Mundo Pequeno Conexões

Negócio de bairro conecta consumidor a produtores locais de Curitiba

Jessica resolveu “inovar” com seu empreendimento à moda antiga
Jessica resolveu “inovar” com seu empreendimento à moda antiga (Foto: Franklin de Freitas)

Coragem. Essa foi a palavra usada por Jessica Rodacinski, proprietária do Mundo Pequeno Conexões, para definir o que sentiu quando decidiu abrir um inovador negócio, logo após ser desligada do seu emprego formal. A ideia inicialmente foi publicada em um grupo do Facebook, onde Jessica procurou parceiros que aceitariam ter suas mercadorias vendidas no seu estabelecimento, e hoje a loja de multiprodutos faz jus ao nome e conecta pequenos produtores locais que também foram atingidos pela crise do comércio durante a pandemia da Covid-19.

Localizada em frente ao Parque São Lourenço, a loja reúne marcas artesanais, prestadores de serviços e outros produtores curitibanos que buscam uma clientela fiel a seus produtos. “O negócio foi idealizado em meio a pandemia, para buscar soluções com fornecedores locais, que nem sempre sabem que estão mais próximos do que imaginamos. Conectar pequenos empreendimentos e passar por aqui para distribuir no nosso meio, começou a ganhar adesões, porque o objetivo inicial foi o sentido de ajuda mútua”, explica Jessica.

Na loja é possível encontrar produtos como geleias, orgânicos, sucos naturais, docinhos e refeições veganas, marmitinhas de frutas para crianças, serviços de jardinagem entre outros.

A venda também é feita de maneira especial. No estilo porta a porta e seguindo todos os cuidados de distanciamento, assim humaniza a oferta de produtos aos vizinhos do bairro Abranches, criando uma relação de afeto, confiança e fidelidade entre comerciante e consumidor, principalmente com os moradores mais velhos, que pelas dificuldades com tecnologia, preferem o contato presencial.

“Nós estamos em um bairro antigo, um bairro residencial, então aqui tem bastante idosos, que apesar de terem redes sociais, não se adaptaram a fazer os pedidos por lá. E eles estão há muito tempo sem poder ter o contato social que tinham antes, então nós fidelizamos muitos clientes nessa faixa etária de 60 anos ou mais, que preferem essa venda porta a porta”, conta Jessica. Para quem desejar encomendar algum produto, a loja também está oferecendo serviço de delivery.

Os planos de expansão da empreendedora já incluem a volta de turistas ao parque e a possibilidade de futuramente abrir novas sedes e ampliar o seu negócio, um sonho que ela gosta de definir com a frase do cantor Raul Seixas: “Um sonho que se sonha junto é uma realidade”.