que ainda hoje são usados pela população local como forma de travessia do canal, para suas compras e negócios.

11

Outra possibilidade é um jantar regado à música num barco turístico todo iluminado, são diversos barcos fazendo a alegria dos turistas locais.

12

 

13

Ir a Dubai e não visitar seu pequeno museu a céu aberto é perder uma boa oportunidade de conhecer as antigas tradições e utensílios locais, que contrastam em muito com a modernidade que a cidade assumiu atualmente. Fica no centro da cidade e lá poderão ver um dos primeiros ar condicionados da humanidade, deixo esta curiosidade sem muita explicação, afinal é como contar o final do filme.

14 15

O tour de Helicóptero é a forma mais ampla de se ter noção de Dubai, porém, a mais cara também, prepare seus dólares.

16

AGORA VAMOS ÀS DICAS:

1)    Voar durante 14h até chegar em Dubai não é um problema tão grande assim, uma vez que estará voando, quase sempre com a Emirates Airlines, simplesmente eleita em 2014 a melhor Cia Aérea do mundo. mas, cuidado! Existe uma Cia aérea, que não é ruim, é ótima por sinal, a ETHIHAD, O problema é que você compra desde o Brasil(Guarulhos), a passagem para Dubai, e poucos agentes sabem e tem informam que se viajar com essa companhia, terá de enfrentar mais 2h de ônibus(cedido pela Ethiad) até o aeroporto de Dubai, um aeroporto diferente dos que a Emirates utiliza. Por que? Porque a Ethiad é uma empresa de Abu Dhabi, portanto seu HUB é em Abu Dhabi, 130km de Dubai. Caso queira conhecer Abu Dhabi, eu indico essa Cia aérea de lá, mas se quiser alcançar rapidamente Dubai, vá com a Emirates.

2)    Consumir álcool nas ruas em Dubai não é permitido, é um país muçulmano que aprendeu, por questões de turismo e economia, a conviver com a venda de álcool para turistas, mas estes só podem ser consumidos em hotéis e bares ou restaurantes autorizados, não se acham em supermercados bebidas alcoólicas para serem vendidas. Pesquise sobre quando será o Ramadã deles, nesta época os limites são beeeemmm maiores.

3)    Troque seus dólares ou euros, uma parte já no aeroporto, uma vez que as casas tem o preço tabelado, em Dubai não terão problemas de câmbio mais alto em outras casas de troca, apenas nos hotéis, como é regra tácita no mundo, a cotação em hotéis não vale à pena.

4)    Cuidado com a troca de carinhos, lá não é bem visto, em público se contenham, andar de mãos dadas ok, mas passou disso podem se ofender. No caso de casais GLBT, o cuidado é dobrado, pois, em países com regras religiosas rígidas isso dá pena de morte, claro que em Dubai não há essa rigidez, mas em outros emirados sim! Isso contrasta com as demonstrações de amizades entre homens que se cumprimentam esfregando nariz com nariz.

5)    Quer se divertir à noite? Vá para o complexo do  Madinat Jumeirah, lá tem o Belgian Beer café e o Trader Vic´s, lugares agradáveis, além do ambiente deste complexo que é espetacular. Eu considero uma das melhores opções, caras para se hospedar em Dubai.  George Clooney e Brad Pitt se hospedam por lá quando vão a Dubai.

17

Belgian Beer Café(acima)

18

 

6)  Veja e seja visto no recém-inaugurado Corniche, à beira-mar. nas praias públicas bem cuidadas, metrôs

7)    Outra dica para os que gostam de conhecer a cultura local é agendar um café da manhã ou jantar no Centro Cultural para Compreensão da Cultura Árabe(SMCCU- www.cultures.ae) – seu slogan é OPEN DOORS, OPEN MINDS.

8)     Os metrôs de Dubai têm paradas dentro dos principais shoppings(Mall of Emirates  e Dubai Mall), é um meio seguro e, agora tem os modernos bondinhos – este modal foi inaugurado no ano passado.

9)    Os táxis lá não são caros, muito embora as distâncias sejam amplas, dependendo de onde está e para onde vai pode custar mais do que imagina, os táxis são corretos e seguros, tem táxi cor de rosa para as mulheres, com motorista mulher, neste carro os homens não podem entrar.

10)    Uma visita imperdível é à Marina de Dubai, lugar agradável, com cafés e prédios super altos.

19

 

11) A casa de shows  MusicHall, na famosa ilha Palm Jumeirah oferece  shows curtos e animados ao longo da noite. O público é divertido e se veste bem, à loucura. Reserve um lugar ou mesa no bar as bebidas são caras, um coquetel Spiced Pisang (rum com especiarias, rum envelhecido, Pisang Ambon, Midori, banana; 95 dirhams) custa em torno de  UED95,00.(U$27,00)

12)  Quer comer ou comprar as famosas tâmaras do oriente? Vá no Café Bateel, elas são de encher os olhos e esvaziar os bolsos. Os supermercados como Carrefour(Mall of Emirates) e Waitrose(Dubai Mall) também vendem tâmaras, a preços mais módicos. Podem achá-las também no popular Spice Souk, além das pimentas, certamente.

 20

21

Espero vocês no próximo post, que será sobre Abu Dhabi, vai ser bacana.

Elton Silveira. M.Sc. – elton@b4travel.com.br

Dubai: Parte 2

6 abril, 2015 às 16:01  |  por Elton Silveira

Dubai: Atrativos e compras.

1 

Eis a grande pergunta – O QUE FAZER EM DUBAI? A resposta é complicada, pois, fica difícil decidir por onde começar, dado à quantidade de opções que o lugar nos oferece.

Vamos sugerir então que se comece com um city tour pela cidade, assim poderão ter uma boa noção de lugares e espaços que vocês queiram conhecer melhor, cada um se identifica com determinado perfil, uns querem compras, outros, cultura e tem o que são da aventura e passeios.

A boa notícia é: Tem para todos os gostos.

Os atrativos mais conhecidos da cidade são, certamente: o edifício Burj Khalifa, o mais alto do mundo com seus 163 andares e 828m de altura, imagine quase 1km de prédio, Dubai se destaca com seus grandes edifícios, mas o Burj Khalifa é um monstro se comparado com qualquer outro da cidade.

Compare o Burj com os outros considerados os mais altos do mundo na imagem abaixo:

2

O outro ícone de Dubai, é o hotel Burj Al Arab, este é o edifício e símbolo mais conhecido da cidade, sua arquitetura em forma de vela no meio do mar o destaca e o torna inusitado. Dei a dica no post passado de como visitá-lo, já que o turista não pode entrar sem uma reserva, vejam lá no post!

3 4

Burj Al Arab – Dubai.

Tive a oportunidade de conhecer a grande maioria dos hotéis, visita técnica (site inspection) e posso dizer com plena certeza, visitar os hotéis de Dubai é um passeio dos melhores que existem por lá.

Todos recebem os turistas, pois, possuem bares, restaurantes, áreas sociais e atrativos especiais como: aquários gigantes, lojas, parcerias com grifes famosas e muito mais, tudo para seduzir nossa alma e, por consequência nosso bolso. Em especial gostei do Grand Hyatt Dubai, sofisticado, elegante, atendimento impecável e acima de tudo agradável, os doces davam vontade de embalsamar e levar para casa, de tão perfeitos.

5 6

Quer visitar o maior aquário marinho do mundo? Vá no Dubai Mall, falaremos deste shopping daqui a pouco. Dubai é um colírio para adultos e crianças, uma viagem para se fazer com os filhos, certamente! Sei que tudo parece fake, mas é impressionante, perdi meus preconceitos com a cidade assim que desembarquei, tudo funciona por lá.

7

Outro aquário que vale o passeio é o do Atlantis, The Palm  Hotel. O hotel por fora impressiona, por dentro achei meio cafoninha, opinião pessoal, embora tudo com muita ostentação, mas o aquário é um show à parte. Outro atrativo do hotel é o N´Dulge Nightclub.

8 9

 10

( Atlantis, The Palm Hotel – acima)

Cada hotel tem um perfil de hóspede, fique atento a isso, há aqueles que tem  diversas opções para crianças, elas simplesmente adoram. Há os que não foram feitos para crianças, seu agente de viagem deverá saber indicar.

 

E as compras? Páre tudo! São de perder a conta.

Lugar para comprar em Dubai é o que mais tem, desde os grandes shoppings, quando digo grande, são realmente grandes! Até o tradicional mercado central, vamos a eles.

  • Dubai MallDoha Street. . Estação de metrô Burj Khalifa. é o maior de Dubai, 1200 lojas, 120 restaurantes e cafés, estacionamento para 14mil carros, 22 salas de cinemas. Ufa! Até cansa-se de digitar. Além do aquário já citado.

