Publicidade
Crimes na internet

Falsos sites de leilões proliferam no Paraná, denuncia sindicato

Desde o ano passado, o Sindicato dos Leiloeiros do Paraná já identificou pelo menos 300 sites falsos de leilões. São sites que ofertam imóveis, terrenos, veículos, quase sempre a preços “irresistíveis”, mas no final se tratam de estelionato. “Estes sites ficam por pouco tempo no ar, cerca de cinco dias, mas são suficientes para causar estrago”, diz o vice-presidente do Sindicato dos Leiloeiros, Helcio Kronberg.

O sindicato começou esse levantamento depois de receber denúncias de pessoas lesadas pelo esquema. “Todos os dias temos denúncia de gente que caiu no golpe”, conta. O sindicato repassou a denúncia para a polícia do Paraná, para a Polícia Federal e também para os tribunais de Justiça.

Segundo Kronberg, para poder aproveitar as oportunidades oferecidas em leilões — com lances iniciais que muitas vezes podem chegar a 50% do valor de mercado —, os participantes precisam conferir, com calma e segurança, alguns detalhes importantes.

“Primeiramente é importante que o interessado confira no site do leiloeiro e no site da Junta Comercial qual o verdadeiro telefone de contato do leiloeiro, pois os falsários contam com um bom sistema de atendimento por WhatsApp ou por outros meios virtuais. Também é importante conferir o número de telefone da leiloaria na Junta Comercial e ligar, para verificar se o escritório tem mesmo uma estrutura física e atendimento de verdade. Desconfie também de preços muito abaixo da realidade”, explica.

Para acessar o site da Junta Comercial, basta entrar no site da instituição, clicar no item Serviços e procurar no menu Leiloeiros Oficiais.

Ainda de acordo com Kronberg, os falsários têm feito anúncios no Google e outros sites de busca, geralmente com domínios terminados em .com ou .org. “Procure sempre sites de leilões terminados em .com.br, além de preferir leiloeiros conhecidos que divulguem por outros meios que não apenas no Google. Também é bom checar há quanto tempo o site está no ar. Se for recente, desconfie. Basta colar a URL no site em www.registro.br. Outra dica é que quando se tratar de leilões judiciais, procurar os editais publicados no Diário da Justiça para verificar se aquele bem anunciado está correto”, aconselha.

Mais um conselho importante é acessar o site Fraude em Leilões, criado por leiloeiros e empresas do setor com o objetivo de prevenir golpes. “Há uma lista de sites verdadeiros e falsos para consulta. Para averiguar, basta informar o nome ou parte do nome na busca. Se o site que gerou dúvidas não está presente, a pessoa pode fazer uma denúncia na própria Junta Comercial, pois será averiguado”, garante.

No Paraná são cerca de 70 leiloeiros oficiais, embora sejam apenas cerca de 15 atuando no momento, informa Kronberg.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES