Publicidade

No 4º clássico do ano, Fluminense e Flamengo iniciam disputa do título do Carioca

Após decidirem a Taça Rio na quarta-feira, Fluminense e Flamengo voltam a se encontrar neste domingo no Maracanã, a partir das 16 horas, para nova final. Dessa vez, fazem o primeiro dos dois jogos que vão definir o campeão estadual.

O novo Fla-Flu foi possível porque o time tricolor conquistou na quarta-feira passada o título da Taça Rio, assegurando a conquista do segundo turno do Estadual, o que lhe deu o direito de encontrar na decisão o Flamengo, que faturou a Taça Guanabara e ainda teve a melhor campanha da competição.

Serão, assim, três clássicos em um período de apenas uma semana, pois na próxima quarta os times vão se reencontrar no Maracanã, sob mando do Flamengo. Com os portões fechados e sem vantagem para qualquer lado, essa definição é importante por causa dos direitos de transmissão, que ficam com a equipe mandante. O Fluminense exibirá o jogo deste no seu canal no YouTube, enquanto o time rubro-negro negociou o segundo duelo com o SBT.

O clássico deste domingo será o quarto da temporada entre os rivais, sendo marcados pelo equilíbrio nos resultados. Afinal, o Fluminense venceu o primeiro, por 1 a 0, com um gol de letra de Nenê, diante de um Flamengo composto basicamente por juniores, na fase de classificação da Taça Guanabara. O rubro-negro deu o troco nas semifinais, quando venceu por 3 a 2, após abrir 3 a 0. E a equipe tricolor levou a Taça Rio nos pênaltis, após igualdade por 1 a 1.

A decisão também envolve os dois maiores vencedores do Campeonato Carioca, sendo 35 títulos do Flamengo, contra 31 do Fluminense. E em muitas dessas conquistas, os rivais estiveram frente a frente. Foi assim em 1963, quando mais de 194 mil pessoas, o maior público da história em um jogo entre clubes, viram o 0 a 0 dar a taça para a equipe rubro-negra. Ou em 1995, quando um gol de barriga de Renato Gaúcho assegurou a conquista do time tricolor.

Na última delas, em 2017, o Flamengo triunfou no primeiro jogo por 1 a 0 e assegurou a conquista ao ganhar de virada por 2 a 1 no duelo de volta. Dessa vez, o rubro-negro é visto como favorito para faturar o bicampeonato estadual diante da equipe tricolor, que não vence o Carioca desde 2012.

A conquista da última quarta, porém, levantou a autoestima do Fluminense. Sem ter marcado gols nos três primeiros jogos que disputou na retomada do futebol, o time se fechou na defesa, esteve bastante compacto e conseguiu segurar o poder de fogo do Flamengo em quase todo o clássico.

"Você precisa criar estratégias para conseguir dificultar todo esse potencial de jogo que o Flamengo tem e conseguir dentro da sua qualidade, do seu jogo, usar os poucos momentos que o Flamengo te dá possibilidade de buscar a vitória", afirmou o técnico Odair Hellmann.

O cansaço do time na parte final quase permitiu a virada do rival e provocou dúvidas se a equipe conseguirá repetir a intensidade, pois disputará o quinto jogo em um período de duas semanas, tendo voltado a treinar quando o Flamengo já havia até entrado em campo. O time não poderá contar mais uma vez com Fred, que precisará por cirurgia no olho esquerdo. Mas o seu substituto, Evanilson, substituído no intervalo da final da Taça Rio por causa de dores musculares, não tem lesão e seguirá no time. E o outro desfalque será o Nino, que machucou o joelho esquerdo e será substituído por Digão.

Considerado favorito, o Flamengo tem vivido dias turbulentos fora dos gramados, seja por polêmicas disputas jurídicas sobre direitos de transmissão, mas principalmente pela indefinição envolvendo o técnico Jorge Jesus, que está na mira do Benfica. Para se somar a isso, o time teve atuação apática na quarta-feira, quando poderia ter faturado o título estadual sem a necessidade de disputar essa decisão.

A esperança é que a partida tenha deixado lições ao time, especialmente pela atuação ruim do quarteto ofensivo, o que levou a equipe a criar poucas oportunidades de gol, a maior parte em jogadas pelas laterais ou com atletas que foram acionados no segundo tempo. O treinador português não poderá contar com Bruno Henrique, com dores na panturrilha esquerda. Pedro e Michael disputam a sua vaga.

E para abrir vantagem espera que Gabriel recupere o seu faro, pois o centroavante não marcou nas últimas três partidas, para se isolar na artilharia do Carioca, está empatado com João Carlos, do Volta Redonda, ambos com oito. "Vamos fazer dois jogos com a mesma certeza e confiança", afirmou Jesus, esperançoso que o Flamengo deixe para trás a ressaca pelo revés de quarta-feira.

Um dos personagens da última decisão estará novamente no Maracanã neste domingo: o árbitro Wagner do Nascimento Magalhães, que recebeu muitas críticas do Fluminense e de seus torcedores por uma falta no lance do primeiro gol na virada do Flamengo.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES