Descobridor de fósseis

Aluno da UFPR Malton Fraga recebe prêmio internacional de paleontologia

Malton Fraga e sua descoberta, a Marginix notatus
Malton Fraga e sua descoberta, a Marginix notatus (Foto: Marcos Solivan)

Malton Carvalho Fraga, estudante do curso de Geologia da Universidade Federal do Paraná (UFPR), foi o primeiro aluno da instituição a receber o prêmio Undergraduate Prize 2020, oferecido pela The Palaeontological Association (ThePalAss), por sua proficiência em paleontologia. Segundo a Associação, este é o primeiro certificado nos últimos quatro anos entregue para um estudante brasileiro.

No início deste ano, Fraga publicou um estudo pioneiro em detalhar fósseis de serpentes do mar (ofiuroides) e estrelas-do-mar das rochas do período Devoniano do Brasil. Ele e sua orientadora, professora Cristina Silveira Vega, descobriram duas novas espécies, dois novos gêneros e uma nova família de equinodermos, grupo de invertebrados tipicamente marinhos. O artigo publicado no Journal of South American Earth Science sobre o estudo foi o mais acessado da revista no mês em que circulou.

Esquerda: nova espécie de serpente do mar Marginix notatus. Direita: superfície dorsal da espécie de estrela-do-mar Paranaster crucis. Ambas descobertas na pesquisa.

O interesse pela paleontologia despertou no garoto quando criança, ao assistir filmes e desenhos sobre dinossauros. “Esses programas mostravam um mundo mágico, repleto de criaturas bastante diferentes das que conhecemos hoje e tudo isso era fascinante. Mas a paleontologia ainda é um tema muito exótico no Brasil”, conta. Por isso, apesar de sua admiração pelo tema, ele cresceu acreditando que era uma coisa restrita aos filmes e aos cientistas estrangeiros, como a televisão mostrava.

Foi no ensino médio que o estudante descobriu a geologia e que essa era sua vocação. “Eu me encantei lendo a descrição desse curso em uma revista de profissões, especialmente porque envolvia muitos estudos sobre paleontologia na grade curricular”. Quando ingressou na universidade, Fraga logo procurou realizar atividades extracurriculares. “Desde então tenho participado ativamente do Laboratório de Paleontologia (Labpaleo) e isso me ajudou muito a crescer cientificamente. Nos últimos anos, eu pude desenvolver desde trabalhos de campo a minuciosos a estudos de laboratório”.

Malton Fraga e sua descoberta, a Marginix notatus. Foto: Marcos Solivan

Em sua jovem carreira acadêmica, ele já participou do Programa de Iniciação à Docência (PID) na disciplina de paleontologia, do Programa de Voluntariado Acadêmico (PVA) no Laboratório de Paleontologia da UFPR, do Programa de Iniciação Científica (PIBIC) em paleontologia, do projeto de extensão “Divulgando a Paleontologia na Educação Básica”, além de ter realizado seu estágio curricular no Setor de Paleoinvertebrados do Museu Nacional da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Atualmente, pesquisa sobre taxonomia, tafonomia e paleoecologia de asterozoários devonianos da Bacia do Paraná.

O coordenador de Geologia, professor Fernando Mancini, revela que Fraga foi indicado pelo colegiado do curso para receber esse prêmio devido ao seu desempenho em paleontologia. “Não só nas disciplinas relacionadas à área, mas pela sua participação em pesquisas de iniciação científica e extensão. Esse prêmio também vale pelo reconhecimento da excelência na preparação dos nossos alunos”.

Para o futuro geólogo, receber um prêmio internacional por proficiência em paleontologia é algo indescritível. “A The Palaeontological Association é uma das organizações de Paleontologia mais renomadas do mundo e o Undergraduate Prize é um reconhecimento muito especial porque só pode ser conquistado durante a graduação. Esse prêmio é um valioso presente e me motiva a continuar propagando a ciência em nosso país através dos fósseis”.

O prêmio

Fundada em 1957 e sediada no Reino Unido, a Associação Paleontológica (The Palaeontological Association – ThePalAss) é uma organização que tem o objetivo de promover internacionalmente o estudo da Paleontologia e das ciências afins. Anualmente, ela distribui cerca de 20 prêmios “Undergraduate Prize” a estudantes de paleontologia de todo o mundo.

O prêmio consiste em um certificado e na associação gratuita à instituição pelo resto do ano em que foi homenageado, além do ano civil seguinte. Ele fornece acesso eletrônico aos periódicos, cópias postais da newsletter e outras vantagens da Associação.