 11 12

  • Mall of the Emirates - 4th Interchange- Sheikh Zayed Road.  malloftheemirates.com – Estação do metrô Mall of the Emirates – É um dos melhores shoppings de lá, não perca de visitar, tem uma pista de esqui na neve enorme, imagine? Esquiar na neve no meio do deserto.

13

  • Souk Madinat JumeirahJumeirah Road. - Este mercado foi o que eu mais gostei, é simpático, e com um entorno super bacana, excelente para relaxar, embora não seja o melhor para preços, mas é justo. tem um conceito semelhante aos  antigos e tradicionais souks árabes. Com 75 boutiques,  20 cafés, bares e restaurantes. Lá é possível encontrar artesanatos, roupas,  jóias, objetos de decoração e muito mais. A dica é fazer um passeio de abra(uma embarcação antiga e típica) pelo canal artificial do complexo, com vista para o  Burj al Arab.

14 15 16

  • Dubai Outlet Mall – Al Ain Road – E66. dubaioutletmall.com – Este shopping é afastado do centro da cidade, mas é um outlet com grandes marcas e descontos, é onde se pode comprar mais barato em Dubai, não é luxuoso.

 

  • Mercado de Ouro / Gold Souk – O Gold Souk está situado em Deira, é bastante tradicional, lá as mulheres alucinam, é joia e ouro que não acabam mais, tudo em muita quantidade, tem certamente opções de artesanato e joias de todos os valores.

 17

18 19

Ao lado do mercado do ouro existe um mercadinho bem popular, que vale à pena vasculhar, são artigos bem simples e baratos, onde o povo mais humilde consome, se gosta de coisas típicas e conhecer seus costumes, ali é o lugar.

20

Aí vão outras opções de compras:

No próximo post falaremos sobre os passeios e dicas de Dubai, não percam…

Elton Silveira – elton@b4travel.com.br

DUBAI: Emirados Árabes Unidos

1 abril, 2015 às 14:05  |  por Elton Silveira

DUBAI

1 

 2

Este é um dos sete que formam o país dos Emirados Árabe Unidos. É certamente o mais turístico dos emirados, muito embora Abu Dhabi seja uma visita obrigatória aos que gostam de sofisticação, na minha opinião é em Abu Dhabi que tem o melhor hotel dos emirados, apesar da fama do Burj Al Arab em Dubai, é no Emirates Palace que os que tem tradição e requinte se hospedam.Após Dubai escreverei sobre Abu Dhabi.

3

Emirates Palace – Abu Dhabi

45

Burj Al Arab – Dubai

Dubai escolheu o turismo como recurso de sobrevivência futura, uma vez que seus recursos de petróleo escasseiam, o planejamento é correto, pois, enquanto eles ainda têm como financiar, garantem o futuro do emirado num mercado limpo, promissor e fiel, o turismo.

Dubai tem ajuda de seu primo rico – ABU DHABI, este emirado tem mais de 86% do território do país, sendo que Dubai ocupa pouco mais de 5%. As famílias são independentes e nutrem uma relação de ampla amizade e apoio. De um lado o Sheikh Mohammed Al Maktoum governa Dubai e de outro o poderoso Sheikh Khalifa bin Zayed Al Nahyanm governa Abu Dhabi e também os emirados, tendo o Sheikh de Dubai como vice presidente.

Veremos no  post de Abu Dhabi que este não fica atrás em nada.

Dubai é o paraíso do consumo, restaurantes deliciosos, hotéis de luxo, passeios exóticos e confortáveis, arquitetura arrojada, vias de primeiro mundo, enfim, não é à toa que tem sido um dos principais destinos turísticos receptivos no mundo.

Para incrementar e viabilizar o negócio “DUBAI”, os Maktoum criaram sua própria empresa aérea – EMIRATES AIRLINES -  e Dubai hoje é um dos principais HUBs aéreos no mundo, principalmente para atender as conexões asiáticas e mesmo da Oceania.

6

Aliás, em se tratando de CIA aérea a Emirates Airlines foi escolhida a melhor CIA aérea do mundo em 2014. As 10 melhores são todas asiáticas.

A primeira classe e a executiva da Emirates são atrativos turísticos à parte, uma executiva chega a custar R$35 mil reais . Olhem e concluam:

7 8

Sonhos à parte, voltamos ao mundo real e possível de Dubai. O aeroporto  é outro atrativo turístico, um espetáculo,  gigante, altivo e com opções para todos os bolsos, todas muito boas.

