Novo Caged

Efeito da pandemia: desligamentos por morte de trabalhadores formais crescem 164% em Curitiba

(Foto: Franklin de Freitas)

O número de trabalhadores formais (regidos pela Consolidação das Leis Trabalhistas - CLT) que tiveram o vínculo empregatício encerrado em decorrência de morte registrou um salto neste começo de ano em Curitiba. Nos quatro primeiros meses de 2021 foram registrados 740 desligamentos por morte na capital paranaense, número 163,35% superior aos 281 registros no mesmo período de 2020, sendo que apenas em abril último ocorreram 258 desligamentos desse tipo, recorde da série histórica iniciada em janeiro do último ano, quando o governo federal implantou o Novo Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados).

Embora as informações divulgadas pelo Ministério da Economia não detalhem a causa do óbito, nota-se que a principal diferença entre os períodos analisados é a chegada da Covid-19 ao Brasil. Inclusive, houve um aumento de 170% nos desligamentos por morte entre profissionais da área de saúde humana e serviços sociais, com 27 registros neste ano ante 10 do primeiro quadrimestre do ano anterior (+170%).

Outras categorias, no entanto, também foram fortemente impactadas, como a de atividades administrativas e serviços complementares, com 177 registros até abril (+172,31% em relação a 2020); a de comércio, reparação de veículos automotores e motocicletas, com 143 desligamentos por morte (+155,36%); e a de transporte, armazenagem e correio, com 102 registros (+251,72%).

Se considerados os dados do Paraná como um todo, temos que neste ano, no primeiro quadrimestre, 2.731 desligamentos por morte aconteceram no estado, 120,42% a mais do que os 1.239 registros no mesmo período de 2020. Abril, último mês com dados e com 877 vínculos encerrados por conta de óbito do trabalhador, é o segundo mês da série histórica com mais registros, atrás apenas de março (922 desligamentos por morte).

Entre as categorias, novamente verifica-se um aumento importante entre os falecimentos de profissionais que atuam na área de saúde humana e serviços sociais, passando de 33 ocorrências nos quatro primeiros meses de 2020 para 86 entre janeiro e abril de 2021 (+160,61%). Também foi registrado aumento importante na quantidade de óbitos entre profissionais da agricultura, pecuária, produção florestal, pesca e agricultura, com 76 registros em 2021 (+192,31%); indústrias de transformação (555 desligamentos por morte e +83,17%); comércio, reparação de veículos automotores e motocicletas (581 e + 101,04%); transporte, armazenagem e correioi (395 e +182,14%); e educação (95 e +239,29%).

No começo de junho, os dados do Novo Caged mostravam que profissões como as de faxineiros, cobradores e motoristas de transporte coletivo, vigilantes, porteiros e zeladores de edifício, que tiveram maior aumento no número de registros. São, via de regra, trabalhadores do setor de serviços, onde atuam sobretudo os mais pobres e menos escolarizados, que dependem do trabalho fora de casa para obter renda.

OS NÚMEROS
Desligamentos por morte no Paraná

2020: 4.051
Janeiro a abril de 2020: 1.239
Janeiro a abril de 2021: 2.731
Variação 1º quadrimestre: +120.42%

Desligamentos por morte em Curitiba

2020: 1.061
Janeiro a abril de 2020: 281
Janeiro a abril de 2021: 740
Variação 1º quadrimestre: +163,35%

Fonte: Microdados do Caged, compilados pelo Bem Paraná

Depois de 129 dias, ocupação de UTIs baixa de 90% em Curitiba

Depois de 129 dias, a Secretaria Municipal da Saúde de Curitiba voltou a registrar uma taxa de ocupação dos leitos de UTI SUS para Covid-19 menor que 90%. Ontem, a ocupação baixou para 88%, o que não acontecia desde 21 de fevereiro, quando a taxa foi de 84%.

A taxa de ocupação dos 746 leitos de enfermarias SUS Covid-19 estava em 71%. Havia 218 leitos vagos. Na quarta-feira a atxa de ocupação dos leitos de enfermarias SUS Covid-19 era de 69%.

Mesmo assim, a população não deve baixar a guarda contra a pandemia. Ontem, foram registrados 781 novos casos de Covid-19 e 21 óbitos de moradores da cidade infectados pelo novo coronavírus.

As vítimas foram 15 homens e seis mulheres. Dezesseis pessoas tinham menos de 60 anos. Até o momento foram contabilizadas 6.177 mortes na cidade provocadas pela doença neste período de pandemia.

Com os novos casos confirmados, 241.280 moradores de Curitiba testaram positivo para a Covid-19 desde o início da pandemia.Eram 7.459 casos ativos na cidade, correspondentes ao número de pessoas com potencial de transmissão do vírus.

Paraná — A Secretaria de Estado da Saúde divulgou ontem mais 7.878 casos confirmados e 231 mortes pela Covid-19 no Paraná. Os números são referentes aos meses ou semanas anteriores e não representam a notificação das últimas 24 horas. Os dados acumulados do monitoramento da doença mostram que o Estado soma 1.285.929 casos confirmados e 30.770 óbitos.

Brasil — O Brasil registrou ontem 65.163 novos casos de Covid, com 2.029 mortes. O total foi para 18.622.304 casos e 520.095 óbitos.