Pfizer disse que fará o necessário para cumprir cronograma, diz Comissão Europeia

A presidente da Comissão Europeia, Ursula Von der Leyen, comentou nesta sexta-feira, 15, a informação de que a Pfizer vai reduzir o ritmo de distribuição de sua vacina contra a covid-19 para os países da União Europeia. Segundo ela, em conversa telefônica, o CEO da farmacêutica, Albert Bourla, garantiu que a empresa fará o que for necessário para evitar atrasos na entrega das doses.

Von der Leyen cobrou repostas da companhia sobre a quantidade de doses que serão entregues. Ela acrescentou que há necessidade médica de que elas sejam distribuídas a tempo, uma vez que algumas pessoas já receberam a primeira injeção. "Estamos enfrentando dificuldades normais", caracterizou.

A líder do braço executivo da UE disse ainda que espera para o final deste mês a autorização para o uso emergencial do imunizante desenvolvido pela AstraZeneca, em parceria com a Universidade de Oxford.