9

Quais são as críticas a Dubai? Todas giram em torno de ser um local FAKE, construído sem tradição. Argumentos que pouco valem aos que gostam dessa gama de opções e deslumbre.

Dubai tem referências ao seu lado tradicional e local, que tenta resgatar e preservar suas origens, embora como emirado seja recente, 1971 é o ano de início. Impressionante verificar que tudo foi construído em 45 anos, é algo a ser admirado, tendo ou não a tal tradição.

Vamos nos hospedar?

Quem não tem cacife para o Burj Al Arab ou para o Emirates Palace pode escolher outras opções, aliás, opções é que não faltam, para todos os bolsos e gostos. O Burj de fato não me agradou, achei uma ostentação que beira o Kitsch. Muita cor, muito dourado, é apenas um gosto pessoal, não faço uma crítica, pois, o mercado chinês e indiano frequenta bastante e aprecia o lugar,

 26

Particularmente sugiro alguns hotéis, por questões de localização ou de serviço, nestes eu me hospedei.

  1. Crowne Plaza Dubai  5 *– fica super bem localizado e para os que gostam de um plus, a suíte Captain, que me hospedei, é simplesmente demais.

10 11

  1. Jumeira Beach 5* – um hotel ao lado do Burj e simplesmente de tirar o fôlego.

12

  1. Four Points by Sheraton Downtown Dubai 4* – bem localizado e um hotel com quarto gigantes, embora a portaria seja mais simples, porém, simples para os padrões de Dubai. Fiquei hospedado à convite do hotel e gostei muito.

13 14

Hora de escolher o restaurante

E agora? O que fazer? Pegue o guia, feche os olhos e escolha aleatoriamente, todos são bons! Mas, vamos aos que eu mais gostei.

O restaurante libanês e o asiático do Crowne Plaza são os points onde muitos moradores locais abonados preferem jantar, e não os culpo, são simplesmente demais!

O restaurante libanês mescla boa cozinha com shows de dança do ventre para animar os convidados, e para nossa surpresa a bailarina(ESPETACULAR) era brasileira, sim… Acreditem! Um espetáculo de jantar.

15 16

Já o asiático – SPICE ISLAND –  é uma mistura de requinte com show, fazem verdadeiros malabarismos com o preparo da comida, tudo em sua frente, não dá vontade de parar de pedir.

17

A melhor comida japonesa do mundo? Difícil, não? Pois tente este restaurante e depois me conte.

NOBU ATLANTIS, The Palm. Fica dentro do hotel Atlantis – The Palm. e é um luxo só.

18

 

Agora vamos para os restaurantes caros.

 

AT.MOSPHEREé o famoso restaurante no 122o.  andar do Burj Khalifa, o maior prédio do mundo, falaremos do prédio mais além.

Você só poderá entrar no prédio se tiver reserva em algum restaurante ou estando hospedado no Hotel Armani, que fica dentro do Khalifa. Quando cheguei de carro, a segurança já pediu a reserva e só assim pude estacionar. A reserva deve ser feita por email, pelo site do hotel.

20

Caso não possa pagar AED500(U$150,00) para jantar, peça uma reserva somente para drinks no bar/lounge, a vista é simplesmente demais, achei bem melhor que no At the Top do Khalifa.

SKY VIEW (no Burj al Arab)

Este bar é realmente bacana, e é a porta de entrada para se conhecer o famoso hotel Burj Al Arab, pois, não se permite a entrada de turistas sem uma reserva, e aí que está a jogada, quer conhecer o hotel? Reserve um Happy Hour no Sky View, que além de desfrutas a vista e um drink nas alturas, poderá visitar partes do Burj, como cortesia.

21

AL MAHARA (no Burj al Arab)

É um restaurante de frutos do mar, e tem um aquário panorâmico, ficamos com a impressão de estarmos no fundo do mar. Prepare o bolso, pois, sai bem caro esse romantismo todo!

22

O dress code é a exigência do  blazer para os homens,  mas, caso não o tenha,  a recepção do restaurante lhe oferece no seu tamanho e combinando com a sua calça, sem custo adicional, para as mulheres existe um xale, caso elas desejem. Dispensa comentários, não?

Para terminarmos com os restaurantes e bares, vou sugerir o 360 Degrees,  um bar-restaurante para terminar sua noite, fica até às 3h da madrugada aberto, o que é raro em Dubai, pode tomar apenas um drink no bar e dançar ao som de música eletrônica. Caso deseje sentar-se, aí a coisa fica realmente caro, uns U$550,00 só para sentar-se, pois, precisa de reserva, fora a consumação, que não é cara.

27

E agora? O que falta? Falta muito!!!

Convido a todos não perderem o próximo post de Dubai, falaremos de compras, passeios, costumes e muito mais. Até semana que vem…

Elton Silveira – elton@b4travel.com.br

Veneza: Roteiro norte da Itália. (IV)

24 março, 2015 às 11:27  |  por Elton Silveira

Veneza

 1

A cidade de Veneza é uma das poucas que se vende pela sonoridade, é o paraíso dos amantes, dos apaixonados, daqueles que gostam de aliar prazer, cultura e sabor em suas viagens. Muitos falam dos canais que exalam mau cheiro, mas isso é irrelevante perto que se encontra nesse local. Palácios exuberantes, museus riquíssimos, avenidas pavimentadas de água e o som dos gondoleiros em toda parte, cantando suas cancionetas de amor.

2

O que conhecer

Seria mais justo perguntar o que não conhecer em Veneza. Primeiramente vamos falar dos acessos pela cidade, primeiro: andar muito, andar muito mesmo, essa é a melhor maneira de visitar a cidade, mas claro, pode-se utilizar os ônibus adaptados, os famosos vaporettos: barcos com paradas circundando todas as partes e ilhas, em várias linhas, cada uma servindo determinada região das localidades.

Outra maneira mais rápida e cara de se locomover são as lanchas táxi, custam mais, mas se estão em 4 pessoas, não custa fazer as contas e ver o que compensa mais.

A terceira e mais cara forma de locomoção são as gôndolas, usadas mais como um tour glamuroso. Custa caro, então sempre tente achar 4 pessoas para dividir a gôndola, a não ser, é claro, que esteja em Lua de Mel e/ou tenha euros sobrando. Ah! Veja se não há japoneses por perto. Não é preconceito não: o fato é que eles são turistas ricos e não têm hábito de pechinchar, portanto, o preço sobe (ah, Itália Mia!!!).

A área de saída dos vaporettos mais conhecida é onde fica a ponte Rialto. Nela hoje existe um comércio de lembrancinhas da cidade.

3 4

Vale a pena observar a ponte e seu entorno, um dos cartões postais mais típicos de Veneza.

5

Ponte Rialto e um vaporetto em sua parada.

Cruzando a ponte você pode se perder, literalmente, nas ruelas de Veneza. Perder-se em meio às belezas, grifes e lojas famosas nem é tão ruim assim, vamos combinar.

Foto do Leitor: Karen e Celso(CWB)

6

Caminhando ou através do vaporetto chega-se ao coração de Veneza, a Praça de São Marcos, aquela do Palácio Ducal, da famosa Basílica de San Marco e onde se realiza o carnaval de máscaras de Veneza.

Na praça de San Marco podemos ver a famosa torre projetada por Giotto

7

Além dos museus da praça, que são preciosos, aprecie um café em um dos inúmeros restaurantes cercando a praça; mas lembre-se, é um lugar turístico, sentou pagou, e paga-se relativamente caro. De tempos em tempos um restaurante oferece música aos clientes. Imperdível ouvir o Bolero de Ravel num dos restaurantes – os músicos se apresentam em rodízio.

8

Não deixe de comprar o ticket que dá direito a visitar, além do Palazzo Ducale, também a Basílica de San Marco e os Museus de arte antiga da praça. Custa menos que pagar individualmente.

Aspas - Entrada combinada adultos: € 16 (incluindo Palazzo Ducale, Museu Correr, Museu Arqueológico Nacional e Biblioteca Nacional Marciana). O roteiro guiado dos itinerários secretos sai por € 20, em horários pré-determinados.

 

-  Basílica de San Marco - A primeira igreja dedicada a São Marcos, construída por Justiniano Partecipazio, foi construída ao lado do Palazzo Ducale em 828 d.C. para abrigar as relíquias de São Marcos que foram roubadas, segundo a tradição, em Alexandria por dois mercadores venezianos: Buono da Malamocco e Rustico da Torcello. Esta igreja substituiu a antiga capela do palácio dedicado ao santo bizantino Teodoro. Remonta ao século IX também o primeiro Campanile de San Marco.

9 10

Basílica de San Marco e o retábulo do altar da basílica pintado por Giotto di Bondoni.

 

Foto do Leitor: Aldeniz Neto (CWB)   e o carnaval de Veneza da leitora Camila Augusto(CWB)

11 25

-  Palazzo Ducale - Palácio Ducal, também conhecido como Palácio do Doge, é um símbolo da cidade de Veneza e uma obra-prima do gótico veneziano. Surge na área monumental da Piazza San Marco, entre a Piazzetta e o Molo. O palácio atual foi construído entre 1309 e 1424. Giovanni Bon e Bartolomeo Bon criaram a chamada Porta della Carta, um monumental portão em estilo gótico tardio na Piazzetta, ao lado do palácio.

 12 13

Aspas – Na do Maggior Consiglio, poderão ver a grande obra de Tintoretto. As suas enormes dimensões, 53 metros de comprimento por 25 de largura, que fazem dela uma das mais vastas da Europa.

Onde comer em Veneza

Como uma boa cidade italiana, comida é o que não falta, e se for comida boa então, as opções se estendem pela noite. Porém Veneza pede basicamente 3 tipos de lugares para comer: uma gelateria bacana, um restaurante romântico típico com vista para o canal e um restaurante daqueles de filme, mesmo que seja apenas para saber que existe.

-  Osteria da Fiore – Osteria só no nome, na verdade é um restaurante super elegante e ótimo ambiente, com duas de suas mesas com vista para o canal. Se você que apreciar a cozinha veneziana este é o local. A Signora Mara combina pratos da cozinha local com seu próprio toque de criatividade.

 -  Canova – Na mesma linha e patamar da Osteria da Fiore. Pertence ao requintado Luna Hotel Baglioni.

23 24

-  Trattoria alla Madonna – Não tão distante da Ponte Rialto, este restaurante histórico veneziano vive lotado, o que é um ótimo sinal. Portanto, chegue cedo ou reserve mesa. Envolto numa decoração simples e ao mesmo tempo amável. Não deixe de comer o fígado de vitela com cebolas

14

-  Terrazza Danieli – Este foi o palco de vários filmes, um restaurante num dos hotéis mais luxuosos desta cidade. Vá com muitos euros e com muito ânimo, pois, a comida é maravilhosa e a vista é esta da foto.

15

-  Gelateria San Stae – Fontego delle – Uma das mais típicas e pontuadas de Veneza, lá poderá experimentar o típico sorvete italiano.

16

Compras em Veneza:

Normalmente o turista acaba se fixando às grandes redes de lojas de marcas próximas à Praça de São Marcos, porém,  a área de Cannaregio é o local onde o italiano classe média faz suas compras. A dez minutos caminhando da Ponte de Rialto.

BOLSA BAGUETE. Roberta di Camerino, è o delírio feminino exposto num show room. Com destaque à sua bolsa bagonghi, em forma de baguete. Valores à partir de € 80.00. Roberta di Camerino: L’Atelier di Palazzo Loredan Grifalconi, Cannaregio 6.359.

17

BAMBOLANDIA – Produz brinquedos reais, feitos à mão, é o sonho das crianças e seus pais. Bonecas de vários tamanhos, selos, teatros em miniatura e muitos outros artefatos artesanais delicados. (Sestiere, 1462)

 

Dicas de Veneza

-  Para utilizar os vaporettos compre os passes de 12 horas a 7 dias, poderá escolher o tempo que precisar, sai bem mais barato que os trechos individuais.

18

-  Nos vaporettos, batalhe um lugar nas janelinhas, vai entender o que eu digo na hora.

-  As linhas principais do vaporetto funcionam entre 5h e meia-noite. Na madrugada há linhas noturnas, que fazem um serviço espaçado, de 40 em 40 minutos. Veja todos os horários aqui (role a página e procure linhas 1, 2 e a noturna N Lido-Canal Grande).

Obs  -  Atenção: é preciso validar o passe numa das maquininhas dos pontos de embarque. Apesar de ser de papel, o cartão é magnético; basta chegar perto da maquininha e o painel avisa se está válido ou não.

-  Faça um tour de vaporetto pelas ilhas do arquipélago veneziano (Lido, Murano, Giudecca). Caso se interesse, dê um pulinho no Arsenal (onde está a Biennale).

 Museus a serem visitados:

Guggenheim – Este dispensa comentários, é sempre VIP nos países que ele se encontra.

19

Os Museus de Praça de São Marcos:

Palácio Ducal, Museu Correr (incluindo exposições), o Museu Arqueológico, Quartos Monumentais da Biblioteca Marciana

Museus Cívicos de Veneza:

Ca’ Rezzonico, Museu do Palácio Mocenigo, Casa di Carlo Goldoni, Ca’ Pesaro, Museu do Vidro de Murano, Museu das rendas de Burano, Museu de História Natural.

Datas festivas em Veneza.

Janeiro
Epifania -  Celebração católica (5 e 6 de janeiro) , vale a pena pela decoração, a cidade se enche de adornos

Fevereiro
Carnaval - No começo do mês, você poderá ver o famoso carnaval das máscaras de Veneza. há fogos de artifícios e e bricadeiras por toda a cidade

20

Março
Su e Zo per i Ponti - Segundo domingo de março existe a maratona Su e Zo per i Ponti

Abril
Semana Santa – Toda a semana é festiva
Festa de San Marco - 25 de abril, é a festa do padroeiro da cidade, famosa pela corrida de gôndolas

Junho
Regata das Grandes Repúblicas Marítimas – Início do mês, uma competição entre as quatro repúblicas marítimas: Genova, Amalfi, Pisa e Veneza.

21

Bienal de Veneza – O evento mais importante do circuito das artes no mundo

22

Julho
Festa do Redentor -  Meados de julho, gôndolas e barcos seguem numa procissão que comemora o fim da epidemia de 1575 em Veneza. Não percam o show de fogos de artifícios.

Agosto
Festival de Cinema – Fim de agosto e início de setembro, lá se encontram os grandes do cinema mundial.

Setembro
Regata Histórica - No primeiro domingo do mês. È uma competição entre gôndolas.

Novembro
Festa da Saúde - No dia 21, Festa católica, em menção à peste de 1630

Obs – Embora sejam atrativos turísticos estes eventos, devemos lembrar que lotam a cidade, e os preços sobem em comparação a períodos de baixa estação.

Considerações finais

Acredito que depois de uma viagem desta, não haverá espaço para insatisfações, pois serão oito dias de encantamentos e gostinho de quero mais.

Não percam semana que vem, meu post sobre Dubai.

Elton Silveira – elton@b4travel.com.br

 

Verona – Roteiro do norte da Itália (III)

17 março, 2015 às 12:27  |  por Elton Silveira

Verona

 1

A Verona medieval foi tão gloriosa que inspirou Shakespeare a criar duas histórias aqui (Romeu e Julieta e Os Dois Cavaleiros de Verona). Embora a ligação de Verona com os Capuleto reais seja sutil, na melhor das hipóteses, a falsa Casa da Julieta atrai meio milhão de turistas por ano, muitos dos quais continuam revivendo a cena do balcão. Não deixe de visitar o anfiteatro romano e o Palazzo Barberi. Verona é uma comuna italiana da região do Vêneto, com cerca de 250 mil habitantes.

Atrativos turísticos

Apesar de Verona ser uma cidade bastante grande, os principais atrativos turísticos ficam concentrados e são fáceis de visitar a pé. Segue um mapa do percurso dos principais atrativos da cidade. Como pode-se ver, da Porta Nuova até o retorno à estação de trem, tudo é relativamente perto.

2

Chega-se à cidade de trem ou carro; normalmente de trem. Na estação existe um posto de informações turísticas. Pegue um mapa da cidade e poderá percorrer tudo a pé, basta seguir pelo corso Porta Nuova. Caso tenha problemas em caminhar, pode ir de ônibus ou táxi ao centro histórico (2km da estação). Sugestão: bem em frente à estação pegue os ônibus nº 11, 12 ou 13 que leva ao centro histórico. Em 8 minutos chegará à Piazza Brà, onde está a atração mais majestosa de Verona: a Arena.

Outros atrativos…

-  Castelvecchio - O Castelvecchio é uma edificação medieval que abriga um museu. Inclui a fortificação da Idade Média e a Ponte do Castelo, que cruza o rio Ádige.

3

Arena de Verona - A Arena de Verona é um tipo de mini Coliseu romano. Impressiona por seu tamanho e arquitetura. Paga-se em torno de € 6,00 para entrar.  É o terceiro “anfiteatro” em tamanho na Itália, depois, é claro, do Coliseu (que é o primeiro) e do “Anfiteatro Campano di Santa Maria Capua Vetere”.

Vale a pena assistir um show neste anfiteatro, principalmente no verão – de junho a agosto. Tem capacidade de 22 mil lugares.

4

 

Piazza Bra e Portonni Della Bra  - A Piazza Bra é a praça mais famosa de Verona. Lá estão a Arena e outros prédios importantes, como o Palazzo Barbieri, a prefeitura de Verona. Sugiro ocupar um assento num dos restaurantes nela existentes para admirar a Arena e os prédios históricos da cidade, acompanhado sempre de um vinho da casa.

O Portoni della Bra é um portal de entrada para a praça, tem um relógio no topo.

5

- Casa de Julieta - A poucos passos da Piazza Bra e da Arena fica a mais famosa atração de Verona, a Casa de Julieta. Apesar de seu tamanho modesto, Shakespeare imortaliza o lugar como um santuário dedicado ao romantismo, atraindo turistas de todo o mundo.

6 7

Sobre o lugar - Apaixonados declaram seu amor em bilhetes deixados nas paredes do local. Ao entrar no pátio da casa há paredes completamente lotadas de bilhetes apaixonados e cadeados com fitas coloridas representando a união de muitos casais. Para ter sorte no amor, você deve passar a mão em um dos seios da estátua de Julieta, que também fica no pátio. Apenas o museu da casa é pago, o restante é gratuito.

  8

Muitos atores vestidos conforme os costumes da época em que se passa a história recebem os turistas encenando a peça ao som de flautas. Há um suposto túmulo de Julieta no Monastério de San Francesco al Corso (Via del Pontiere 35) e, na igreja ao lado, o casal teria se casado.

Igreja de Santa Anastácia

Sua construção teve início em 1280. Possui um interior impressionante, colunas em mármore branco e vermelho, e a estátua de Santa Anastácia, enfeitada com flores, jóias e tecidos.

9

Curiosidade: O relicário com o crânio e pés de Santa Anastácia está em Tessalônica – Grécia.

-  A Torre dei Lamberti fica onde é a sede do governo. No alto da torre temos um fabuloso visual da cidade. A torre foi construída em 1172, com 83 metros de altura e pertencia à família Lamberti. Em 1464 foi acrescentada a torre, onde foram dispostos dois sinos: um denominado “Rengo“, tocado para alertar o povo sobre alguma ameaça de guerra e um outro chamado “Marangona” que  anunciava o fim do trabalho para os agricultores ou para aviso de incêndio. Subir os 368 degraus é um problema, mas compensa quando se chega à plataforma panorâmica. Aos mais exaustos, a boa notícia: tem elevador!  Não deixe de conhecer e fazer muitas fotos, este é o lugar!

10 11

 Onde comer em Verona

Apesar do vasto leque de opções, indico três restaurantes por lá: A Gelateria Zeno Gelato e Cioccolato, A Enoteca Segreta  e a Osteria Verona.

A Gelateria Zeno Gelato e Cioccolato é a gelateria para aqueles que querem provar o verdadeiro sorvete italiano, é o que tem de mais típico por lá.

A Enoteca Segreta é um lugar aconchegante, charmoso, com um bom menu e uma carta de vinhos respeitável. Você provavelmente imaginou que seja lugar bom, mas caro. Errou…!  É perfeitamente possível comer e beber bem em Verona.

12

La Bottega della Gina é um restaurante pequeno com poucos lugares, atendimento atencioso e comida gostosa e barata. Prove o ossobuco ou uma massa com molho de tartufo, até mesmo uma torta de legumes.

13

Como funciona - Você monta seu prato e define a massa, que será cozida na hora, bem como o molho e os acompanhamentos que desejar. Um lugar sem muito requinte, mas com um sabor caseiro a um preço bem justo.

-  Para quem quer mais agito, com um drink antes do jantar, uma boa dica é a Osteria Del Bugiardo. Muito mais bar do que osteria.

Dicas de Verona.

-  Compre na cidade o Verona Card, um bilhete turístico que dá direito ao uso de ônibus e acesso a diversas atrações. Pode adquirir o bilhete nos centros de informações aos turistas.

-  Verona pode ser conhecida em apenas um dia e sem pressa. Pode-se inclusive fazer um day tour desde Veneza ou Milão, voltando para a cidade de origem.

-  Via Mazzini é a rua de comércio mais famosa de Verona, uma perdição de rua para passear. É só um calçadão mas sabe o que me atrai? O chão revestido de mármore, o requinte puro.

-  Na casa de Julieta não deixe de ver os ladrilhos com mensagens de amor do calçamento.

14 15

  Convido a todos na próxima semana a conhecer Veneza.

Elton Silveira – elton@b4travel.com.br