Publicidade
Trabalhador

Paraná muda foco para ampliar a captação de vagas de emprego

Agências do Trabalhador do Paraná atuam de forma mais dinâmica
Agências do Trabalhador do Paraná atuam de forma mais dinâmica (Foto: Divulgacao-AEN)

O Paraná está na luta para derrotar o desemprego. Até agora o Governo do Estado apresentou sete ‘armas’ nessa batalha. O foco principal foi uma mudança conceitual na atuação das Agências do Trabalhador. Outra frente prioritária é a atração de investimentos, com a iniciativa privada abrindo novas vagas de emprego. A qualificação de mão de obra também não poderia ficar de fora.

Outras quatro ‘armas’ são ações pontuais, específicas do Governo: o aplicativo ‘Paraná Serviços’, o atendimento para refugiados e migrantes; e os programas ‘Cartão Futuro’ e ‘Emprega Mais Paraná’.

Os primeiros passos do novo governo estadual, que assumiu o Paraná em janeiro de 2019, já trouxeram resultados positivos, segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED) do Ministério do Trabalho. Pelo último balanço divulgado, o Paraná é o quarto estado que mais gerou empregos no país entre janeiro e setembro – 66.901 vagas.

Para o governador Carlos Massa Ratinho Junior, os resultados estão na esteira de um panorama econômico mais favorável ao Paraná. “Organizamos a máquina pública, pacificamos o ambiente de negócios e conseguimos atrair mais de R$ 16 bilhões de investimentos privados neste ano. Também destravamos o processo de abertura de empresas”, afirmou.

O secretário de Justiça, Família e Trabalho, Ney Leprevost, reforçou que as políticas adotadas no Estado a partir deste ano têm como foco ampliar as oportunidades de emprego e renda. Ele destaca que o Estado também reforçou os atendimentos nas Agências do Trabalhador para intermediar as contratações. “Seguimos uma linha constante de crescimento. Estamos mergulhados em uma ação proativa nas Agências do Trabalhador para intermediar mão de obra para as empresas e na missão de qualificar cada vez mais os trabalhadores paranaenses”, disse.

Agência do Trabalhador

A mudança principal é conceitual. Por determinação do secretário Ney Leprevost, o Departamento do Trabalho e as Agências do Trabalhador deixam de ter uma atuação passiva para trabalhar ativamente junto ao setor privado no intuito de acelerar a colocação e a recolocação dos trabalhadores no mercado. Desta forma, diversas reuniões com o setor produtivo privado – principalmente grandes empresas e projetos – foram e estão sendo realizadas para que as Agências do Trabalhador ofertem vagas abertas. É o caso por exemplo da Klabin em Telêmaco Borba, do Hard Rock Hotel Ilha do Sol, Frimesa e Frigorífico Rainha da Paz, além da construção da segunda ponte Brasil-Paraguai. A alteração deu resultado. Segundo balanço do Sine divulgado em 2019, o Paraná foi o segundo estado que mais ofertou vagas via Agências do Trabalhador, com 15.435. Só ficou atrás de São Paulo, que ofertou 20.865.

Atração de investimentos
O Governo do Estado soma R$ 17,96 bilhões em investimentos privados no Paraná em dez meses. A meta é R$ 20 bilhões para 2019. Os negócios deverão gerar 14 mil novos empregos. O resultado é fruto do trabalho realizado pela Invest Paraná, agência estadual responsável pela prospecção de novos negócios e atração de empresas. A maior parte dos investimentos será aplicada na expansão de nove plantas industriais já instaladas (R$ 11,5 bilhões). “A indústria paranaense é a que mais cresce no País. Esse dado chama a atenção”, disse o governador Carlos Massa Ratinho Junior. Segundo o balanço da Invest Paraná (antiga Agência Paraná de Desenvolvimento), 350 novas empresas já contataram a agência neste ano, com mais de mil pessoas atendidas. Também foram realizadas seis missões internacionais (China, Estados Unidos – Nova York, Estados Unidos – Vale do Silício, Canadá, Portugal e República Tcheca) de apresentação do Estado e organizados sete eventos diretos em Curitiba e Brasília.

Qualificação de mão de obra
O destaque é o programa ‘Carretas do Conhecimento’, realizado em parceria com o Senai-PR e a Volkswagen. São oito escolas móveis que oferecem cursos de Instalações Elétricas, Manutenção de Motocicletas, Confecção, Elétrica Automotiva, Mecânica Automotiva, Mecânica Industrial Básica, Panificação e Refrigeração. Leprevost também afirmou que a secretaria trabalha em parceria com a Volkswagen e o Senai para dobrar o número de trabalhadores qualificados pelas Carretas do Conhecimento em 2020. O programa, lançado neste ano, percorre 46 cidades do Estado e prevê formar 2,5 mil pessoas.

Emprega Mais Paraná
A primeira etapa desse programa é o Emprega Mais Litoral, que consiste na aproximação com os estabelecimentos comerciais e de serviços dos municípios litorâneos para ofertar todas as vagas criadas na temporada pelas Agências do Trabalhador das cidades, acelerando as contratações. Uma unidade móvel do Departamento do Trabalho percorrerá esses municípios divulgando as vagas e cadastrando os candidatos a elas. A ação, que conta com o apoio das prefeituras da região, vai passar no mês de novembro nos municípios de Matinhos, Pontal do Paraná, Guaratuba, Morretes, Antonina e Paranaguá com a Agência Itinerante, promovendo a intermediação de mão de obra durante o período de veraneio. Em seguida, esse programa será levado às demais regiões do Paraná.

Vagas temporárias com intermediação das Agências do Trabalhador

Cartão Futuro
O programa foi criado para incentivar a abertura de vagas de trabalho para 20 mil jovens de 14 a 18 anos em situação de vulnerabilidade social. “É uma iniciativa para dar a primeira oportunidade de emprego para pessoas que têm dificuldades de colocação no mercado de trabalho”, afirma o governador. Um dos objetivos do programa é incentivar as empresas a contratar aprendizes. Para isso, o Governo do Estado vai subsidiar parte dos vencimentos, com recursos do Fundo Estadual de Combate à

Pobreza.
Aplicativo ‘Paraná Serviços’
O aplicativo foi lançado pelo Governo do Estado para facilitar a vida do trabalhador autônomo. O objetivo é intermediar o contratante e o prestador de serviços. Em nove meses, já são 30 mil downloads em 240 municípios do Paraná. A ferramenta disponibiliza mais de 100 categorias de serviços autônomos cadastrados. Os mais procurados são: marido de aluguel, diarista, pedreiro, eletricista, pintor, garçom, motorista, recepcionista, limpeza/auxiliar, babá, encanador, técnico de computador, cabeleireiro/manicure, cozinheiro/auxiliar. Criada pela Secretaria da Justiça, Família e Trabalho em parceria com a Celepar, a ferramenta agiliza a contratação de serviços. “O aplicativo é um incentivador da geração de renda rápida, com possibilidade de atender quem procura serviços com urgência e quem está disposto a ofertas céleres”, afirma o secretário Ney Leprevost. “Planejamos expandir cada vez mais o aplicativo para alcançar os 399 municípios do Estado”, destaca.

Refugiados e migrantes
O Centro Estadual de Informação para Migrantes, Refugiados e Apátridas do Estado do Paraná (CEIM) atua ajudando os migrantes e refugiados a se colocarem no mercado por meio de um posto da Agência do Trabalhador que fica lá dentro. Eles recebem toda a documentação necessária para que se recoloquem no mercado de trabalho. Algumas empresas procuraram o Ceim para ofertar vagas específicas para migrantes, como a Cia Verde Logística, de Araucária, que em novembro abriu 62 postos de trabalho exclusivamente para estrangeiros.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES