ELEIÇÕES 2022

Convenção do MDB opõe Requião e Ratinho Junior

Requião: chapa “Sempre PMDB”
Requião: chapa “Sempre PMDB” (Foto: Franklin de Freitas)

O MDB do Paraná elege a nova direção estadual do partido no próximo dia 31, em meio a uma disputa entre o grupo do ex-governador Roberto Requião e deputados da legenda sobre os rumos da sigla nas eleições de 2022. Enquanto Requião sonha em retomar o controle do MDB para emplacar uma nova candidatura Palácio Iguaçu, parlamentares pretendem manter o comando da sigla para apoiarem a reeleição do governador Ratinho Júnior (PSD).

O MDB paranaense está sob intervenção da direção nacional desde fevereiro, quando o deputado estadual Antonio Anibelli foi substituído por uma comissão provisória formada por deputados federais e estaduais, parte deles alinhados a Ratinho Jr. Anibelli havia substituído o ex-deputado federal João Arruda, que deixou a presidência do MDB em 2020 para disputar a prefeitura de Curitiba.

O edital de convocação da convenção foi divulgado ontem, assinado pelo deputado federal Sérgio Souza, aliado do atual governador. Requião reagiu divulgando vídeos nas redes sociais, anunciando que pretende lançar uma chapa para a disputa pela direção da legenda e pedindo apoio para ser o candidato da sigla ao governo. Segundo ele, a chapa se chamará “Sempre PMDB”.

Em um dos vídeos, o ex-governador – que teve três mandatos no Palácio Iguaçu (1991-94/2002-2006/2007-2010) – fala de suas realizações e critica a atual direção do partido. “O PMDB foi minguando. Hoje não temos diretório na metade dos municípios do Paraná. E alguns companheiros desanimados, capturados por ideias que não são as peemedebistas resolveram apoiar o ‘Rato’ na próxima eleição”, disse.

Esvaziamento

Em 2018, Requião não conseguiu se reeleger para o Senado. O MDB já vinha sofrendo um processo de esvaziamento no Estado, com vários parlamentares e lideranças deixando a sigla por não concordarem com a forma do ex-governador conduzi-la. Atualmente, o partido só tem dois deputados federais: Sérgio Souza e Hermes Parcianello; e dois estaduais: Anibelli e Requião Filho – este último filho do ex-senador. Souza e Parcianello apoiam o governo Bolsonaro, de quem Requião é crítico, e Anibelli tem votado com a bancada de Ratinho Jr na Assembleia.

Caso perca a disputa interna no MDB, Requião pode deixar a legenda que ocupa há mais de quatro décadas. Recentemente, o presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira, o convidou a se filiar no partido, com a promessa da legenda para concorrer ao governo. No Paraná, porém, o PSB integra a base do governo Ratinho Jr. O ex-governador também teria recebido convite do PDT do ex-ministro Ciro Gomes.