Assomec

Cidades da Grande Curitiba articulam decreto conjunto para conter a Covid-19

Segundo o presidente da Assomec, medidas mais restritivas devem ser anunciadas
Segundo o presidente da Assomec, medidas mais restritivas devem ser anunciadas (Foto: Geraldo Bubniak/AEN)

O presidente da Associação dos Municípios da Região Metropolitana de Curitiba (Assomec) e prefeito de Fazenda Rio Grande, Marcio Wozniack, adiantou ontem que até a próxima quinta-feira, as cidades da região devem fechar um decreto único de restrições para conter a nova onda de Covid-19. As reuniões com todos as prefeituras, inclusive representantes da Prefeitura de Curitiba, e representantes da Secretaria de Estado de Saúde (Sesa) devem acontecer hoje e amanhã. A medida, segundo ele, é urgente, já que os hospitais da Grande Curitiba com vagas do SUS estão lotados e perto do colapso.

Wosniak disse ontem que mais de 50 pacientes graves com diagnóstico da Covid-19 estavam à espera de vagas de UTI em hospitais da região. Segundo ele, o dado foi repassado aos prefeitos pelo diretor de Gestão em Saúde da Secretaria de Estado de Saúde (Sesa), Vinícius Filipak, durante reunião do Fórum Metropolitano de Combate à Covid-19.

“São números alarmantes e que nunca alcançamos durante a pandemia. Praticamente 100% de todos os nossos hospitais de referência estão ocupados com casos de Covid-19. E não há previsão de abertura de leitos para essas pessoas, o que é muito grave”, afirmou Wozniack. O principal ponto do decreto conjunto deve ser o combate às aglomeralões e para isso, os prefeitos, devem pedir reforço da Polícia Militar. A ideia é não prejudicar o comércio em época de compras de Natal, mas acirrar a fiscalização.

Também ontem, a secretária da Saúde de Curitiba, Márcia Huçulak, fez um desabafo no Facebook ao anunciar a montagem de 40 novos leitos de UTI na Capital. Ela disse que a que a Prefeitura de Curitiba não tem mais equipes para abrir leitos. “Estamos montando mais 40 leitos para atender Covid. Mas aviso que tudo tem limite, não temos mais equipes para abrir leitos”, escreveu. 

Força-tarefa está nas ruas desde a sexta-feira
As fiscalizações da Vigilância Sanitária de Curitiba direcionadas a conter a propagação da Covid-19 são diárias e fazem parte de uma força-tarefa que está a campo desde a sexta-feira passada, quando foi decretada a volta da bandeira laranja na Capital.

Durante o dia, agem equipes da Vigilância Sanitária e Guarda Municipal, e, à noite, acontecem as Aifus-covid, com apoio do Governo do Estado. Nas Aifus-covid, o foco são os bares e as aglomerações provocadas pela atividade comercial noturna.

O fim de semana teve 209 ações de fiscalização e inspeções realizadas pelas equipes da Prefeitura em estabelecimentos comerciais de diferentes bairros da cidade. Desde a sexta-feira até a noite de domingo, 35 estabelecimentos foram interditados, 16 estabelecimentos foram notificados por descumprimento à Resolução 01/2020 e em sete vistorias foram expedidas notificações por comércio irregular. Ontem, uma churrascaria em Santa Felicidade, que não cumpria as normas de distanciamento, foi fechada.

Taxa de ocupação de unidades de terapia intensiva bate em 94%
Ontem a taxa de ocupação dos 344 leitos de UTI em Curitiba estava em 94%. Todos os pacientes que são internados com quadro de síndrome respiratória aguda grave vão para os leitos exclusivos Covid-19 e não apenas os casos confirmados da doença. Até ontem restavam 20 leitos livres.

Ontem, o boletim da Secretaria Municipal de Saúde confirmou mais 1.254 novos casos de Covid-19 e 16 óbitos de moradores da cidade infectados pelo novo coronavírus. Até agora são 1.745 mortes na cidade provocadas pela doença neste período de pandemia e 78.760 moradores de Curitiba testaram positivo.

Até ontem eram 13.829 casos ativos na cidade, correspondentes ao número de pessoas com potencial de transmissão do vírus.

Estado — A Secretaria de Estado da Saúde divulgou ontem mais 1.294 casos confirmados e 32 mortes em decorrência da infecção causada pelo novo coronavírus. O boletim registrava também 1.081 casos retroativos do período entre 15 de julho e 28 de novembro. Eles estavam em investigação, foram confirmados e automaticamente computados no sistema.

Os dados acumulados do monitoramento da Covid-19 mostram que o Paraná soma 277.424 casos e 6.099 mortes em decorrência da doença.

Brasil — O Brasil registrou entre o domingo e ontem 287 mortes em decorrência do novo coronavírus. O total de óbitos passou a 173.120. No mesmo intervalo, os casos saltaram 21.138, para 6.335.878. Os dados são do Ministério da Saúde.

O Brasil é o segundo país com mais mortes pela Covid-19, ficando atrás somente dos Estados Unidos, que têm 266.051 óbitos, segundo o Centro de Controle e Prevenção de Doenças.